segunda-feira, março 16, 2015

PROTESTO E CIVISMO




As manifestações de 15 de março foram uma aula de civismo marcada pela indignação. Indignação com o desgoverno  de  Dilma  Rousseff, protesto contra a corrupção, e uma clara demonstração de civismo, que levou às ruas milhões de brasileiros vestidos de verde e amarelo a demonstrar a sua preocupação com os rumos deste país.

Os governistas, adeptos do vermelho, tentaram diminuir o movimento – como se isso fosse possível – qualificando-o como “manifestação  da direita”. Não foi. Foi uma  contundente  manifestação contra os rumos que o país tomou nos últimos anos, contra a corrupção, a inoperância  do Congresso, o crescimento da inflação, a absurda carga tributária, as elevadas taxas de juros, e, para coroar, a roubalheira que tomou conta da Petrobras, outrora tida como uma empresa de respeito. Para muitos dos que protestavam, foi também um movimento pelo impeachment de Dilma Rousseff.

Esses milhões foram às ruas exigir que o Brasil seja passado a limpo,. Que o Judiciário, o Legislativo e o Executivo ajam com rapidez para colocar o país nos trilhos. Para isso, cabe ao Judiciário, em especial o STF, a tarefa de apressar o processo dos políticos acusados de corrupção; ao  Congresso, a urgente obrigação de expurgar a sua banda podre que coloca toda a instituição na lama; ao Executivo, o dever de apresentar à Nação, o mais depressa possível, um plano de governo que imponha a austeridade em seus quadros, metas factíveis de crescimento e alívio no bolso da sociedade.   

Os nossos políticos costumam se fazer  de surdos aos clamores da sociedade, mesmo os mais contundentes como os de ontem. Esperamos que dessa vez seja diferente porque a paciência do povo chegou ao fim.
160315

terça-feira, março 10, 2015

QUEM QUER DESTRUIR A DEMOCRACIA


Em recente discurso - http://migre.me/oXXMY -  o ex-presidente Lula se mostrou mal informado ou mal intencionado ao afirmar que a direita quer “negar ou destruir a política” no  Brasil. Se o líder do PT freqüentou pouco ou nada as aulas de política ou de História, é necessário que fique sabendo que nem a direita, nem a esquerda ou o centro, vão acabar com a política. Simplesmente porque a política é um valor inerente à sociedade desde os tempos mais remotos. A Política existe e continuará a existir tanto em nações democráticas, como as da Europa Ocidental, quanto nas mais opressivas ditaduras, como Coréia do Norte ou Cuba.

Talvez o que Lula estivesse querendo dizer, no afã de  desqualificar as recentes manifestações da sociedade contra o desgoverno de Dilma , é que a direita está pretendendo  destruir a democracia.

É inegável que setores da chamada direita, de fato, não morrem de amores pelo regime democrático, e manifestam clara simpatia pela volta dos militares ao poder da República. Mas são, creio, minoritários.  O que a maioria da sociedade deseja é a permanência e a consolidação da democracia. Por isso se opõem às práticas do PT no governo. Sim, porque se existe alguma instituição que tenta liquidar  a democracia neste país, esta é o Partido dos Trabalhadores, chefiada por Lula.

De que maneira? Com o aparelhamento de todo o setor público, com a política  de  submissão do Congresso e do Supremo Tribunal ao Executivo, com as tentativas de cercear a liberdade de Imprensa, com a roubalheira institucionalizada na máquina pública e nas estatais, com o apoio explícito a “movimentos sociais” que agridem o setor produtivo, com a manifesta simpatia por ditaduras e movimentos terroristas internacionais, e , para coroar, com  as fortes suspeitas de fraude nas últimas eleições presidenciais.

Ao contrário do que o boquirroto Lula afirma,  não fosse a vigilância atenta dos que ele diz querem “destruir a política”, e o PT já teria , ele sim, conduzido este país a algo bem próximo do que é Cuba, ou na melhor das hipóteses, do que é a Venezuela.
100315