terça-feira, fevereiro 24, 2015

LONGE DO SACRIFÍCIO



O ajuste fiscal e a contenção dos gastos públicos, anunciados pelos ministros da Fazenda e do Planejamento, são políticas necessárias e urgentes para superar a crise, debelar o descontrole da dívida pública e o aumento da inflação. O problema é que todo ajuste, no Brasil, significa uma paulada na cabeça dos menos favorecidos, os que se situam no andar de baixo da administração, se estendendo aos trabalhadores  e empresários da iniciativa privada. O pessoal do andar de cima quase nunca é atingido. Gastos públicos com a Previdência são alvos da tesoura da Fazenda. Gastos e desperdícios do alto escalão não são afetados.


Políticos e altos funcionários dos três níveis da administração e das três esferas de governo  continuam a se comportar como se a crise que atinge o país estivesse acontecendo na Islândia, não aqui. Continuam a exigir reajustes  em seus contracheques, e a multiplicação de seus privilégios e mordomias. Uma indecência que, há muito está por merecer uma manifestação mais contundente  dos cidadãos. Mas o povo permanece surpreendentemente quieto, aceitando passivamente os abusos cometidos por esse pessoal. Portanto, ajuste fiscal, sim. Mas com o sacrifício de todos. Repito, de TODOS.

sexta-feira, fevereiro 13, 2015

MANCHA DE SANGUE SOBRE O CARNAVAL



VERGONHA!
O carnaval do Rio prepara-se para homenagear, de forma indireta, um dos mais sanguinários ditadores da atualidade. Trata-se de Teodoro Obiang, que desde 1979 governa a Guiné Equatorial com mão de ferro. O ditador, considerado um dos governantes mais ricos do planeta , graças à riqueza gerada pelo petróleo em seu país e pela corrupção escancarada, governa um país que tem um dos menores IDHs do planeta.

Obiang é um entusiasta do carnaval carioca e, em anos anteriores,  já esteve discretamente na cidade para assistir ao desfile das escolas de samba. Desta vez, resolveu participar ativamente , e, para isso, pagou cerca de dez milhões de reais à Beija- Flor, que organizou um desfile dedicado a este pequeno país africano. O tema oficial da escola de samba no Carnaval 2015 é “um griô conta a história: um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial”.

A letra do samba tem referências diretas ao país africano. “Nego canta, nego clama liberdade/Sinfonia das marés saudade/Um africano rei que não perdeu a fé/Era meu irmão, filho da Guiné”, lê-se no refrão. Outra passagem da letra diz: “A chama da igualdade não se apaga/Olha a morena na roda e vem sambar/Na ginga do balelé, cores no ar/Dessa mistura, eu faço o carnaval/canta Guiné Equatorial”. A menção completa ao país teria sido uma exigência de Obiang, já que inicialmente esta passagem falava apenas de Guiné.


Obiang tem sofrido contundentes acusações de agressão aos direitos humanos em seu país, estando inclusive, por força dessa e de outras acusações proibido de entrar em vários países da Europa. Mas o Brasil é generoso: além de permitir a presença dessa abjeta figura em solo pátrio , ainda se dá ao luxo de prestar-lhe uma homenagem. Mas como  esperar um comportamento ético de uma escola de samba que nasceu, cresceu e viveu sob a proteção de bicheiros?
130215

quinta-feira, fevereiro 12, 2015

IMPEACHMENT NÃO É GOLPE


O país vive uma das piores crises de sua História: inflação subindo, PIB caindo, desemprego aumentando, água sumindo.E os políticos agem como se estivéssemos num mar de rosas. Mar de rosas para eles, que não perderam um centavo de suas  vantagens e privilégios.

Por  outro lado, continuamos  governados por uma presidente que disputa o título de governante mais incompetente de nossa História, e por um partido que, mesmo atolado até o pescoço no escândalo do Mensalão, não aprendeu a lição e se afunda  agora no fosso do “petrolão”, com certeza o maior escândalo de corrupção acontecido neste país..


E a presidente Dilma, faz o quê, para  tirar o país do buraco? Nada, absolutamente nada. Ela se esconde , como se não tivesse nada com isso, ou como se tivesse culpa no cartório. Estamos vivendo um ano triste e preocupante. Por isso, não me venham   falar que exigir  o impeachment da grande responsável por tudo isso é “golpe”. Processar e afastar  legalmente um chefe de governo reconhecidamente incompetente não é golpe. É zelar pelo bem do país e dos  seus cidadãos.