segunda-feira, dezembro 21, 2009

O QUE RESTOU DE 2009


O QUE RESTOU DE 2009

Gastança – O governo Lula decidiu bancar os dois maiores eventos esportivos do planeta. O Brasil vai sediar a Copa de Mundo de futebol em 2014, e as Olimpíadas em 2016. Uma ótima oportunidade para empreiteiros e políticos se dedicarem às modalidades de superfaturamento, desperdício e corrupção generalizada. A conta será paga, mais tarde,pela sociedade brasileira.

Boquirroto – O título de “boquirroto do ano” não podia ser de outro: Lula se notabilizou mais pelas frases de efeito, pelas opiniões estapafúrdias, pelo humor de gosto duvidoso, pelo linguajar tosco do que por opiniões equilibradas e ações positivas do governo.

Popularidade – Eficiência, competência, responsabilidade e probidade parecem ser termos definitivamente banidos do dicionário político em 2009. Em seu lugar, prevaleceu, onipresente, a palavra popularidade."Popularidade" passou a ser uma espécie de mantra sagrado que dá ao governo a sensação de que tem a força de um deus, e espalha um temor reverencial no campo da oposição.

Exemplo – A decisão de reduzir os tributos sobre determinados produtos teve uma motivação estratégica no sentido de aumentar o consumo e minorar os efeitos da crise econômica e uma motivação eleitoreira no sentido de conquistar votos nas próximas eleições.Ao final, sobrou o mérito de mostrar que livre da pesada carga tributária a economia funciona melhor, e todos saem ganhando.

Terceiro mandato – Lula desistiu do terceiro mandato segundo o modelo de Hugo Chávez, mas adotou o modelo Kirchner de reeleição. Como se sabe, Nestor Kirchner elegeu sua esposa, Cristina, para, nos bastidores, continuar a mandar na Argentina. A Cristina de Lula se chama Dilma Rousseff.

Maquiavélico – José Serra não é mineiro, mas age como se fosse. Ficou quieto e mudo, enquanto o seu adversário no partido, Aécio Neves, se exibia como pré candidato do PSDB à Presidência da República. Serra jogou a decisão da candidatura tucana para o ano que vem e tirou Aécio do páreo.

Fez que foi , mas não foi – Aécio Neves é mineiro, mas não agiu como tal na disputa com Serra: falou muito, viajou demais , usou e abusou do marketing pessoal , mas continuou estagnado nas pesquisas de opinião, e acabou por desistir da pré-candidatura.

Panetone de ouro – O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda foi flagrado, filmado e fotografado no comando de uma rede de arrecadação e distribuição de propinas. Felizmente, havia certo Durval Barbosa para gravar as suas peripécias.

Cruz Credo! – A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, foi acusada de se beneficiar de uma rede de distribuição de propinas instalada em seu governo. Com a ajuda de sua bancada na Assembléia Legislativa, conseguiu escapar do impeachment. Infelizmente, não havia nenhum Durval Barbosa para gravar as suas peripécias.

Coerência – O presidente do Congresso, José Sarney, permaneceu coerente com o seu passado de político que faz do setor público algo não muito diferente do quintal de sua casa. Continua a usar e abusar do poder em benefício próprio e de seus familiares e amigos. Quase levou o Senado à desmoralização total, mas permanece livre, leve, solto e impune.

Bobo da corte – O senador Eduardo Suplicy chamou a atenção por desfilar de cueca pelos corredores do Senado, pela cantoria na tribuna e por dar cartão vermelho para Sarney. Alem das bizarrices de suas atitudes, se destacou pela inexpressividade de suas opiniões. Não se entende como parcela significativa do eleitorado paulista continua a reelegê-lo.

Em causa própria – O entusiasmo que faltou à Câmara dos Deputados para promover as reformas tributária, educacional, agrária, e dos sistemas de saúde e de segurança, que interessam à sociedade, sobrou na hora de fazer uma mini reforma eleitoral e discutir a divisão dos royalties do pré-sal,temas que interessam diretamente a cada um deles.

A volta dos mortos vivos – 2009 ficou marcado pela ressurreição de algumas figuras tidas como politicamente mortas e enterradas. Renan Calheiros assumiu a liderança de PMDB do Senado, Fernando Collor ganhou a presidência da Comissão de Infra-Estrutura da Casa, José Genoino passou a ser o líder de facto da bancada petista na Câmara, enquanto Antonio Palocci ganhou o status de candidato do PT ao governo de São Paulo.

Holofotes – A atuação do STF em 2009 foi, no mínimo, controversa. Com exceção de Celso de Mello e de Ellen Gracie, sempre discretos e eficientes nas suas decisões, os ministros do Supremo, a começar pelo seu presidente Gilmar Mendes,foram irresistivelmente atraídos pelos holofotes da mídia .Deixaram no ar a suspeita de que em suas decisões pesaram muito mais as motivações e os argumentos de ordem política do que os de ordem essencialmente jurídica.O auge da controvérsia se deu na manutenção da censura imposta ao jornal O Estado de São Paulo.

Mico Internacional - Em relação à América Latina, a política externa de Lula se submeteu às orientações de Hugo Chávez. Graças a ela, o Brasil se meteu, em Honduras, a apoiar um presidente golpista, justamente deposto do poder por afrontar a Constituição do País em busca de mais um mandato.Apesar de Chavez e Lula terem feito o possível para conturbar o ambiente do país, os políticos e a sociedade hondurenha encontraram o caminhado para a resolução pacífica de seus problemas. Para o Brasil, sobrou um mico chamado Manuel Zelaya.

211209.

5 comentários:

Rosena disse...

Realmene, a política brasilwira é uma comédia, de péssimo gosto para todos nós.

Paulo disse...

Caro Fernando
Me envergonha a politicalha brasileira. Me envergonha um presidente semi analfabeto que nada faz de concreto e mesmo assim é aplaudiso por uma multidão de semi analfabetos. Desse jeito, as pouca pessoas lúcidas deste país vão ficar cada vez mais sem espaço

só tem ladrão disse...

O que restou de 2009 foi muita corrupção, muita safadeza, e um presidente bebado...o que esperar de 2010?

gabriel disse...

Olá Fernando
Ótima resenha de 2009. E isto nos entristece bastante. Brasil é um país de grandes promessas e é t~~ao mal governado por um presidente sem escrupulos; a corrupção é inerente aos nossos político, pois, sabem que nunca serão punidos.
Vale,nós, povo brasileiro, neste novo ano e com novas eleições mudar este cenário.

Mariazinha Fernandez L. da Silva disse...

O LULLA-PTÓQUIO-ALOPRADO, COM SUA BOLSA BNDES DEU SOMENTE R$ 67 milhões para o pobre empresário EIKE BATISTA (considerado atualmente o homem mais rico do Brasil). Veja na reportagem da Folha de S.Paulo de 2/1/2010.Fazendo uma conta simples: o ARRUDA DIZ TER RECEBIDO DE 20 A 30 MIL, MAS O DURVAL ACUSA SER 50 MIL - NAQUELE VÍDEO GRAVADO. JÁ EIKE BATISTA GANHOU DOS PTRALHAS DO BNDES R$ 67 MILHÕES. DIVIDINDO UM PELO OUTRO, TEMOS: 67.000.000/50.000 = 1.340 arrudas. SIMPLES: numa única operação, com as benção do Lulla, o BNDES fez 1.340 operação tipo Arruda.
BNDES vendeu ações a Eike Batista por valor menor que o de mercado - SAMANTHA LIMA - da Folha de S.Paulo, no Rio - 02/01/2010 - 08h35:
Em um ano em que teve fraco desempenho com ações, o BNDES conseguiu arrumar espaço para uma operação com Eike Batista que representou ganho de cerca de R$ 67 milhões para o empresário. O fundo de pensão canadense, também beneficiado pelo acordo em R$ 22,2 milhões.
Como diz a letra do carnaval de 2008: “...ELES TÃO METENDO A MÃO NO DINHEIRO DA NAÇÃO...”

FELIZ 2010 pra todos e pra você Fernando Soares (parabéns pelo blog).