terça-feira, maio 17, 2011

DETERIORAÇÃO DOS PARTIDOS

A iniciativa do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, ao deixar a oposição e se bandear para as hostes governistas através do Partido Social Democrático ( PSD), acentua o quadro de deterioração dos partidos . Ao contrário de muitos países, alguns deles mais pobres e com menos tradição democrática que o nosso, o Brasil nunca primou pela existência de partidos ideológicos e programáticos que de fato representassem o pensamento e os anseios de segmentos diferentes da sociedade.


DETERIORAÇÃO DOS PARTIDOS

Os partidos políticos brasileiros estão gravemente doentes, necessitando de cuidados urgentes em unidades de terapia intensiva. A iniciativa do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, ao deixar a oposição e se bandear para as hostes governistas através do Partido Social Democrático ( PSD), sigla partidária por ele organizada, acentua o quadro de deterioração dos partidos . Ao contrário de muitos países, alguns deles mais pobres e com menos tradição democrática que o nosso, o Brasil nunca primou pela existência de partidos ideológicos e programáticos que de fato representassem o pensamento e os anseios de segmentos diferentes da sociedade.

Mesmo assim, em determinados momentos de nossa História , a atuação dos partidos se fez com um mínimo de racionalidade e coerência, totalmente ausentes no momento atual. Para exemplificar, no período anterior ao golpe de 1964, o PSD, a UDN e o PTB, os principais partidos de então, bem ou mal tentavam refletir os anseios das diversas parcelas da sociedade brasileira da época: o eleitorado rural, a classe média urbana e os trabalhadores urbanos.

Agora, com exceção do PT, que abandonou o discurso socialista e construiu uma espécie de neopopulismo, os demais partidos partiram para a prática explícita do adesismo, do fisiologismo e do personalismo político. Os políticos desses partidos trabalham quase nada em torno de idéias e de projetos para a sociedade, e investem muito em suas próprias carreiras. Por isso, não conseguem ficar distantes das ante-salas do poder e se sentem desconfortáveis na oposição.

Gilberto Kassab é mais um desses políticos medíocres e carreiristas que, a diferenciá-lo dos demais, teve a sorte de ver cair no seu colo o comando do mais importante município da Brasil. Ao deixar a oposição, que ele nunca exerceu de fato, levou consigo um significativo número de tucanos e democratas, fato que, sem dúvida, teve as digitais do palácio do Planalto.

A saída desses poderia até ser positiva no sentido de depurar os quadros da oposição da presença de políticos fisiológicos e oportunistas, desde que tais quadros não tivessem tão carentes de qualidade e de idéias . Enfraquecidos e divididos, os oposicionistas sofreram um duro golpe, e não conseguem enxergar no horizonte das eleições de 2014 nada além do que outra vitória do PT e aliados.A deterioração dos demais partidos não deixa de ser bem vinda para os planos do PT.

170511

2 comentários:

Rosena disse...

O DEM devia se dissolver e sua parte melhor ir para o PSDB e dane se o KASSAB e outros do seu tipo

Thorres disse...

O Kassab está se sujeitando a ser o Ciro Gomes da vez. Dentro de pouco tempo não será mais do que uma nulidade política.
É lamentável que isto ocorra, sobretudo da forma que ocorre. Mas ele é bem grandinho. Não seremos nós a ensinar padre-nosso a vigário.