segunda-feira, agosto 09, 2010

CAMPANHA MORNA FAVORECE DILMA


O fato é que Serra perde por não se impor como oposição de verdade ao governo Lula, e por não assumir a defesa dos pontos positivos, que não foram poucos, do governo FHC. Temas não lhe faltariam, se preferisse uma campanha menos complacente e mais contundente.

Inferiorizados na corrida pela sucessão presidencial, os tucanos argumentam que os debates televisivos farão o quadro reverter, em razão da maior experiência política e do melhor preparo de seu candidato, José Serra. Pode ser, mas não foi o que se viu no primeiro debate, promovido pela Rede Bandeirantes. A atuação de Serra não foi nada convincente no sentido de se impor como contraponto ao artificialismo das propostas da candidata governista, Dilma Rousseff.

Na verdade, todo o debate foi insípido, inodoro e incolor, com os candidatos, à exceção do franco atirador Plínio de Arruda Sampaio, repetindo sem convicção as mesmas ladainhas que permeiam todas as campanhas eleitorais, com ênfase na saúde, educação e segurança. Difícil descobrir em que pontos as propostas de cada um se difere das dos demais, tal a semelhança entre elas.

Propostas de campanha, como sabemos, não são projetos de governo. Deste modo, tudo o que é dito agora é esquecido adiante, quando o candidato se torna governante. Se não fosse assim, não seriam a saúde, a educação e a segurança, justamente as questões mais negligenciadas e os candidatos estariam a discutir outros temas.Parece até que tomados pelo espírito de Maquiavel, propositalmente desconsideram esses temas, quando no governo, com o propósito de torná-los vedetes na campanha seguinte, no sentido de iludir e conquistar o voto do eleitor carente e menos informado.

O fato é que, voltando ao início, Serra perde por não se impor como oposição de verdade ao governo Lula, e por não assumir a defesa dos pontos positivos, que não foram poucos, do governo FHC. Temas não lhe faltariam, se preferisse uma campanha menos complacente e mais contundente.

Poderia , por exemplo, atacar e propor alternativas para o inchaço do setor público, o aparelhamento da máquina estatal pelo PT e aliados, as políticas sociais predominantemente assistencialistas, a queda da qualidade do ensino superior, as relações promíscuas entre o governo e o Congresso, os baixos investimentos em infra-estrutura, o descaso com a qualidade da educação, a ausência de investimentos na saúde, o caos na segurança, o crescimento da carga tributária , e, como se não fosse pouco, a volta gradativa e ameaçadora da inflação.

Subjugado pelo mito de que a popularidade de Lula é o fruto de uma política interna bem gerenciada , Serra tem direcionado sua fraca artilharia contra a política externa do atual governo: critica, com razão, a suspeita amizade entre o PT e as Farc e bombardeia a não menos suspeita simpatia de Lula pelo regime totalitário iraniano. Mas isso não basta para que Serra se imponha como candidato de oposição, pois política externa é a última das preocupações dos brasileiros.

Ao optar por uma campanha eleitoral morna, bem comportada, ou, como preferem os tucanos, “civilizada”, a aliança oposicionista abre mão da oportunidade de alvejar os pontos fracos do adversário e, de quebra, fornece à aliança governista as armas e o terreno para que , em nome da continuidade no poder, continue a praticar ações lícitas e sobretudo ilícitas em favor de Dilma Rousseff. O progressivo crescimento da candidata governista constatado nas recentes pesquisas indica que muita coisa não vai bem na campanha tucana.
090810

4 comentários:

Givanildo disse...

Esses debates televisivos são uma perca de tempo. Tudo combinadinho, tudo cheio de regrinhas, um saco!Parece que tudo foi feitopara iludir o otário do eleitor. Os caras não tem tempo de expor as suas idéias . Quem perde são os menos conhecidos. Esta campanha tem de um lado o governo usando e abusando d amaquina e de outro um candidato de oposição que não denuncia os escandalos do PT. Votar em branco e anular o voto não é solução? Gostair aque alg me dissesse então qual a solução,

Fora PT disse...

Os petistas invadiram todas as esferas do poder, educaçao, segurança, legislativo, executivo, judiciario e a informação. E eles apelam para os jogos mais sujos possiveis! E em um país onde o povo não sabe pensar e seguem qualquer um, isso é fácil para eles. Enquanto a prostituição, o vale tudo por dinheiro e pelo sucesso, forem valorizados em nosso país, não teremos paz.

Fora PT disse...

A cada dia o PT deixa mais um rastro de que a Dilma irá implantar uma ideologia autoritária neste país

nidia disse...

Olá Fernando
Sou favorável ao voto nulo, como já deixei claro aqui num desabafo daqueles...Mas recentemente entendi que esse voto, talvez teria peso, apenas entre os votos "conscientes" ou seja, se o voto não fosse obrigatório. Caso contrario é mais um voto pensado...pensado....mas que não vai fazer diferença.
Como sempre, em toda eleição, chegamos ao ponto de pensar num voto que nos defenda do caos. Então penso que temos que partir, em massa, para o voto em Serra (que seria o "menos" pior dos competidores com chances reais).
Penso que a oportunidade do Serra de se firmar como forte candidato, foi perdida recentemente. Ele foi governo e do estado de maior peso eleitoral do país, ficou sempre em cima do muro e conivente com uma porção de coisas erradas.
A cabeça do eleitor já está feita há muito tempo. Não acredito que possa acontecer algo ainda que faça o jogo virar, infelizmente.
Um abç