segunda-feira, janeiro 30, 2012

CENÁRIO DE GUERRA

 O autêntico cenário de guerra e destruição percorreu o mundo  pela imprensa e pela internet,  reforçando  a imagem do Brasil como país onde a desigualdade social e o desrespeito aos direitos humanos são rotineiros. Politicamente, poderá ter sobre o governo de Geraldo Alckmin o mesmo efeito que o massacre do Carandiru teve sobre o de Antonio Fleury.
CENÁRIO DE GUERRA

É impossível não se indignar com a truculência com que foi cumprida a ordem de reintegração de posse da favela de Pinheirinho, em São José dos Campos. Ação desastrada, truculenta e desumana, que reflete a negligência, incúria e irresponsabilidade  com que o  Poder Público  - Justiça, governos municipal e estadual - lida com os graves problemas sociais. Na incapacidade de buscar uma solução sensata, prefere-se seguir  a máxima de que " a questão social é um caso de polícia", frase atribuída ao presidente Washington Luis.

A área começou a ser invadida  no início deste século e nada foi feito para cortar o mal na raiz. Como acontece em casos semelhantes pelo Brasil afora, governo e justiça permaneceram inertes diante do crescimento da ocupação, e o que era apenas uma incipiente prática ilegal passou a ser um gigantesco problema social.

A Justiça, com a lerdeza de sempre, ao determinar a imediata desocupação, agiu sem considerar as graves consequências, e o governo cumpriu a ordem judicial com uma força desproporcional. O resultado foi um cenário de guerra, com casas arrasadas, móveis destruídos, famílias atiradas ao desabrigo ou refugiadas em abrigos improvisados. Mulheres, crianças e idosos entregues à própria sorte graças à incompetência de homens que deveriam zelar pela harmonia social.

Invasões  de terrenos privados   devem, sim, ser   alvos de contestação na Justiça. O que não pode é o poder público deixar que a bola de neve se avolume. Caso aconteça, providenciar para que o ato de desocupação se faça da maneira menos traumática. Em São José dos Campos, o governo poderia   ter desapropriado a área, administrado a retirada gradativa dos moradores, ou  providenciado novas moradias . Mas fez a pior escolha ao optar pela  prática da terra arrasada

O autêntico cenário de guerra e destruição percorreu o mundo  pela imprensa e pela internet,  reforçando  a imagem do Brasil como país onde a desigualdade social e o desrespeito aos direitos humanos são rotineiros. Politicamente, poderá ter sobre o governo de Geraldo Alckmin o mesmo efeito que o massacre do Carandiru teve sobre o de Antonio Fleury.
300112

Um comentário:

Ildo disse...

O PT tá deitando e rolando com o acontecido.Tb errar como os tucanos erram , principalmente os de SP, é dar mun ição para o inimigo.