segunda-feira, maio 31, 2010

MICOS INTERNACIONAIS DE LULA

O Irã vem desenvolvendo o seu projeto nuclear fora das regras do Tratado de Não-Proliferação (TNP). Por isso, e por ter dado seguidas provas de que considera a destruição dos Estados Unidos e de Israel o desígnio prioritário de Alá, Teerã, desperta a justa desconfiança do Ocidente. Mas Lula, na sua incontida admiração por ditadores, insiste que o mundo deva dar uma chance a Armadinejad.

MICOS INTERNACIONAIS DE LULA

Política internacional é coisa para gente grande. O presidente Lula parece não entender isso. A referência jocosa de Barack Obama - "este é o cara" -, que Lula tomou como elogio, o envaideceu de tal forma que, parecendo tomado pelo espírito do Barão do Rio Branco, e não se limitando ao antigo desejo de fazer do Brasil membro permanente no Conselho de Segurança da ONU, quer se tornar Secretário Geral da ONU. Para isso, partiu em errática e frenética peregrinação pelos cinco continentes, a promover o que julga ser um mundo mais pacífico e menos desigual. Por isso, mais do qualquer outro governante na História recente, tem pagado vistosos micos.

Tempos atrás, não se acanhou em intervir nos problemas internos de Honduras quando apoiou um pretendente a ditador deposto do poder pelo Congresso e pela Justiça do país. Como se não bastasse o apoio formal a Manuel Zelaya, emprestou a embaixada brasileira para que o presidente deposto nela se instalasse com armas e bagagens.

Da embaixada, Zelaya passou a insuflar o conflito armado,visando retomar o cargo que lhe havia sido legalmente tirado. Lula somente desconfiou que estava sozinho numa canoa furada quando Honduras, de modo pacífico e democrático, elegeu o seu novo presidente. Nem o histrião Chávez ousara pagar um mico tão grande como esse..

Recentemente, em conjunto com o governo da Turquia, também aspirante a protagonista da cena internacional, nosso presidente promoveu um insólito acordo com a ditadura fundamentalista do Irã,visando a restrição do uso da energia nuclear. Como se sabe, o Irã vem desenvolvendo o seu projeto nuclear fora das regras do Tratado de Não-Proliferação (TNP), além de seguidas provas de que considera a destruição dos Estados Unidos e de Israel o desígnio prioritário de Alá, Por isso desperta a justa desconfiança do Ocidente. Mas Lula, na sua incontida admiração por ditadores, insiste que o mundo deva dar uma chance a Armadinejad.

O tal acordo nem chegou a ser levado a sério pelas potências ocidentais. Estados Unidos e União Européia afirmaram a sua descrença no pacto e reafirmaram posição contrária ao afrouxamento das sanções contra o governo iraniano. Para o ditador iraniano , o pseudo-acordo serviu como artifício para ganhar tempo e retardar as sanções que pesam sobre o seu país.

Moral da história: o acordo patrocinado por Lula foi solenemente ignorado, para não dizer ridicularizado, pelos líderes internacionais, a começar pela secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton. Nem mesmo o argumento de que teria agido respaldado numa carta do presidente Obama ficou de pé: foi desmentido, no último final de semana, pelo próprio presidente dos EUA.
A Casa Branca deixou claro que a carta enviada ao governo brasileiro sobre o Irã não era "receita" para um acordo que evitaria sanções a Teerã por seu programa nuclear. Hillary Clinton disse que o país tem "discordâncias muito sérias" com o Brasil em relação à abordagem da questão iraniana.

Lula, nos meses que faltam para terminar o governo deve baixar a bola e procurar compreender que as divergências internacionais são um pouco mais complexas que as diferenças entre patrões, empregados e governo que ele rotineiramente conciliava na época em que era líder sindical.
310510




2 comentários:

Anônimo disse...

Depois do discurso na ONU ano passado, Armadinejad voltou ao Ira falando em um fim do mundo onde ele via a o retorno do profeta em 2 ou 3 anos.(n lembro direito)
De acordo com os cientistas, o nivel de desenvolvimento nuclear no Ira no momento, levara de 2 a 3 anos para completar uma bomba atomica. Vc ve intencao por tras disto?!
Estranho e os tontos do Lula e Chavez com ligacoes amorosoas com o Armadinejad. Lula dando apoio a esse megalomaníaco seria cômico se não fosse tragico

Rosena disse...

Fernando. Lula é o bobo da corte. Acha que pode faer acordos sem apoio das gdes potencias. Quem levou a sério o acordo com o Irã?So o bnrasil e a Turquia . Nem o Irã levou a serio