quinta-feira, julho 13, 2017

SOMBRA DE SI MESMO

A sentença proferida por Moro decepcionou a muitos que queriam justiça. Não pelo fato de ter condenado Lula a 9,6 anos de prisão, em razão do político prosseguir em liberdade. Livre, leve e solto, Lula continua a fazer o que mais tem feito nos últimos anos: reunir a militância, e repetir a cantilena de sempre,fazendo-se de vítima e atacando a Justiça. Na sentença, Moro provou substancialmente a culpa de Lula na questão do apartamento do Guarujá, mas o petista insiste em politizar um fato que é jurídico e criminal. Lula é corrupto, com carimbo e firma reconhecida. A atenuante é que ele não está sozinho nesse antro de corruptos. Conta com a companhia de grande parte dos políticos brasileiros, a maioria alimentada com dinheiro sujo nos anos de seu mandato. Lula quer intensificar a sua candidatura à presidência, no sentido de constranger a Justiça. Ele conta com a lentidão da Justiça. Assim, é possível que às vésperas do pleito de 2018, Lula ainda não tenha sido julgado em segunda instância. Embora a maioria da sociedade o rejeite, ele acredita ter votos suficientes para atravessar o primeiro turno. Vencer o segundo turno e ser eleito, é outra conversa. A favor de Lula pesa a absoluta falta de adversários. Os que têm sido mencionados – Marina, Alckmin, Ciro, Bolsonaro – são pouco convincentes, e João Dória, embora procure encarnar um novo estilo de político, é um completo desconhecido. Em 2002, Lula, que até então era um eterno perdedor, venceu as eleições quando conquistou a classe média e acalmou o mercado, ao apresentar a “Carta aos Brasileiros”. Naquela época, para muitos, o “Lula lá” se transformou num símbolo de esperança que, vimos depois, foi um grande engodo. Agora, sem condições políticas e morais de dirigir qualquer palavra aos brasileiros, exceto à militância, Lula não passa de uma sombra de si mesmo.

Nenhum comentário: