segunda-feira, novembro 17, 2014

A PIOR DEMOCRACIA E A MELHOR DITADURA



Não tem cabimento, num país que 21 anos sufocado pelo autoritarismo militar, que ao menor sinal de crise  numa democracia que ainda está sendo construída, saiam bradando pela volta dos  militares ao poder. Ditadura não resolve nada  e acrescenta novos e graves problemas, entre os quais a censura, a tortura , as prisões e os assassinatos.





Na onda do resultado das eleições, que apresentou um país ideologicamente dividido, começaram as manifestações pelo impeachment da presidente Dilma, quando alguns clamaram pela intervenção militar no governo.

Vamos separar as duas coisas. O impeachment é um instrumento legal, previsto na Constituição, para ser aplicado nos casos de abuso de poder, comportamento imoral e antiético, prática de corrupção, ou incompetência do mandatário. Portanto, desde que existam provas consistentes contra a presidente ,  ficam estabelecidas as condições para que se iniciem os processos político e judiciário pelo seu afastamento.

Isso é uma coisa. Outra coisa, é  a estapafúrdia exigência de uma “intervenção militar”. Esse desejo  revela ignorância do que seja uma ditadura, ou  a convicção  autoritária  de uma parcela da população, que agora se manifesta.

Não tem cabimento, num país que 21 anos sufocado pelo autoritarismo militar, que ao menor sinal de crise  numa democracia que ainda está sendo construída, saiam bradando pela volta dos  militares ao poder. Ditadura não resolve nada  e acrescenta novos e graves problemas, entre os quais a censura, a tortura , as prisões e os assassinatos.

O argumento mais forte usado pelos defensores dos militares no poder é  o de que o governo comandado pelo PT já é de fato uma ditadura de esquerda.Não é, ou, pelo menos, ainda não é. Os sucessivos governos do PT tentaram compuscar  essa democracia, mas não conseguiram. Estamos numa democracia claudicante, mas ainda uma democracia. Bem ou mal, as instituições democráticas estão funcionando. Embora tenhamos  um Congresso corrupto,  partidos políticos fisiológicos, e um Judiciário lento , corporativo e com decisões muitas vezes injustas,  temos também uma imprensa livre, um movimento social ativo, e eleições regulares, com ampla liberdade de voto.

O risco de o Brasil, sob o PT, vir a ser a Venezuela, ou algo pior, existe, não nego. Mas a melhor maneira de se consolidar a democracia  é pela prática contínua e sistemática, procurando aperfeiçoá-la pelos instrumentos  que temos, ou seja, lutando por uma imprensa cada vez mais livre, um Congresso menos corrupto, um Judiciário menos ineficiente.

Na política, como em qualquer outra atividade humana, não existe milagre, mas sim o esforço contínuo, gradual e racional de construção. A democracia está eivada de defeitos, e a nossa democracia, mais ainda. Mas é sempre bom repetir a máxima de que a pior democracia é sempre  melhor do que a melhor ditadura. Ou, como disse   Winston Churchill: "A democracia é a pior forma de governo, exceto todas as outras que têm sido tentadas de tempos em tempos."
171114

Nenhum comentário: