segunda-feira, maio 30, 2011

TUTELADA?

A blindagem de um ministro que está sob forte ataque e se nega a explicar o, até agora, inexplicável, desgasta moral e politicamente o governo, o faz refém do Congresso, e sem crédito junto aos cidadãos. Tal comportamento se revela inútil, uma vez que chegará o momento em que terá que afastar o seu auxiliar, sob pena de fornecer à oposição, que anda carente de discurso,um palanque permanente.
TUTELADA?

A candidatura de Dilma Rousseff à presidência foi construída com projeto, matéria prima e mão-de-obra, fornecidos por Lula. Sem vocação política, e moldada nos gabinetes da burocracia, desconfiava-se que a presidente teria dificuldades para conduzir o governo no período inicial. Mas não de uma forma tão intensa.


O inferno astral da presidente vem sendo marcado pela sua incapacidade de lidar com o Congresso, pela volta gradativa da inflação e por uma mal explicada pneumonia que reduziu a intensidade de suas atividades diárias. Das três, a que mais tem deteriorado a sua imagem e comprometido a governabilidade é a forma desastrada com que tem se relacionado com sua base de apoio no Congresso.Tem faltado jogo de cintura na interlocução com os parlamentares, e sobrado um estilo rude , marcado pelo autoritarismo e arrogância.


A derrota do projeto do governo na votação do Código Florestal, sob imposição da bancada ruralista, e a suspensão do projeto de distribuição de um kit escolar contra a homofobia -o "kit gay" -, após pressão da bancada evangélica, foram evidências de que a presidente vem perdendo o controle sobre o seu exército. Na origem de tudo, a sua decisão de proteger um auxiliar que está sob marcação cerrada da oposição, do Ministério Público e da opinião pública, suspeito de enriquecimento ilícito e improbidade.


A blindagem de um ministro que está sob forte ataque e se nega a explicar o, até agora, inexplicável, desgasta moral e politicamente o governo, o faz refém do Congresso, e sem crédito junto aos cidadãos. Tal comportamento se revela inútil, uma vez que chegará o momento em que terá que afastar o seu auxiliar, sob pena de fornecer à oposição, que anda carente de discurso,um palanque permanente. A ausência de ética no governo, que não foi suficiente para abalar o seu antecessor , político esperto, ambicioso, pode ser fatal para uma presidente neófita e claudicante.


Por falar no seu antecessor, mal surgiram os primeiros problemas políticos, e o que se temia, aconteceu: Lula veio em socorro da afilhada, não se sabe se a pedido dela ou se por iniciativa própria.O fato é que o ex-presidente se colocou como tutor, a reunir congressistas, verberar suas verdades, ditar normas. Sem que ninguém pedisse, se auto-nomeou "articulador informal do governo", a palpitar sobre tudo, principalmente sobre a reforma política. Pegou mal. Ao invés de ajudá-la, reforçou na presidente Dilma a marcas da indecisão, fraqueza e incapacidade de lidar com as crises.


Os acontecimentos da última semana impõem à presidente a urgência de superar a crise provocada por Palocci, e, ao mesmo tempo, construir, com autoridade e com habilidade, novas bases no relacionamento com os seus liderados no Congresso. Mas, sobretudo, precisará se livrar da interferência cada vez mais visível e incômoda do cidadão Luis Inácio Lula da Silva nas questões do governo. Caso contrário, não conseguirá fugir da imagem de presidente medíocre e tutelada.

300511

3 comentários:

Paulo disse...

O molusco indicou uma inexperiente é fraca para o cargo de presidente pelo simples e óbvio motivo de que quer continuar mandando. Um puxa saco disse que Lula pode fazer o que faz pq deixou o governo com gde indice de popularidade, KKK. Este país não tem regras não tem instituição, nada. Basta ter popularidade. Fidel é popularíssimo em Cuba e nem por isso Cuba deixou de ser uma ditadura de merd.

Anônimo disse...

É para estes apedeutas ficarem sabendo que o nosso beque central Lulaço (fortíssimo) estará sempre por perto para peitar esta bandidada. Esta Mídia suja que só vê seus próprio umbigo (interesses) Da-lhes nosso Comandante! Estamos aqui lhe esperando em 2014 se for necessário. Vamos lá Dilminha!

Politica Podre disse...

A Dilma fez igual a avestruz, quando o perigo apareceu enterrou a cabeça e se fingiu de morta, para não tomar as medidas necessárias, correu pro colo do papai Lulinha .Foi reprovada na primeira prova de fogo a que foi submetida. Outras provas virão. Mereciamos coisa melhor.