segunda-feira, fevereiro 10, 2014

TIRANDO A MÁSCARA
A certeza de impunidade  tem levado a situações cotidianas em que imperam o desrespeito, a desordem e a barbárie. Pode ser constatada tanto pela  corrupção sistemática na política,  quanto pela  violência urbana que pesa sobre as  pessoas de bem. Esse sentimento de impunidade tem agora contaminado os protestos, e transformado  justas manifestações de   contra as mazelas governamentais em atos de pura violência e de vandalismo, que culminaram, na última semana,  com a perda da vida de um cinegrafista da TV Bandeirantes, no Rio de Janeiro.


Neste caso, a suspeita recai sobre ativistas dos autodenominados “black blocs”, cujos métodos  agressivos  têm  levado os que protestam  de forma ordeira  e democrática a pensar se vale a pena  ir a ruas e correr o risco de ter a cabeça detonada, como aconteceu com o jornalista. E , ao final,faz a alegria dos governantes, pois desmobiliza a oposição.

Afinal, o que querem os mascarados? Estariam  a serviço de quais interesses políticos , de quais ideologias? Seriam parte de um pensamento político consistente ou simplesmente arruaceiros sem causa?

Costumam se auto definir  “anarquistas”.  São antidemocráticos  e se juntam para confrontar a polícia, bem como atacar e destruir propriedades privadas que representem “a opressão gerada pelo capital”. Seus métodos de ação muitas vezes os afastam das teorias clássicas do Anarquismo e os aproximam dos métodos de ação nazi-fascistas. As investigações a respeito do assassinato do jornalista talvez tragam alguma luz e ajudem a , literalmente, desmascarar essa gente.

100214

Nenhum comentário: