segunda-feira, abril 11, 2011

REFORMA E PRECONCEITO


REFORMA POLÍTICA OU REFORMA NOS POLÍTICOS?


Muito mais do que uma reforma política, estamos precisando de uma reforma nos políticos. A Comissão Especial da Reforma Política do Senado aprovou algumas alterações que, a rigor, pouco acrescentarão no sentido de melhorar o atual padrão de nossa organização política e partidária.


Poucos pontos aprovados representam algum avanço: o fim das coligações e a adoção do voto na legenda para deputado e vereador, por exemplo, são medidas positivas no sentido de se fortalecer os partidos, embora muitos temam que venha fortalecer o caciquismo. A adoção do financiamento público exclusivo das campanhas eleitorais é uma proposta, no mínimo, controversa. A diminuição do número de suplentes, a alteração na data da posse dos eleitos, a extinção da reeleição, e a mudança na duração dos mandatos para os executivos foram alterações cosméticas e insignificantes, que parecem atender apenas às conveniências dos senadores da comissão.


Para o eleitor, nada vai alterar, pois o voto continua a ser obrigatório, em que pese uma parcela significativa da sociedade preferir o voto facultativo. Por tudo, é ingenuidade esperar que terminada a reforma, os políticos brasileiros serão tomados pelas virtudes da ética , da honradez, e do trabalho sério e determinado


A IGNORÂNCIA É LIVRE

Jair Bolsonaro provavelmente não esperava que seus quinze minutos de fama durassem muito mais. Isso por conta da soma de preconceito e ignorância, verbalizados num quadro do programa CQC. Mas também devido à reação exagerada de movimentos que se pretendem defensores dos direitos dos negros e dos homossexuais, que por pouco não levou o deputado à fogueira de uma nova inquisição.  


O deputado Bolsonaro, como muitos brasileiros, demonstra preconceito contra homossexuais e contra negros. Preconceito é subjetivo: o sujeito gosta ou não gosta, tem ou não tem aversão a um determinado tipo de pessoa. É ignorância e só pode ser combatido com doses cavalares de convencimento e muita educação.  


O preconceito é a porta de entrada da discriminação, que vem a ser o ato de cercear o exercício de um direito em razão de raça, nacionalidade, credo, gênero, aspecto físico ou tendência sexual. Neste caso, é crime.


Por mais absurdas e preconceituosa que sejam as opiniões de Bolsonaro,deve lhe ser garantido o direito de expressão. No dia em que passar do pensamento preconceituoso à ação discriminatória, aí sim deve ser castigado.

110411

2 comentários:

Marta disse...

INFELISMENTE É NECESSARIO QUE HAJA ESCANDALOS PARA QUE POSSA DISCUTIR PROJETOS PARA O NOSSO BRASIL...O BOM SERIA SE NÃO HOUVESSE TANTO DESRESPEITO COM COM AS OPINIAOS E ESTILOS DIRENTES OU CONCEPÇÕES, CRENÇAS... TODOS TEM DIREITO A FALAR O Q QUER MAS TEM QUE RESPONDER, PARA MIM PRECONCEITO E DISCRIMAÇÃO SEJA QUAL FOR É CRIME...DEVEMOS RESPEITAR AS DIFERENÇAS

Marta disse...

INFELISMENTE É NECESSARIO QUE HAJA ESCANDALOS PARA QUE POSSA DISCUTIR PROJETOS PARA O NOSSO BRASIL...O BOM SERIA SE NÃO HOUVESSE TANTO DESRESPEITO COM COM AS OPINIAOS E ESTILOS DIRENTES OU CONCEPÇÕES, CRENÇAS... TODOS TEM DIREITO A FALAR O Q QUER MAS TEM QUE RESPONDER, PARA MIM PRECONCEITO E DISCRIMAÇÃO SEJA QUAL FOR É CRIME...DEVEMOS RESPEITAR AS DIFERENÇAS