segunda-feira, maio 05, 2014

FRUTOS PODRES

FRUTOS PODRES
É verdade que nem todos os problemas que vêm marcando o seu governo são de sua exclusiva responsabilidade. Muitos foram herdados de seu antecessor e padrinho político, que, aliás, continua fazendo sombra permanente sobre o seu mandato. Dilma   poderia ter rompido com muitos dos maus costumes herdados de Lula, mas, sem coragem e independência, preferiu permanecer fiel ao estilo do chefe, e acrescentou uma série de outros erros.


Nos últimos três anos e meio, o governo Dilma Rousseff acrescentou  uma série de erros e problemas aos que foram herdados do governo anterior. A avaliação negativa do seu mandato começa agora a se refletir nas mais recentes pesquisas de opinião, que indicam uma forte possibilidade de realização de  um segundo turno nas eleições deste ano.

É verdade que nem todos os problemas que vêm marcando o seu governo são de sua exclusiva responsabilidade. Muitos foram herdados de seu antecessor e padrinho político, que, aliás, continua fazendo sombra permanente sobre o seu mandato. Dilma   poderia ter rompido com muitos dos maus costumes herdados de Lula, mas, sem coragem e independência, preferiu permanecer fiel ao estilo do chefe, e acrescentou uma série de outros erros.

Sob o seu comando, o país entrou em desaceleração econômica, passou a sentir os efeitos do avanço contínuo e gradativo da inflação, e a mergulhar numa crise  energética. Mas não foi só isso: Dilma que foi alçada ao poder sob a fama de administradora durona e eficiente, capaz de consertar com mão de ferro  os desatinos da administração pública, se revelou  uma governante tímida, indecisa  e precocemente dedicada à causa de sua reeleição.

O resultado de tudo isso são  contas públicas em situação de descontrole, para o qual o governo só encontra remédio na manutenção de uma pesadíssima carga tributária. A infra-estrutura permanece precária, inviabilizando o setor produtivo e dificultando a mobilidade  urbana. A Eletrobras  e a Petrobras   transformadas  em cabides de emprego e instrumentos políticos nas mãos do PT,   vitimadas por gestões incompetentes e fraudulentas, como provam   a crise no setor de geração de energia e a mal explicada compra da refinaria de Pasadena.

A Copa do Mundo  de futebol que foi imaginada  como um grande presente do governo petista ao povo, perdeu o seu charme e provocou revolta quando da revelação dos absurdos gastos para a sua realização, e do  contraste  entre o luxo das modernas arenas construídas com dinheiro público e a pobreza e o abandono  dos postos de saúde e das escolas.

Por tudo isso, Dilma começa a colher os frutos podres de sua gestão. Enquanto, no campo adversário, a presidente assiste a Aécio e Campos  crescerem  nas pesquisas, no seu próprio campo vê o movimento “Volta, Lula” ganhar cada vez mais espaço. Para muitos observadores, só mesmo um milagre pode fazer Dilma assumir um segundo mandato, em 2015.

050414

Nenhum comentário: