segunda-feira, junho 24, 2013

DAS RUAS ÀS URNAS



 Preocupa o fato de que, em algumas manifestações, o alvo dos protestos  venha sendo o próprio sistema democrático e representativo. O rancoroso discurso “contra tudo e contra todos “ imposto por uma minoria extremista, evidenciando que, para eles, não basta  reformular o sistema, mas sim mudá-lo.  Tal discurso  falacioso interessa  aos que enxergam no autoritarismo e no totalitarismo  - de esquerda e de direita – a cura de todos os males políticos e sociais.


DAS RUAS ÀS URNAS
As manifestações  que tomam as ruas  do país podem se prolongar, pelo menos, até o final da Copa das Confederações. Políticos se amedrontam, e  analistas políticos,  atônitos,   se divergem ao explicar  o surpreendente movimento cujo início se deu com  manifestações pela redução no preço das passagens de ônibus, em São Paulo. A insatisfação popular, até então contida,   se avolumou de tal modo, que ganhou a dimensão de um gigantesco protesto contra as mazelas da política brasileira e, em alguns casos, contra o próprio sistema.

Pela primeira vez, os partidos políticos foram colocados  à margem de manifestações políticas e, em muitos casos,  foram alvos da ira dos manifestantes . Partidos e grupos  de extrema esquerda tentaram influenciar os rumos dos acontecimentos mas foram repudiados pela maioria dos participantes. Os grandes partidos – PT, PSDB e PMDB -, em estado de choque, preferiram assistir de longe a evolução dos fatos, embora o presidente do PT, Rui Falcão, numa atitude insana, tenha insuflado os seus militantes à irem às ruas e se contraporem ao movimento. Contraproducente  e inútil, porque o PT é  um dos principais responsáveis pelas mazelas que levaram centenas de milhares ao movimento de protesto.   

Pela ausência de lideranças visíveis e de uma pauta de reivindicações objetivas e pontuais,  o movimento começa a tomar rumos imprevistos e, por isso,  preocupantes. Tomado por grupos de extremistas e arruaceiros, a palavra de ordem tem sido, ainda que como exceção, o vandalismo e a destruição de edificações públicas e propriedades privadas.

Suspeita-se de que interesses políticos contrariados pelas manifestações pacíficas estão,  de alguma maneira, dando combustível ou fazendo vista grossa ao comportamento violento dos vândalos. Afinal, a quem interessa o enfraquecimento e a desmoralização do movimento?    Felizmente, a população tem sabido distinguir o joio do trigo, e repudiado a ação dos  baderneiros e extremistas.

 Preocupa também o fato de que, em algumas manifestações, o alvo dos protestos  venha sendo o próprio sistema democrático e representativo. O rancoroso discurso “contra tudo e contra todos “ imposto por uma minoria extremista, evidenciando que, para eles, não basta  reformular o sistema, mas sim mudá-lo.  Tal discurso  falacioso interessa  aos que enxergam no autoritarismo e no totalitarismo  - de esquerda e de direita – a cura de todos os males políticos e sociais.

O problema é que essa minoria de sectários,  na tentativa de  impor a sua ideologia ao movimento,  passe a desvirtuar  a essência do movimento, que nasceu, é sempre bom frisar, da justa indignação da classe média com o desgoverno do Brasil .
O fato é que não existe salvação fora da democracia representativa, e , digo convicto, do capitalismo, embora reconheça que ambos estão eivados de falhas e descaminhos que podem ser corrigidos pela pressão permanente da sociedade sobre os agentes públicos, quando estes se mostram incompetentes para tal. Afinal, mazelas como  deficiências dos serviços públicos,  corrupção,  distanciamento dos políticos da população e impunidade, apontadas nas manifestações, não são inerentes ao sistema capitalista, nem ao regime representativo, mas circunstâncias  negativas do funcionamento desses sistemas econômico e político, e , portanto, corrigíveis.

Politicamente, as manifestações começam a produzir os seus efeitos e as suas vítimas, a começar pela presidente Dilma Rousseff. Foi pífia  e tardia a sua reação  aos acontecimentos: limitou-se a um discurso vago,  evidentemente elaborado por marqueteiros, no qual ela repete promessas que soam risíveis para quem está  no seu terceiro ano de mandato. A um ano das eleições, o estrago na popularidade da petista só  não será maior se a oposição  continuar a mostrar a mesma incompetência  que demonstrou  ao longo dos dois governos do PT.

É bom que as manifestações terminem  no tempo certo pela vontade dos próprios manifestantes e  com força suficiente para uma possível retomada, caso o establishment  político  e institucional não apresente respostas satisfatórias  às reivindicações . Algumas  podem ser executadas  imediatamente: a votação da PEC 37, que retira o poder de investigação do Ministério Público, a conclusão imediata do julgamento dos mensaleiros , com a prisão dos condenados, e o pontapé inicial da reforma política. Outras, como as reformas no sistema público de saúde e educação, de médio e longo prazos podem  ser assumidas a partir de  projetos objetivos  que terão de ir além  das  indefinidas promessas de destinar recursos do pré sal para a educação.

