terça-feira, setembro 13, 2011

CORRUPÇÃO E CIDADANIA

Manifestações contra a corrupção e pela moralidade pública são bem vindas, mesmo quando marcadas pela falta de objetividade e por  certo grau de ingenuidade, como as que ocorreram na semana passada. Afinal, corrupção no Brasil tem rosto, nome e endereço conhecidos, embora os manifestantes a tenham tratado de modo muito genérico. Ou seja,  ao evitar de  dar nomes aos bois, livrou a cara de notórios malfeitores públicos  e de governos que praticam as malfeitorias.

Neste país, a corrupção pode ser considerada fruto tanto da existência de muita gente disposta a corromper e ser corrompida, quanto de um sistema político e estatal feito sob medida para a  prática da roubalheira generalizada.O Estado brasileiro, como sabemos , sofre de gigantismo  crônico e por isso é extremamente burocratizado, oneroso e gastador. Um convite para que os atos de improbidade se multipliquem longe do alcance da fiscalização.

O nosso sistema político, sustentado na troca de favores entre o governo e os partidos, ou entre o Executivo e o Congresso, é um campo fértil para  o fisiologismo e suas práticas danosas que envolvem propinas e  mensalões, como cansamos de assistir no governo Lula  Mas todo esse quadro seria menos  ruim não fosse a ineficiência do Judiciário, a nos garantir a certeza da impunidade.

Entretanto, nem tudo está perdido. Existe luz no fim do túnel a sugerir que o mal  será reduzido significativamente na medida em que a sociedade se mobilize. Será preciso que a corrupção seja alvo de um choque de cidadania. Para isso, é fundamental que a sociedade se mobilize a forçar a redução do tamanho do estado e fazê-lo agir no sentido de atender às necessidades básicas da população.

A escolha de representantes mais qualificados nos legislativos e nos executivos é outro passo fundamental para reverter o atual quadro de deterioração moral do sistema público. É um trabalho árduo, a ser praticado de maneira lenta, gradual e contínua, e que requer   acentuada melhoria educacional da população, É uma tarefa difícil, mas  não impossível.
120911

4 comentários:

Julio Diniz disse...

A questão da corrupção vai muito além do seu texto, amigo, filosófica e históricamente, sou maquiavélico em relação a politica, não no sentido pejorativo, mas acredito que os fins justifiquem SIM os meios. Concordo, vamos fazer algo, o Brasil ainda dá! Vamos assistir menos televisão e pensar mais. Uma nova revolução? Aos poucos? Não sei como vai ser, mas boto fé. Parabéns pelo texto.

nidia disse...

Olá Fernando
A possibilidade de reversão do quadro atual é ainda utopia. Acredito que a coisa chegou onde chegou com permissão do povo. Grande parte da população é corruptível e boa parte a pratica de forma ativa ou passiva. Infelizmente isso já faz parte da personalidade de grande parte dos brasileiros. Isso não quer dizer que devamos ficar de braços cruzados. Vamos, cada um de nós fazer a nossa parte com as possibilidades que temos, só que penso que essa mudança vai demorar décadas...Abç

Fernando Soares disse...

Ólá Nidia. A solução de todas as mazelas brasileiras passa pela Educação de qualidade. Nossos políticos não querem isso.Por consequência, ficamos dando murro em ponta de faca e a situação só piora.Abs.

nidia disse...

Acho que o cenário está mudando, muito lentamente mas está. E não é por conta do governo. Desse ñ podemos esperar nada. Acredito que a mudança deverá ser de baixo para cima, como está acontecendo felizmente, e nós temos um papel importante nisso. Não podemos deixar escapar qualquer oportunidade de colocarmos em cheque os falsos valores.