segunda-feira, julho 31, 2017

CAOS NA VENEZUELA

A Venezuela está literalmente dividida. De um lado, o governo autoritário e populista de Nicolás Maduro; do outro, as forças da oposição. O país está um caos. País monoprodutor, a Venezuela depende quase exclusivamente do petróleo, o que, com a crise política, tem levado a uma situação de desabastecimento e hiperinflação. Falta de tudo na Venezuela, desde papel higiênico até papel- moeda para imprimir o seu dinheiro.Enquanto a oposição pede a saída imediata de Maduro, o governo convoca uma Assembléia Constituinte, formada exclusivamente por chavistas para elaborar leis que se adequem ao plano de perpetuação no poder. A Venezuela vive praticamente em guerra civil. Os conflitos de rua entre chavistas e oposição são contínuos, e resultam em grande número de mortos e feridos. Milhares de pessoas atravessam a fronteira com o Brasil em busca de paz , alimentos e emprego. A Venezuela se isola da comunidade internacional e está a um passo de ser vítima de um boicote econômico. Diante de um quadro tão assustador, Maduro usa o discurso que é comum aos governantes de Cuba e CoreIa do Norte: culpa os Estados Unidos pela situação em que o país se encontra.

sexta-feira, julho 21, 2017

SOLUÇÃO FÁCIL E ABSURDA

Solução fácil e absurda. O governo gasta mal, desperdiça, esbanja, e, com o caixa no vermelho, assalta o bolso do contribuinte. E estamos falando de um país em crise, com alto índice de desemprego. O governo federal faz pouco para incentivar a retomada de economia. Para agravar, aumenta tributos sobre combustíveis, o que certamente provocará efeito em cascata, com o aumento dos custos em todos os setores da produção. O ministro da Fazenda, alguns meses atrás, havia garantido que não haveria aumento da carga tributária, devido à política de contenção de gastos. Ao que parece, os gastos foram forçosamente contidos apenas no setor privado, devido à crise. No setor público não existe planejamento, não se faz cortes de gasto e de pessoal. E a gastança continua, alimentada pela corrupção. Governar através do aumento de tributos pode ser uma solução fácil, mas é a pior maneira de gerir o Estado.

quinta-feira, julho 20, 2017

TEMER DESFAZ O QUE FEZ



Após o desastre chamado Dilma, esperava-se de seu sucessor um governo, pelo menos, correto, com condições mínimas de atravessar a ponte até o final de 2018. Temer, ao propor o teto de gastos, a reforma no Ensino Médio, a Reforma Tributária e a Reforma Previdenciária, acabou superando as expectativas. Reformas corajosas, antipopulares, porém fundamentais. Em que pese os protestos de sempre, vindos da velha esquerda radical, tudo parecia bem. A reforma na educação aprovada, assim como a lei do teto. A Reforma Trabalhista, encaminhada. Foi então que um tal Joesley Batista entrou na história, e a face oculta do presidente foi exposta ao grande público. Desde então ele não tem feito outra coisa que não se defender das acusações. O Brasil voltou à deriva, numa mistura de incerteza e insegurança. Parecendo estar em outro planeta, Temer procura transmitir um otimismo no qual nem ele acredita. Na presidência, sua presença tornou-se um estorvo para as próprias reformas que propôs. O teto de gastos, por exemplo, vem sendo desrespeitado pelo próprio presidente, quando irresponsavelmente libera verbas do Orçamento para a compra de deputados que deverão apoiá-lo na votação da Denúncia no sentido de votar contra a denúncia, no Congresso. O que Temer começou a fazer pelo País, está sendo, por ele, desfeito. O Irritante apego ao cargo, caso seja  para garantir o foro privilegiado, vai se mostrar inútil. Mesmo que ele escape das denúncias da PGR, quando deixar o governo, ficará à mercê da primeira instância, provavelmente nas mãos de Sergio Moro.

quinta-feira, julho 13, 2017

SOMBRA DE SI MESMO

A sentença proferida por Moro decepcionou a muitos que queriam justiça. Não pelo fato de ter condenado Lula a 9,6 anos de prisão, em razão do político prosseguir em liberdade. Livre, leve e solto, Lula continua a fazer o que mais tem feito nos últimos anos: reunir a militância, e repetir a cantilena de sempre,fazendo-se de vítima e atacando a Justiça. Na sentença, Moro provou substancialmente a culpa de Lula na questão do apartamento do Guarujá, mas o petista insiste em politizar um fato que é jurídico e criminal. Lula é corrupto, com carimbo e firma reconhecida. A atenuante é que ele não está sozinho nesse antro de corruptos. Conta com a companhia de grande parte dos políticos brasileiros, a maioria alimentada com dinheiro sujo nos anos de seu mandato. Lula quer intensificar a sua candidatura à presidência, no sentido de constranger a Justiça. Ele conta com a lentidão da Justiça. Assim, é possível que às vésperas do pleito de 2018, Lula ainda não tenha sido julgado em segunda instância. Embora a maioria da sociedade o rejeite, ele acredita ter votos suficientes para atravessar o primeiro turno. Vencer o segundo turno e ser eleito, é outra conversa. A favor de Lula pesa a absoluta falta de adversários. Os que têm sido mencionados – Marina, Alckmin, Ciro, Bolsonaro – são pouco convincentes, e João Dória, embora procure encarnar um novo estilo de político, é um completo desconhecido. Em 2002, Lula, que até então era um eterno perdedor, venceu as eleições quando conquistou a classe média e acalmou o mercado, ao apresentar a “Carta aos Brasileiros”. Naquela época, para muitos, o “Lula lá” se transformou num símbolo de esperança que, vimos depois, foi um grande engodo. Agora, sem condições políticas e morais de dirigir qualquer palavra aos brasileiros, exceto à militância, Lula não passa de uma sombra de si mesmo.

quarta-feira, julho 12, 2017

NUNCA ANTES NESTE PAÍS...

Finalmente a justiça foi feita. Lula foi condenado pelo juiz Sérgio Moro a 9,6 anos de prisão no processo referente ao triplex do Guarujá, mas, ao que tudo indica, poderá recorrer em liberdade. A sua prisão, ou não, dependerá do julgamento em segunda instância no Tribunal Regional Federal. Preso, perderá os direitos políticos e não poderá candidatar, em 2018. A condenação do petista não deixa de ser uma vitória daqueles que sempre propugnaram por uma política limpa, coisa que Lula não praticou. Julgando-se o melhor presidente de toda a História do Brasil, e muitas vezes se comparando a Jesus Cristo, o ex-líder metalúrgico governou como se não existissem leis , ou que estivesse acima delas. Mandou às favas a ética na política, que ele bradava quando fundou o PT e passou a fazer oposição a todos os governos. Lula julgou que sua alegada popularidade seria salvo conduto para fazer o que quisesse, mas se emaranhou numa rede de corrupção. A crença na impunidade durou até que um juiz corajoso de Curitiba, uma Polícia Federal atuante , e um grupo de promotores dispostos a combater a corrupção, colocou fim à farra de Lula e seus asseclas. O petista foi cada vez mais acossado pela justiça,e confrontado com os fatos incriminadores, se defendeu com contradições e mentiras. Agora, dirigindo-se à militância subalterna, só resta o mesmo velho discurso: "foi perseguição política da direita golpista". Não tem jeito. Aconteça o que acontecer, ficará marcado como único presidente da História do Brasil condenado por corrupção. "Nunca antes neste País..."