sexta-feira, julho 31, 2015

FIM DO SONHO DE CUNHA?


Cunha é um político astuto e frio que se contrapôs ao PT  com uma postura que o identifica com o pensamento majoritário da própria sociedade nesta década, qual seja a  defesa das liberdade econômica, diminuição do tamanho do Estado, e conservadorismo no campo no campo dos costumes e das  relações sociais. A  sua adesão a  teses como a diminuição da maioridade penal, a oposição ao aborto e ao “casamento gay” fizeram dele , aos olhos de muitos, um político fora do padrões normais. Mas se as denúncias contra ele se confirmarem, concluiremos que ele estava mais para Collor do que para  o estadista que projetava ser.


A advogada Beatriz Cata Pretta abandonou a defesa dos acusados, abandonou a profissão, e pretende abandonar o  Brasil. Decisões tão drásticas, segundo ela, foram motivadas por ameaças veladas de membros da CPI da Petrobras, aliados do presidente da Câmara Eduardo Cunha. Faz ela muito bem, pois tem que preservar a sua integridade física e a de seus familiares. Com bandidos não se brinca.

E a política brasileira tem se tornado um território de gangsteres, nos últimos tempos. O banditismo atinge tanto o Poder Executivo, quanto o Legislativo, passando,  em alguns casos, pelo Judiciário. Ao invés de projetos no campo da educação, saúde e segurança que beneficiem a população, o noticiário da imprensa tem falado em corrupção, propina, lavagem de dinheiro, contas secretas.

Beatriz Catta Preta, especialista em delação premiada, passou a ser alvo dos aliados de Eduardo Cunha a partir da denúncia do réu Júlio Camargo de que o político havia pedido, ou recebido, propina no valor deUS$ 5 milhões.  Uma denúncia dessa gravidade,  se provada, põe por terra o principal projeto político de Cunha,  que é a presidência da República, em 2018. Liquida com  o sonho alimentado por todo o grupo de Cunha, composto de membros do PMDB e outros partidos.

Cunha é um político astuto e frio que se contrapôs ao PT  com uma postura que o identifica com o pensamento majoritário da  sociedade nesta década, qual seja a  defesa das liberdade econômica, diminuição do tamanho do Estado, e conservadorismo no campo no campo dos costumes e das  relações sociais. A  sua adesão a  teses como a diminuição da maioridade penal, a oposição ao aborto e ao “casamento gay” fizeram dele , aos olhos de muitos, um político fora do padrões normais .

Alem disso, sob seu comando, nunca a Câmara trabalhou tanto como nos últimos meses. Isso, é claro lhe granjeou a  simpatia de grande parte da população, o que  aumentou a sua chance de chegar ao Planalto, já que o PT está desmoralizado e o PSDB não consegue convencer ninguém. Mas, no caminho de Cunha apareceram Júlio Camargo e sua advogada. Se  as denúncias contra ele se confirmarem, concluiremos que ele estava mais para Collor do que para  o estadista que projetava ser.
3108015


Um comentário:

Silvio disse...

Esse cara nunca me enganou. Tem um histórico cheio de falcatruas. Usou o anti petismo para ganhar o apoio dos incautos. Agora foi pego