sexta-feira, julho 22, 2016

INVISÍVEL, PORÉM CONSISTENTE


O ministro da Defesa, Raul Jungmann, considera que a 14 dias do início da Olimpíada há uma espécie de "paranoia exacerbada" em torno do tema terrorismo. Jungmann afirmou que não há qualquer "ameaça consistente" de ação durante os Jogos. O que vem a ser “ameaça consistente”? A França e a Bélgica, vítima dos últimos atentados, tinham conhecimento de alguma ameaça consistente? É compreensível que as autoridades não queiram imprimir um clima de pânico na população que possa levar ao fracasso dos Jogos. Mas também é preciso entender  que o terrorismo não avisa, não manda sinais. Com a ajuda de organismos de segurança internacionais, o Ministério da Defesa chefiado por Raul Jungmann vem desempenhando o seu papel e armando um aparato de segurança que impressiona. Mas não garante que o País esteja  a salvo de um ataque durante o evento esportivo. Isso porque o Estado Islâmico ou os lobos solitários que agem em nome da “causa” o fazem de modo sorrateiro,   às ocultas, tacitamente, sem ser pressentido. O EI através do aplicativo Telegram divulgou uma compilação com  17 recomendações para execução de atos terroristas  durante os Jogos . Não se sabe quantos lobos solitários fiéis ao EI estarão dispostos a colocar em prática  as determinações da organização. Portanto, a ameaça existe. Podem não ser visíveis, mas nem por isso deixam de ser consistentes.

Nenhum comentário: