segunda-feira, novembro 22, 2010

O QUE HÁ DE PIOR

O PMDB é uma confederação de caciques regionais que agem como senhores feudais, mas que se entendem muito bem quando se trata de ocupar postos estratégicos do governo federal. Por “estratégicos” entenda-se, é claro, cargos e funções aquinhoados com verbas orçamentárias suficientes para que esses políticos possam continuar praticando o mais puro clientelismo.O PMDB representa o que existe de pior na política. Sem rosto definido, sem ideário conhecido, e sem estratégia de conquista do poder pelas suas próprias forças, o partido tem levado ao extremo o pragmatismo mais cínico, e feito da permanência no governo acoplado a outro partido a sua marca registrada.

Permaneceu no governo de Fernando Henrique enquanto este esteve forte. Em 2002, na sucessão de FHC, se dividiu entre os que apoiaram a candidatura de José Serra e os que preferiram se aliar ao PT de Lula. Assim que o governo Lula abriu espaço para a sigla, os peemedebistas tomaram de assalto, com fome de leão, ministérios, secretarias, diretorias e tudo mais que representasse poder e dinheiro público.

O PMDB fez do fato de estar no poder sem precisar disputá-lo diretamente a sua principal razão de existir, embora com a eleição de Michel Temer à vice tenha dado um passo importante no sentido de, eventualmente, assumir o comando da República , o que não acontece desde o malfadado governo de José Sarney.

A última vez que o partido lançou candidato próprio à presidência foi em 1994, quando concorreu melancolicamente com Orestes Quércia – ficou em 4º lugar, atrás de Enéas Carneiro, do Prona. Em 1998, os principais caciques do partido, no propósito de participar do banquete governista, humilharam o ex-presidente Itamar Franco, porque este teve a ingenuidade de se oferecer como candidato da sigla contra o projeto de reeleição de Fernando Henrique, ao qual o PMDB estava vinculado. Em 2006, foi a vez do senador Pedro Simon e outros poucos serem ridicularizados ao defenderem a candidatura própria contra os interesses dos caciques,que já haviam decidido apoiar a reeleição de Lula.

Como se sabe, o PMDB é uma confederação de caciques regionais que agem como senhores feudais, mas que se entendem muito bem quando se trata de ocupar postos estratégicos do governo federal. Por “estratégicos” entenda-se, é claro, cargos e funções aquinhoados com verbas orçamentárias suficientes para que esses políticos possam continuar praticando o mais puro clientelismo. Para isso, manipulam as suas bancadas no Congresso, não no sentido de pressionar o governo a promover políticas corretas e eficientes, mas no de atender às suas demandas particulares.

Lula e o PT entenderam e assimilaram muito bem o espírito da coisa. Tanto que, no governo, o PT ficou cada vez mais parecido com o PMDB. Durante os últimos oito anos mantiveram , muitas vezes entre tapas e beijos, uma parceria que , pelo recente resultado das urnas , parece ter atendido aos interesses de ambos, embora ao custo do empobrecimento da democracia.

Normalmente, o governante em início de mandato procura uma trégua com a oposição.No Brasil, a oposição anda tão mal das pernas e da cabeça que, sob esse aspecto, Dilma Rousseff não tem muito que se preocupar. Ao iniciar o seu governo, sua principal tarefa será aplacar a fome de seu principal aliado. A maneira como agirá nesse sentido vai sinalizar se o seu governo pretende mudar velhos hábitos e costumes ou se vai permanecer com as mesmas velhas e viciadas práticas.
221110

2 comentários:

Servio disse...

Acho q não existe partido melhor ou pior no Brasil.O pt do mensalao é melhor do que o pmdb?O psdb é melhor do que o pmdb? Pra mim todos sao sujos. A diferença é que os do pSDB e do PT sao metidos a bestas.

Rebeca disse...

Concordo com o post. PMDB sempre esteve aonde o poder está adaptando-se sempre ao momento. De fato é partido sem identidade própria. Porém, seus representantes fazem tudo de certo ou de errado participando de forma passiva, outras vezes não de escândalos e desvios de dinheiro. Atualmente será parte do governo na forma mais direta. Creio que irão aproveitar ao máximo.