A continuidade dos propósitos da  grande mobilização   se dará  no próximo ano, pelas urnas. Não haverá sentido se toda essa indignação   não se traduzir  numa renovação dos  atores e das práticas  políticas , no sentido de fazer-la  efetivamente voltada para o bem coletivo, pautada pela ética e pelo espírito público.
240613

4 comentários:

Ninfeia G disse...

Mas quem serão sses atores?
Essa é a grande questão.
Manifstar-se nas urnas é algo bom mas teriamos quet er alternativas boas. E não temos!

Ninfeia G disse...

Não foram só os aprtidos e grupos de extrema esquerda mas os de extremad ireita tb estão tentando influenciar. Parece até que existe um coluio entre a extrema esquerda e a extrema direita contra o PT, claro. O epcador é ele e só ele! Nada pior ou igual antes e é claro, tudo de bom dessa extrema esquerda+ extrema direitas reunidas, depois! Essa é a minha visão.
Mas éa ssustador voce dizer que não existe salvação fora do capitalismo( ou democracia representativa) eur ealmente me recuso a aacreditar nisso.
Mas gostei dot eu texto porque ele é esclarecedor apesar de ser "de direita"(rs) Na verdade eu duvido da esquerda e essa extrema que está ai unida com a extrema direita não apssa de gente reviosinista, contra revolucionária. Então, em quem confiar ? Quem pdoerá dirigir os destrinos da nação em 2014? Eu sabia queessa corja de parlamentares ganhava BEEEEMMMMM mas não tinha em atentado para o 15 salário! Fui jovem not empo que faziamos concurso para o Banco da Amazonia aqui em belém proque era um empregão, pagava 14 sal´rio. O Collor acabou com esses" benefícios" e tb com aquele lance de colocar o dinheiro de noite e de mnhã ter o dobro. Claro, ele desagradoua té a quem o colocou lá e ai armaram e deu no que deu. Só não armaram contra o FHC Eita cara esperto, dá até para tirar o chapéu.Vendeu tudo o que é nosso e continua ai a arrotar intelectualidade. E no final sobrou para um aprtido que a classe média nunca aceitou que crescesse tanto e chegasse ao poder Imagina- catador de laranjas de estação de trem e guerrilheira???Isso é inadmissível em um país que nunca perdeu os ranços da ditadura empresarial/militar.Não sei como ainda não fopi pras ruas a réplica da Marcha da Familia por Deus e pela Liberdade!!!Anubnciaram na internet!!!Eu hein!!!

Ninfeia G disse...

Não foram só os partidos e grupos de extrema esquerda mas os de extrema direita tb estão tentando influenciar. Parece até que existe um conluio entre a extrema esquerda e a extrema direita contra o PT, claro. O pecador é ele e só ele! Nada pior ou igual antes e é claro, tudo de bom dessa extrema esquerda+ extrema direitas reunidas, depois! Essa é a minha visão.
Mas é assustador voce dizer que não existe salvação fora do capitalismo( ou democracia representativa) eu realmente me recuso a aacreditar nisso.
Mas gostei do teu texto porque ele é esclarecedor apesar de ser "de direita"(rs) Na verdade eu duvido da esquerda e essa extrema esquerda que está ai unida com a extrema direita não passa de gente reviosinista, contra revolucionária. Então, em quem confiar ? Quem poderá dirigir os destinos da nação em 2014? Eu sabia que essa corja de parlamentares ganhava BEEEEMMMMM mas não tinha em atentado para o 15º salário! Fui jovem no tempo que faziamos concurso para o Banco da Amazonia aqui em Belém poRque era um empregão, pagava 14 salario. O Collor acabou com esses" benefícios" (porque era algo absurdo)e tb com aquele lance de colocar o dinheiro de noite e de manhã ter o dobro. Claro, ele desagradou até a quem o colocou lá e ai armaram e deu no que deu. Só não armaram contra o FHC (E ita cara esperto), dá até para tirar o chapéu.Vendeu tudo o que é nosso e continua ai a arrotar intelectualidade. E no final sobrou para um partido que a classe média nunca aceitou que crescesse tanto e chegasse ao poder Imagina- catador de laranjas de estação de trem e guerrilheira???Isso é inadmissível em um país que nunca perdeu os ranços da ditadura empresarial/militar.Não sei como ainda não foi pras ruas a réplica da Marcha da Familia por Deus e pela Liberdade!!!Anunciaram na internet!!!Eu hein!!!

Laércio SP disse...

Uma semana de manifestações já surtiu efeitos positivos que os 10 anos de Lula + Dilma não fizeram. Agora vai ser assim: se os políticos continuarem passivos o povo volta pra rua.