quinta-feira, maio 12, 2016

O QUE ESPERAR DO NOVO GOVERNO



Michel Temer tem nas mãos uma herança maldita. Não é pouca coisa. Um país com forte recessão, que se manifesta principalmente na diminuição da produção industrial  comercial e de serviços. Um país com alto índice de desemprego. Um país que teve a sua dívida pública aumentada significativamente. Um país com uma alta taxa de inflação. Um país que por três vezes foi rebaixado por agências avaliadoras, perdendo  o grau de investimento e   o selo de bom pagador, num  desestimulo a investimentos externos. Um país que teve a Petrobras dilapidada, quase destruída por um esquema de corrupção, cujos principais atores eram  os responsáveis pela guarda da empresa, com ramificações no mundo da política. Um governo desastrado sob todos os sentidos, sendo considerado um dos piores – talvez o pior –de toda a história da República. Enfim, um desgoverno. Dilma deixou o Brasil em frangalhos, e ainda teve a desfaçatez de considerar o seu afastamento um “golpe”.
Agora, o Brasil entra na era Temer. Embora seja olhado com desconfiança, pode se revelar um bom governante. Basta querer e ter competência para tal. Para isso, não pode repetir os grosseiros erros de Dilma. Não pode fazer de seu governo um balcão de negócios. Não pode contar em seu ministério com figuras notórias, que já demonstraram a sua incapacidade em governos anteriores, Tem que, com toda urgência, diminuir o tamanho da máquina pública federal. Mostrar que está disposto a reduzir gastos e não aumentar, ou criar,  impostos. Tem que apoiar a livre iniciativa, desonerando a produção e o trabalho, desburocratizando a prestação de serviços.
Não é tarefa simples, mas pode ser feita por um governo que tem a perspectiva de ficar no Planalto nos próximos dois anos e meio. Para isso, terá que contar, a meu ver, com o apoio da grande parcela da sociedade que foi às ruas exigir a saída da presidente petista. Acredito que esse não é o momento de perturbar o trabalho do governo que se inicia. Isso é tarefa para os petistas e eles já anunciaram, pela voz de seus líderes, que farão da vida de Temer um inferno. Temer merece um prazo, um período de carência, para que seja observado e avaliado em todos os atos que praticar. Dessas observações  e avaliações virão as  críticas. Mas, sua tarefa principal será fazer uma ponte entre o momento atual e 2018. Mostrar que finalmente o Brasil tem governo.

Nenhum comentário: