segunda-feira, agosto 11, 2014

A VOZ E O VOTO




A campanha eleitoral é , quase sempre, uma via de mão única, do candidato para o eleitor. Recheada de promessas demagógicas, projetos mirabolantes e propostas impraticáveis, sob  a moldura de propagandas sofisticadas, caras e artificiais, elaboradas  por marqueteiros contratados a peso de ouro

Os candidatos deveriam falar menos e ouvir mais. Prometer menos e escutar melhor  as queixas, reivindicações e sugestões de entidades profissionais, economistas, movimentos sociais, empresários, profissionais liberais,operários, artistas e quem mais queira participar de forma ativa do processo eleitoral. Receber do cidadão não apenas o voto, mas também a voz.

O eleitor brasileiro certamente tem muito a dizer sobre a estagnação econômica, a inflação crescente, os altos impostos, a burocracia asfixiante, a péssima qualidade dos serviços básicos, a violência urbana, a ineficiência da justiça, e a corrupção na política.

Mas os políticos não sabem, ou não gostam, de ouvir a voz do eleitor. Suas agendas não são as mesmas do cidadão. Enquanto a sociedade vê a política com instrumento da promoção do bem comum, para muitos dos candidatos  é um meio de aquisição de poder, prestígio e riqueza pessoal. Por isso, os papéis precisam ser invertidos, e a sociedade deve deixar de ser coadjuvante e passar a protagonista, se fazendo  ouvir nesse processo eleitoral.
110814