quarta-feira, novembro 30, 2016

INCONFORMADOS PROTESTAM E VANDALIZAM




Quando estava no governo, a esquerda gastou o que não podia e o que não devia. Resultado: um País endividado e   em crise. Mesmo assim, os vermelhos se agitam contra o projeto que se propõe a reduzir os gastos do governo. Na última terça-feira a Praça dos Três Poderes se transformou num campo de batalha, quando os que protestavam passaram das manifestações pacíficas “contra Temer e contra a PEC dos gastos” a atos de extremo vandalismo contra o Patrimônio Público, durante a votação do projeto, no Senado.

Na verdade, esses discípulos de Lula e Fidel, mais do que  atacar a falta de recursos para a educação e saúde, como alegam, se revoltam  e mostram a sua inconformidade  com a saída forçada do poder,  e a conseqüente perda de cargos e privilégios a que estavam acostumados, e que, se traduzirão, agora, em demissões e em redução ou congelamento de salários.  Na verdade, esse pessoal representa uma parcela menor da sociedade, que faz  muito barulho,  nada produz  e muito consome  em termos de verbas públicas. São os  sanguessugas do Estado.

A atual equipe econômica aplica uma política sóbria e conservadora,  não por maldade ou sadismo, mas porque não há outro jeito: o PT quebrou o Brasil. Estados e municípios estão com a corda no pescoço,  e  seus recursos mal dão para pagar o funcionalismo. Negar esse fato é estar cego ou mal-intencionado.

Depois de ter conduzido o País à maior crise das  últimas décadas, com queda da atividade econômica, inflação e desemprego, o PT tem ainda a ousadia  e o cinismo de dar lições de governança. O projeto de Emenda Constitucional que prevê um teto para os gastos pode até resultar em fracasso, mas é uma proposta racional para recolocar as contas públicas em dia. Quanto à oposição vermelha, é bom lembrar que em 1994, o PT  se colocou  contra o Plano Real, na contramão do desejo da sociedade.

Nenhum comentário: