sexta-feira, maio 26, 2017

CONSPIRANDO CONTRA A DEMOCRACIA


Parlamentares, alguns ministros do STF e políticos em geral conspiram  contra  a democracia. Planejam restringir ao máximo a atuação de juízes, polícia federal e procuradores no combate à corrupção. Conforme  o que está sendo planejado, o Congresso votaria uma anistia geral  do chamado "caixa dois", o que livraria a cara da maioria dos políticos. O STF faria uma revisão na lei que possibilita que um condenado em segunda instância seja preso. Gilmar Mendes, que votou pela prisão em segunda instância,  já anunciou que mudará o seu voto. Assim,somente após condenação em terceira instância - STJ - haveria a prisão. Lula, por exemplo, condenado por Moro e pelo Tribunal Federal, em tese, continuaria livre, aguardando julgamento em terceira instância. As prisões prolongadas, como acontece em Curitiba, praticamente acabariam, pela tendência do STF em conceder habeas corpus. Haverá restrições ao instituto da delação premiada, que só seria possível com o delator em liberdade. Em nome da contenção de gastos, planeja-se diminuir o orçamento da PGR  e das procuradoria federais. Tão grave como tudo o que foi dito acima, ou talvez mais grave, é o acordão para anistiar os ex-presidentes. O objetivo imediato é apressar a renúncia de Temer. Com a tal anistia, Lula, Dilma e Temer escapariam de uma condenação e possível prisão. Tudo isso está a merecer a volta das grandes manifestações verde e amarela. Sem  bandeiras vermelhas, black blocs e vandalismo. Mas com muita indignação e patriotismo.

quinta-feira, maio 18, 2017

O PAPEL DO CENTRO NA CRISE ATUAL




Caso Temer caia, o que é quase certo, somente um amplo acordo será capaz de fazer o sucessor escolhido chegar a bom termo. Mas como chegar a um acordo, se o País está dividido e os políticos completamente desacreditados? Um acordo nacional só se faria com um consenso na sociedade. Mas a sociedade está radicalizada ideologicamente, como nunca esteve. À esquerda  , os partidários do PT e seus aliados, defensores do atraso, que acreditam que a Venezuela e Cuba são referências para o Brasil.  À direita, os  radicais  se constituem em dois grupos: os que não acreditam na democracia e clamam por intervenção militar, e os que “acreditam”, desde que o presidente seja Jair Bolsonaro. O centro, liberal ou conservador,que deveria ser o fiel da balança, parece tímido ante a gritaria dos radicais de um lado e de outro. É do centro que depende agora a dose necessária de bom senso para que  se encontre um rumo para que o Brasil acabe de atravessar a “pinguela”,o  que Temer não soube fazer.  A gritaria atual dos radicais não pode prevalecer sobre o grito cívico de milhões que foram às ruas , em 2013 e 2014, para pedir o fim da corrupção e o impeachment de Dilma. Nesse sentido, acho se falar em eleições diretas agora, momento propício para que demagogos, populistas e salvadores da pátria se sobressaiam. Lula, por exemplo, não condenado nem em primeira instância poderia vir a ser candidato. Portanto, o momento é de cautela e de obediência à Constituição. Alterar a Lei no calor da crise, muito mais do que simples casuismo, pode parecer golpe. 2018 está logo aí, e haverá tempo para a  sociedade refletir,amadurecer e escolher um candidato que realmente tenha liderança e a represente.

segunda-feira, maio 08, 2017

MORO FREIA LULA


Lula conduziu a sua carreira política amparado nos aplausos subservientes dessa gente que comparece aos seus comícios. São militantes do partido, gente ligada à CUT, aos "movimentos Sociais", beneficiários de "programas sociais". Lula depende dessa  gente  para  se sentir forte , disparar as asneiras de sempre, e deles esperar a ovação. São pessoas que não sabem pensar com seus próprios cérebros e precisam do cérebro do guru. Tal qual uma seita de fanáticos repetem palavras de ordem, sem saber bem o que significam. Como parecem não saber que não passam de otários a enriquecer o chefe supremo, assim como crentes enriquecem os pastores charlatães. Só que em política, não são apenas eles que pagam o pato. Somos nós, trabalhadores e empresários, que sustentamos essa ambição desmedida pelo poder. Lula vai à Curitiba, mas quer a companhia desse auditório fiel com suas bandeiras vermelhas. Moro é mais inteligente quando tenta impedir que um depoimento à Justiça seja politizado e se transforme num comício.

sexta-feira, maio 05, 2017

DIA 10 SE APROXIMA


Lula já devia ter sido ouvido, pois seu nome aparece em nove de dez depoimentos prestados na Lava Jato. Mas o juiz Moro adiou o quanto pôde, talvez para que as provas contra o petista se acumulassem e se tornassem   incontestáveis. O fato é que essa demora fez Lula renascer politicamente. Lula estava "morto" até o dia em que resolveram conduzí-lo coercitivamente ao aeroporto de São Paulo, quando deveria ter sido conduzido à Curitiba. A partir daí, a Jararaca  despertou  e se deu ao luxo de atacar os promotores que investigam sua participação em negócios escusos, ou mesmo o Sergio Moro. Lula  se fez vítima de um esquema político para impedir o seu retorno ao poder , em 2018, mas se mostrava incapaz de explicar a origem dos recursos para  a compra do apartamento no  Guarujá e do sítio em Atibaia. Espero que Sergio Moro  tenha dados irrefutáveis que façam Lula calar, ou então a atuação do juiz ficará comprometida. Enquanto isso, os  vermelhos se assanham e prometem lotar as ruas de Curitiba com suas bandeiras, e sua tendência para a baderna.O que mais me causa espanto é ver pessoas a defender um sujeito que tanto mal causou ao País e que é acusado por vários crimes de extrema gravidade.