segunda-feira, setembro 26, 2011

O CAMINHO MAIS FÁCIL

Ao apelar para a criação de mais um imposto, o governo do PT revela a sua indisposição em  cortar na própria carne, e, dessa forma, contrariar um dogma que faz parte da  essência do partido: o de que governar é tomar dinheiro dos que produzem, para alimentar um número cada vez maior de parasitas do Estado. 
O CAMINHO MAIS FÁCIL
O fato de o PT ter votado pela criação de um imposto específico para financiar a Saúde não surpreende aqueles   que acompanham a história do partido de  Lula. Esses não desconhecem o fato de que o partido  sempre fez do   aumento de impostos , sob o pretexto de resolver as graves questões sociais,  uma bandeira de governo. Por isso, não causa estranheza o fato de que o governo petista recorra ao caminho mais fácil quando o quadro da saúde pública se mostra cada vez mais caótico.

O PT está há  quase uma década no poder, e teve tempo e recursos suficientes para implementar um choque de gestão no setor. Se não o fez, ou foi por incompetência, ou porque não quis. É bom lembrar que  a extinta CPMF abarrotou  os cofres do governo com a mesma alegada intenção.Entretanto, a população  que enfrenta filas nas portas dos hospitais e postos de saúde não viu a suposta destinação dos recursos se concretizar  em melhor qualidade no atendimento hospitalar.

Ao apelar para a criação de mais um imposto, o governo do PT revela a sua indisposição em  cortar na própria carne, e, dessa forma, contrariar um dogma que faz parte da  essência do partido: o de que governar é tomar dinheiro dos que produzem, para alimentar um número cada vez maior de parasitas do Estado. A carga tributária - beirando os 40% do PIB - é uma das mais altas e injustas do mundo, pois que não reverte em benefícios para a sociedade.

Não por acaso, quanto mais reclama da falta de recursos para financiar a Saúde, mais difícil se torna explicar ao  grande público o fato de como um país tão carente   num setor tão vital  pode torrar bilhões de reais na promoção de um torneio de futebol.

Recursos para a Saúde não faltariam se o Orçamento da União fosse mais bem administrado. Para isso, estariam os parlamentares dispostos a abrir mão de suas emendas eleitoreiras?Estaria o governo disposto a combater os focos de corrupção, a fechar os ralos do desperdício, e acabar com o empreguismo no setor público? Quem sabe  depois de fazer o dever de casa, tivesse moral para argumentar a favor de um novo imposto.
260911

2 comentários:

Coerência do PT disse...

Não existe nenhuma decisão do governo pela criação da CSS. O governo apenas diz que quando se cria uma nova despesa tem que se indicar a fonte dessa despesa. Isso é muito lógico. O Congresso fez a emenda 29, e agora quer fugir da sua responsabilidade. O PT foi coerente, ao contrário do que seu artigo diz.

nidia disse...

Não acredito nas boas intenções do Pt nem de nenhum outro partido. Todos estão infiltrados por indivíduos sem carater, interessados em se dar bem e ROUBAR o maximo que der dos cofres públicos enquanto estiverem com as mãos na grana. É notório que a saúde não precisa de mais recursos!!!!! gente, vamos encarar a realidade. É tanto dinheiro desviado, em todos os níveis do governo, que se fosse administrado com responsabilidade daria pra se ter uma saúde 100% no Brasil. O governo quer arrecadar mais pra poder dar conta de tapar os buracos dos rombos feitos pelos políticos. Precisamos dar um jeito de parar com essa palhaçada. Esse pessoal já perdeu a noção e a vergonha. Eles pensam que estão enganando quem????? inclusive a presidente que posa de bem intencionada mas reza na cartilha dos "poderosos bandidos" como diz o ditado: de boas intenções o inferno está cheio. Fala sério, pelo amor de Deus!!!!! como será que vamos acabar com esse absurdo???? tenho certeza de que se for aprovado o novo imposto a saúde não vai mudar nada!!!!