sexta-feira, maio 30, 2014

PIZZA BEM RECHEADA



PIZZA BEM RECHEADA
Continua em funcionamento no Senado, a farsa montada pelo PT e aliados, que recebe o nome de CPI da Petrobras. Inicialmente projetada pela oposição com o propósito de investigar as falcatruas cometidas na estatal, em especial  a  compra da refinaria de Pasadena, a CPI acabou   totalmente controlada pelos governistas com o propósito de “provar”que nenhuma irregularidade foi cometida.

Os  depoimentos tomados até agora não foram além do que os depoentes já haviam declarado em outras comissões do Senado e da Câmara. Mas também nenhum parlamentar presente forçou-os a ira além. Com a ausência de parlamentares da oposição, a pizza está sendo caprichosamente recheada pelos pizzaiolos do governo, para alegria de Dilma e Lula. 
300514

quinta-feira, maio 29, 2014

PARA ALEGRIA DOS MENSALEIROS



Joaquim Barbosa deixa o STF, em  junho, para a alegria dos petistas  e felicidade geral dos mensaleiros. Na sua passagem pelo Supremo, JB conquistou a admiração de muitos, mas também ganhou a fama de autoritário e arbitrário, colecionou desafetos, e não era confortável a sua convivência  com os demais ministros.Problemas de saúde também afetaram o seu desempenho na Corte.

A sua atuação no processo do mensalão lhe angariou uma rede de inimigos e outra de admiradores, muitos dos quais passaram a considerá-lo uma espécie de salvador da pátria.Chegou a ser sugerido como candidato a alguma cargo político nas próximas eleições, mas  perdeu a oportunidade de se filiar a algum partido a tempo de concorrer.


Num país acostumado à impunidade de políticos e de empresários, e à conivência do Judiciário com as  mazelas do andar de cima de nossa sociedade, JB  ganhou fama de polêmico. Essa fama não teria sentido se os magistrados do Brasil cumprissem a sua tarefa constitucional com honestidade e isenção.
290514

segunda-feira, maio 26, 2014

REALIDADE E FICÇÃO





REALIDADE E FICÇÃO
  
Essa campanha eleitoral é uma ótima oportunidade para que candidatos e eleitores discutam temas fundamentais. Afinal, o que interessa ao cidadão é saber se ele será capaz de estudar, trabalhar, produzir e descansar num país com segurança, impostos decentes, burocracia mínima,  transportes eficientes, escolas de qualidade e sistema de saúde que funcione.  Atributos que o Brasil não tem.


Enquanto o mundo real se indigna com os altos impostos,  com as filas de atendimento nos hospitais, as escolas que nada ensinam, o trânsito caótico e a violência  revoltante, o mundo ficcional no qual  os políticos habitam, se preocupa com conchavos, acordos, financiamento de campanhas e alianças para a disputa por mais um período de poder.

É incrível como os nossos políticos, mesmo em época eleitoral, ficam afastados da realidade.Como são capazes de dizer coisas que nada tem a ver com as preocupações diárias do cidadão. Falam como se tivessem o dom da verdade absoluta e a fórmula mágica para salvar o país que eles mesmos levam ao chão. Não têm a humildade de indagar ao cidadão suas dificuldades e aflições.

Dilma e a turma doPT não parecem não ter  entendido o recado dado pelas manifestações do ano passado, e continuam a se comportar como se nada tivesse ocorrido. A gastança desenfreada  e o desperdício continuam a todo vapor, e a Copa é apenas, infelizmente, o exemplo maior de uma prática que se tornou corriqueira.

As obras do PAC, para citar outro exemplo de desperdício e corrupção, continuam atrasadas causando ao país um prejuizo de R$28 bilhões, valor próximo ao que se estima gastar para a realização da Copa. Isso apenas num grupo de seis projetos analisados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Dentre os projetos em atraso se destacam as obras de transposição do São Francisco e construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol).

Essa campanha eleitoral é uma ótima oportunidade para que candidatos e eleitores discutam temas fundamentais. Afinal, o que interessa ao cidadão é saber se ele será capaz de estudar, trabalhar, produzir e descansar num país com segurança, impostos decentes, burocracia mínima,  transportes eficientes, escolas de qualidade e sistema de saúde que funcione.  Atributos que o Brasil não tem.
260514

segunda-feira, maio 05, 2014

FRUTOS PODRES

FRUTOS PODRES
É verdade que nem todos os problemas que vêm marcando o seu governo são de sua exclusiva responsabilidade. Muitos foram herdados de seu antecessor e padrinho político, que, aliás, continua fazendo sombra permanente sobre o seu mandato. Dilma   poderia ter rompido com muitos dos maus costumes herdados de Lula, mas, sem coragem e independência, preferiu permanecer fiel ao estilo do chefe, e acrescentou uma série de outros erros.


Nos últimos três anos e meio, o governo Dilma Rousseff acrescentou  uma série de erros e problemas aos que foram herdados do governo anterior. A avaliação negativa do seu mandato começa agora a se refletir nas mais recentes pesquisas de opinião, que indicam uma forte possibilidade de realização de  um segundo turno nas eleições deste ano.

É verdade que nem todos os problemas que vêm marcando o seu governo são de sua exclusiva responsabilidade. Muitos foram herdados de seu antecessor e padrinho político, que, aliás, continua fazendo sombra permanente sobre o seu mandato. Dilma   poderia ter rompido com muitos dos maus costumes herdados de Lula, mas, sem coragem e independência, preferiu permanecer fiel ao estilo do chefe, e acrescentou uma série de outros erros.

Sob o seu comando, o país entrou em desaceleração econômica, passou a sentir os efeitos do avanço contínuo e gradativo da inflação, e a mergulhar numa crise  energética. Mas não foi só isso: Dilma que foi alçada ao poder sob a fama de administradora durona e eficiente, capaz de consertar com mão de ferro  os desatinos da administração pública, se revelou  uma governante tímida, indecisa  e precocemente dedicada à causa de sua reeleição.

O resultado de tudo isso são  contas públicas em situação de descontrole, para o qual o governo só encontra remédio na manutenção de uma pesadíssima carga tributária. A infra-estrutura permanece precária, inviabilizando o setor produtivo e dificultando a mobilidade  urbana. A Eletrobras  e a Petrobras   transformadas  em cabides de emprego e instrumentos políticos nas mãos do PT,   vitimadas por gestões incompetentes e fraudulentas, como provam   a crise no setor de geração de energia e a mal explicada compra da refinaria de Pasadena.

A Copa do Mundo  de futebol que foi imaginada  como um grande presente do governo petista ao povo, perdeu o seu charme e provocou revolta quando da revelação dos absurdos gastos para a sua realização, e do  contraste  entre o luxo das modernas arenas construídas com dinheiro público e a pobreza e o abandono  dos postos de saúde e das escolas.

Por tudo isso, Dilma começa a colher os frutos podres de sua gestão. Enquanto, no campo adversário, a presidente assiste a Aécio e Campos  crescerem  nas pesquisas, no seu próprio campo vê o movimento “Volta, Lula” ganhar cada vez mais espaço. Para muitos observadores, só mesmo um milagre pode fazer Dilma assumir um segundo mandato, em 2015.

050414