segunda-feira, maio 07, 2012

MOSTRAR OU ESCONDER?

A CPMI constituída com o anunciado propósito de investigar as ramificações, no mundo da política e da magistratura,  das atividades  criminosas do contraventor Carlinhos Cachoeira, já  deixou evidente  que está mais disposta a esconder do que a mostrar a verdade.

A começar pelo currículo e pela vida pregressa de grande parte dos deputados e senadores  da Comissão. Não se deve esperar muita coisa de um colegiado que tem , por exemplo, Fernando Collor como uma das figuras mais influentes.
Interesses diversos movem os parlamentares dessa comissão, menos  o de promover uma faxina ética no que tange a relação entre contraventores  espertalhões, empreiteiros oportunistas e políticos desonestos.

A Comissão  servirá de palco para o sempre presente desfile  de vaidades,  a eterna rivalidade entre o PT e o PSDB, a próxima disputa eleitoral, e o dedicado trabalho de governistas em blindar o governo Dilma de qualquer respingo do esquema de  Carlos Cachoeira.

A importância da CPMI somente não pode ser completamente subestimada se tiver a contrapartida da cobrança  sistemática da opinião pública ou se os tentáculos  de Carlos Cachoeira tiverem uma dimensão muito maior do que se imagina. Nesse caso,  as tentativas de se esconder o que não pode mais ser escondido resultarão em fracasso. Para o nosso bem.
070512


Um comentário:

Rosena disse...

Pelo menos metade desse pessoal devia estar na cadeia, A começar pelo chefe da quadrilha Colllllor.