quinta-feira, julho 10, 2014

"O PIOR PAÍS DO MUNDO"




O baixo-astral que tomou conta do país após a derrota para a Alemanha confirmou que a auto-estima dos brasileiros muitas vezes é regulada pelo desempenho da seleção da CBF nos gramados. Massacrados a por uma massiva campanha nos meios de comunicação patrocinada por empresas estatais e privadas, os brasileiros foram levados a crer  que estávamos a caminho do hexa, que praticávamos o melhor futebol do mundo, que Neymar só era inferior a Pelé, e que os adversários , um a um , cairiam de joelhos ante a nossa superioridade. Quando, após a derrota por 7x1 para a Alemanha, se viu nada disso era verdadeiro  , os brasileiros foram do céu ao inferno em menos de vinte minutos, e estão se achando  o pior país do mundo.  

Bobagem: não somos o pior país do mundo. Se fôssemos, certamente não seria por causa  do   fraco desempenho futebolístico, mas muito mais  pela péssima qualidade da educação, pela violência impune que domina nossas cidades, pelo caótico serviço de saúde pública, pelo  transporte público ineficiente e oneroso, pela justiça falha e vagarosa. Enfim, por décadas de administrações incompetentes e corruptas que durante vêm afundando o país e conduzindo-o à porta de entrada do inferno.

Mas não entramos no inferno. Mesmo juntando todas as nossas mazelas e deficiências, ainda não chegamos ao topo do ranking da ruindade. Mas poderemos chegar lá, se o nosso ufanismo se limitar aos dias de disputa do Mundial. Ou se continuarmos a acreditar que  a eventual perda de um título esportivo é  mais trágica do que as derrotas  que sofremos cotidianamente  no campo da luta  por uma sociedade mais justa e digna e um governo mais decente.
100714

Nenhum comentário: