quarta-feira, julho 31, 2013

VADIAS NA JMJ

 Nada tenho contra o tal "movimento das vadias". Elas - e eles - devem ter os seus motivos para protestar, embora a sociedade  já seja bastante permissiva.O alvo do último protesto da turma foi a visita do Papa e o encontro da juventude católica, no Rio. A forma como foram feitas as manifestações passou do protesto ao desrespeito grotesco, numa afronta despropositada aos católicos presentes ao encontro.

Afinal, o que eles queriam? Manifestar-se contra os dogmas e as orientações da Igreja, em relação ao aborto, casamento gay, castidade? Essas orientações seculares são dirigidas aos católicos, e a  Igreja   não obriga os não católicos a segui-la. Mas milhões de pessoas a seguem por alguma razão especial.

O mundo é um complexo enigma, e cada um procura a sua explicação existencial. Embora não religioso,  defendo o  à livre manifestação religiosa. As vadias que permaneçam vadias, mas não confundam liberdade de manifestação com grosseria.

Nenhum comentário: