segunda-feira, janeiro 18, 2010

HAITI : UMA TRAGÉDIA SOBRE OUTRA

oje, o Haiti constitui uma sociedade anárquica, no pior sentido do termo. As causas de sua miséria e anarquia talvez se expliquem melhor pelo histórico divórcio entre a maioria da população, carente e inculta, e uma pequena elite gananciosa e estúpida que impôs ao país décadas de ditaduras sanguinárias , cujas maiores expressões estão nas figuras de François Duvalier e seu filho Jean Claude Duvalier.

A imagem acima , da fotógrafa belga Alice Smeets, foi escolhida como a foto do ano de 2008pela Unicef.Mostra uma menina caminhando por um bairro pobre de Porto Príncice, capital do Haiti.
HAITI : UMA TRAGÉDIA SOBRE A OUTRA

O terremoto que devastou o Haiti abriu os olhos do mundo para uma outra tragédia , talvez não tão surpreendente quanto a provocada pelo cataclismo, mas certamente mais danosa à sobrevivência do pequeno país antilhano. Refiro-me à imensa e crônica tragédia social da miséria absoluta e da ausência de um mínimo de organização estatal e social.A catástrofe provocada pelo terremoto se somou à tragédia social e o resultado tem chocado o mundo.

Buscar os motivos que levaram o país a uma situação tão degradante não é tarefa fácil. Mas alguns indícios apontam para o caminho correto, embora a esquerda, como sempre, insista em culpar o “imperialismo e o colonialismo”. No caso, colonialismo francês e o imperialismo norte-americano.

Mas tal simplificação não consegue explicar o fato de centenas de nações que também foram vítimas do colonialismo e do imperialismo, mas conseguiram superar os obstáculos e algumas se transformaram em nações prósperas. O Haiti, apesar de ter sido o segundo país do continente a se livrar do domínio europeu, – em 1804, os franceses deixaram a ilha - permaneceu mergulhada no atraso e na miséria crescentes.

De fato, hoje o Haiti constitui uma sociedade anárquica, no pior sentido do termo. As causas de sua miséria e anarquia talvez se expliquem melhor pelo histórico divórcio entre a maioria da população, carente e inculta, e uma pequena elite gananciosa e estúpida que impôs ao país décadas de ditaduras sanguinárias , cujas maiores expressões estão nas figuras de François Duvalier – o “Papa Doc” –, e seu filho Jean Claude Duvalier – o “Baby Doc”.As ditaduras eram mantidas sobre os alicerces ideológicos de uma crença religiosa primitiva e garantida pela violência dos Tonton Macoutes ,uma mistura de guarda pessoal do ditador e milícia que aterrorizava o país.

O Haiti precisa de socorro. Inicialmente, de comida, água, roupas e remédios. Em seguida, de recursos para a reconstrução das casas e edificações destruídas. Superada esta fase, necessitará, sobretudo, de professores, médicos e técnicos, para que possa romper o círculo vicioso de miséria, ingovernabilidade e total estagnação econômica.

À comunidade internacional se impõe a obrigação de oferecer ao mais pobre país da América as condições mínimas para que o povo haitiano comece a construção de uma ponte para a democracia , a cidadania e o crescimento econômico, através da educação e obras de infra-estrutura e saneamento básico. A partir de então, talvez o Haiti seja capaz de caminhar com as próprias pernas.
180110

2 comentários:

helcio disse...

Ajuda internacional? Mandando 10.000 soldados hj, mais 10.000 amanhã, daqui a pouco toda a ilha estará tomada pelos marines...; ficarão uma década e não farão nada pelo povo.
Cd o Sarkozy?
Deve tá fazendo um "vodu" para acalmar o povo e mandar a "maldição" embora.
Maldição = colonização francesa.

Paulo disse...

Penso que embora seja um tanto prematuro afirmar sobre as conseqüências advindas do efeito devastador do terremoto no Haiti, o colapso político, econômico e social, provocará uma violenta onda migratória. Pela dimensão da destruição, por mais que um plano de reestruturação seja amplo e eficaz, demandará bastante tempo. A situação do povo haitiano é crítica e muito triste.