segunda-feira, julho 12, 2010

MILHARES DE “ELIZAS”

Segundo o estudo Mapa da Violência no Brasil 2010, do Instituto Sangari, durante um período de dez anos (1997 a 2007) ocorreram dez assassinatos de mulheres por dia no país. O índice é de 4,2 mortes por 100 mil habitantes, uma média acima do padrão internacional.

O número de denúncias de agressões às brasileiras também é alto. A Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SPM) registrou 271.719 atendimentos, de janeiro a maio de 2010, o que significa um aumento de 95,5% em relação aos primeiros cinco meses de 2009. Em Minas Gerais, o número de denúncias cresceu 300% no mês de junho, em comparação a maio, segundo a Secretaria do Estado de Desenvolvimento Social (Seds).

O escabroso caso do assassinato de Eliza Samudio ganhou destaque não pelo ineditismo, mas pelo fato do envolvimento de conhecido jogador de futebol. Infelizmente, por uma questão de pura perversidade somada ao forte machismo que ainda prevalece em nossa sociedade, dezenas de outras “Elizas” continuam a ser mortas diariamente no Brasil.

Pessoas de índole perversa e tomadas de forte sentimento machista existem desde que o mundo é mundo. No Brasil, o problema ganha dimensões gigantescas, e alimenta de forma negativa as estatísticas sobre o assunto, pelo generalizado sentimento de impunidade que impulsiona determinadas pessoas a agirem da forma como agem.

Bestas humanas como as que cometem crimes bárbaros devem ser severamente castigadas. Para isso, se faz necessária a reformulação da legislação penal. Preconceitos de caráter machista só podem ser erradicados num processo educacional que gradativamente tente substituir os valores hoje tristemente dominantes por outros baseados na solidariedade e no respeito às diferenças entre os seres humanos.No Brasil,a reformulação das leis penais e a revolução na educação passam longe das propostas de todos os candidatos à Presidência.
120710

Um comentário:

Ildo disse...

Existe uma maneira de se acabar com essa violencia absurda: cadeia para casos mais leves e pena de morte para casos mais graves. O resto é pura converda fiada.