segunda-feira, setembro 15, 2014

MARINA E OS TUCANOS




Existe a possibilidade de que, num eventual governo Marina Silva, o PSDB venha a se constituir  na principal força de apoio político e técnico à presidente.Tudo em nome da chamada governabilidade.

Marina não terá muita escolha. O partido a  que esta filiada, é fraco, e a candidata não se sente à vontade nele. O seu real partido, Rede Sustentabilidade,  crescerá muito com a ascensão de sua líder, mas, por outro lado,será alvo da cobiça de políticos oportunistas e fisiológicos. Além disso, a sua consolidação como partido forte e influente não se fará de um momento para o outro.

Quanto aos dois partidos atualmente hegemônicos – PT e PSDB -, os ataques sistemáticos do PT não só ao programa da candidata, mas também à pessoa de Marina Silva, são indicativos  muito fortes de que, derrotado nas urnas, se colocará em  oposição  ao governo.  A não ser, é claro, que Lula, por um suposto apreço a Marina , ou por conveniência política, decida o contrário.

Resta o PSDB. Apesar de Aécio Neves ter afirmado que os tucanos serão oposição, por “decisão das urnas”, é certo que alguns caciques  do partido, inclusive Fernando Henrique, vêem com simpatia a hipótese de colaborar informalmente, ou mesmo apoiar institucionalmente o provável  governo de Marina.

Em defesa dessa opção, argumentam que as idéias econômicas da candidata, principalmente a da autonomia do Banco Central, estão muito próximas ao que os tucanos sempre defenderam. Portanto a  possibilidade existe. É esperar para ver. Mas, para isso, as urnas terão que confirmar o que as últimas pesquisas  vêm anunciando.
150914

Nenhum comentário: