domingo, outubro 12, 2014

GOLPE BAIXO NA CAMPANHA



Sem nenhum pudor, como é do seu estilo, a campanha do  PT partiu para o ataque utilizando-se de todo o seu arsenal, lícito ou ilícito. Sob desespero,  e ante a ameaça concreta de perder o poder conquistado  em 2002, o partido de Lula apela para o golpe baixo, no qual  a mentira,o medo e a chantagem são os métodos mais comuns.

No horário eleitoral, Dilma   se apresenta como a redentora dos pobres e oprimidos  e se refere ao adversário  como o diabo em forma de gente, capaz  de tirar o pão da mesa dos pobres, congelar o salário mínimo, acabar com o Bolsa Família,  aumentar a miséria do  nordestino , e outras maldades do tipo. A campanha petista se utiliza da chantagem emocional  e tenta criar na população uma atmosfera de terror, ante a possibilidade de vitória do PSDB.

Por isso, a ordem é desconstruir, a todo custo, a candidatura de Aécio, tal como fizeram, e conseguiram,  com Marina Silva. Mas quando  insistem em sucessivas   mentiras que, repetidas à exaustão, acabam  se tornando “verdades”, se mostram aplicados alunos de Joseph Goebbels, ministro de Hitler e ideólogo do Nazismo.  

Os ataques  são frágeis, inconsistentes  e facilmente refutados. Aécio não pode se deixar levar pela pauta suja do PT, nem ficar na defensiva. Na verdade, o governo de Fernando Henrique, principal alvo da artilharia petista, trouxe   estabilidade econômica  e   racionalidade administrativa ao país,virtudes  que Lula e sua turma costumam definir como “herança maldita” Mas foi essa estabilidade  o que permitiu a chegada de Lula ao poder. Se de fato  existe uma  “herança maldita” do governo FHC, essa   foi  a ascensão do petismo ao poder, e tudo de ruim que isso trouxe ao país .

121014

Nenhum comentário: