segunda-feira, dezembro 14, 2009

LUZ SOBRE O XADREZ POLÍTICO DE MINAS

A forçada decisão de Aécio ao mesmo tempo em que definiu o quadro eleitoral no ninho dos tucanos, colocou um pouco de luz sobre o confuso xadrez sucessório mineiro, que continua agitado por conta das ambições eleitorais dos principais caciques do PT e do PMDB, partidos da base se sustentação de Lula.
LUZ SOBRE O XADREZ POLÍTICO MINEIRO

A exemplo do que acontece em nível nacional, onde o lançamento da candidatura de Dilma Rousseff precipitou a corrida sucessória, em Minas o processo foi antecipado por conta da pré-candidatura do governador Aécio Neves à Presidência da República, pelo PSDB. Infelizmente para Aécio, o seu desejo de ocupar a cadeira presidencial foi frustrado pela maior força política de José Serra. Seguro pela posição que ocupa nas pesquisas e com maior controle sobre a máquina do partido, o paulista impôs o mês de março como data inicial para a discussão de candidaturas.

Com isso, só restou ao governador mineiro a alternativa de limitar suas ambições eleitorais às fronteiras do Estado, lançando a sua candidatura ao Senado, e trabalhando pela de seu vice, Antônio Anastasia, ao governo.

A forçada decisão de Aécio ao mesmo tempo em que definiu o quadro eleitoral no ninho dos tucanos, colocou um pouco de luz sobre o confuso xadrez sucessório mineiro, que continua agitado por conta das ambições eleitorais dos principais caciques do PT e do PMDB, partidos da base se sustentação de Lula.

Como se sabe, Lula pretende replicar, em toda a federação, a aliança com o PMDB, e, para isso, exige que o PT abra espaço para o PMDB nos estados onde este apresente candidaturas competitivas. E é este o caso de Minas.

Helio Costa, ministro das Comunicações do governo Lula vem liderando todas as pesquisas de opinião, e, embora contestado por um grupo minoritário liderado pelo ex-governador Newton Cardoso, não terá dificuldade de se impor como candidato do partido na Convenção. Mas o PT mineiro quer porque quer a candidatura própria, e diz acreditar que desta vez tem condições reais de conquistar o poder do Estado. Mas, para isso, terá que se entender internamente.

É que o partido está dividido em duas alas, subordinadas, cada uma,aos dois principais caciques do partido no estado: Fernando Pimentel, ex-prefeito de Belo Horizonte, e Patrus Ananias,ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Pimentel aparentemente tem o controle da máquina partidária; Patrus acredita ter o apoio das bases do partido e dos movimentos sociais ligados ao PT.

Enquanto o PT está submerso num mar de indefinições e conflitos, o seu “aliado” curte o sabor de assistir ao seu virtual candidato liderar com folga as pesquisas de opinião. E tem amplas condições de permanecer no topo até o dia da decisão: primeiro, porque é o nome mais conhecido pelo eleitor de Minas; segundo, porque seus adversários principais, ou se encontram envolvidos numa disputa interna – caso do PT - ou apresentam um candidato pouco expressivo – caso do PSDB; terceiro, porque além do apoio oficial de Lula pode acabar por conquistar o apoio de Aécio, no caso de um segundo turno.
Eleito senador, o atual governador de Minas certamente não vai se contentar em permanecer como mais uma ovelha no rebanho. A presidência do Senado e do Congresso pode parecer pouco para quem desejou a chefia da República, mas será uma etapa importante para quem almeja vôos ainda mais altos.
141209

5 comentários:

valber disse...

Nenhuma perspectiva de melhoria na política de MG...os coronéis não vão permitir e o PT é uma farsa. Aécio fou uma enganação que torrou a grana do estado para se auto promover. Nada de novo a vista...

BoaNoite@ disse...

Aécio fez um ótimo governo em Minas. Ele não tem chances desta vez porque os paulistas dominam o diretório nacional.Como ele é relativamente jovem pode esperar até 2014 ou 2018....

Anônimo disse...

Pobres tucanos, demos pfl, mais perdidos que cego em tiroteio... Chapa puro sangue ralo sem ferro... Anêmico como o desgovernador serra e seu fiel escudeiro taxab...!!!E é uma verdade serra continua submerso no esgoto da sabesp!!!!

C Augusto disse...

O fato do PSDB, PARTIDO DOS PAULISTAS, não deixar o maior governador que Minas Gerais já teve, ser o candidato à Presidente da República, implica em decretar definitivamente sua derrota na eleição de 2010.Nós mineiros iremos demonstrar em outubro próximo como se vota: elegendo Aécio como o senador mais votado em todas as épocas e não votando de forma nenhuma em Serra para presidente do Brasil. Infelizmente iremos amargar mais quatro anos de desgoverno com este PT, competente somente para os companheiros.

C Augusto disse...

O fato do PSDB, PARTIDO DOS PAULISTAS, não deixar o maior governador que Minas Gerais já teve, ser o candidato à Presidente da República, implica em decretar definitivamente sua derrota na eleição de 2010.Nós mineiros iremos demonstrar em outubro próximo como se vota: elegendo Aécio como o senador mais votado em todas as épocas e não votando de forma nenhuma em Serra para presidente do Brasil. Infelizmente iremos amargar mais quatro anos de desgoverno com este PT, competente somente para os companheiros.