quinta-feira, setembro 18, 2014

TEMAS DESPROPOSITADOS



 Mais um pleito presidencial, e as discussões sobre o aborto, direitos civis dos casais homossexuais ( “casamento gay” ), e legalização da maconha  voltam ao cenário da disputa . Existem candidatos - Luciana Genro, Pastor Everaldo e Eduardo Jorge -  quase  exclusivamente dedicados a esses temas, embora os três principais disputantes – Aécio, Marina e Dilma – tentem evitá-los a todo custo, por polêmicos que são. E com razão,  É  bom que se diga.

 Não que essas questões sejam desimportantes. Mas são, a meu ver,  fora de propósito no contexto de uma disputa presidencial. São questões de foro íntimo, que, por envolver  moral, ética, religião e costumes, e pela carga emocional que carregam, independem  da convicção pessoal do presidente, ou de uma decisão arbitrária do Executivo. Devem ser amadurecidas em  uma ampla e profunda discussão na sociedade  e no Congresso, e decididas através de referendo ou plebiscito.

O fato é que a cada disputa presidencial, o lobby das igrejas católica e evangélicas,   dos movimentos pela liberação das drogas,  pró-aborto,  e pelo direito civis dos gays, ficam mais atuantes  e tentam impor ao debate   os seus  pontos de vista  e as suas reivindicações. O problema é que  , muitas vezes, ofuscam  temas   que realmente interessam sociedade. E o que a sociedade quer é saber  o que cada candidato pretende  a respeito de educação, saúde, transporte, segurança e economia.

Que as questões de conteúdo ético e/ou religioso sejam discutidas a seu tempo e em  fóruns apropriados, a partir do próximo mandato presidencial, independentemente  da visão pessoal que o futuro governante tenha sobre o assunto.
180914

Nenhum comentário: