segunda-feira, outubro 19, 2009

DEMOCRACIA CLAUDICANTE

O mais recente golpe contra a democracia ocorreu na Argentina sob a forma de uma nova “lei para o controle da imprensa e dos meios de comunicação”, imposta pelo governo de Cristina Kirchner e aprovada a toque de caixa por parlamentares em final de mandato , uma vez que o novo Congresso, de maioria oposicionista tomará posse em 10 de dezembro. Sob o pretexto de combater os monopólios, Kirchner quer de fato controlar a mídia
DEMOCRACIA CLAUDICANTE

A democracia na América Latina, ou o que resta dela, corre risco de morte. Nesta primeira década do século XXI, o continente foi tomado por uma espécie de populismo autoritário de esquerda, que chegou ao poder pelo voto mas quer permanecer nele indefinidamente, pelo desrespeito contínuo às constituições e o esmagamento sistemático das instituições democráticas.

O combustível que movimenta tal tipo autoritarismo são nossos velhos conhecidos: a pobreza, as imensas desigualdades sociais e a educação precária, gerando no povo a incapacidade de discernir entre política públicas eficazes e consistentes e políticas demagógicas de caráter assistencialista e eleitoreira.

Assim, sucessivamente, países como Venezuela, Equador, Bolívia ,Argentina e Brasil foram tomados por essa velha prática política que, embora sustentada por discursos modernos e sedutores, não passa de uma versão moderna do velho caudilhismo que tanto infelicitou a vida da América Latina num passado não muito distante.

A doença se espalhou pela América do Sul e contaminou a América Central , onde a Nicarágua e Honduras se deixaram levar pela lábia de Chávez. Em Honduras, a inusitada e acertada reação das instituições democráticas do país contra a tentativa de Manuel Zelaya de prolongar o seu mandato não foi bem compreendida pela comunidade internacional, e o impasse se prolonga, com a cessão da embaixada do Brasil para que Zelaya continue a desestabilizar a vida do pequeno país na sua tentativa de retomar o poder perdido.

Mas o mais recente golpe contra a democracia ocorreu na Argentina sob a forma de uma nova “lei para o controle da imprensa e dos meios de comunicação”, imposta pelo governo de Cristina Kirchner e aprovada a toque de caixa por parlamentares em final de mandato , uma vez que o novo Congresso, de maioria oposicionista tomará posse em 10 de dezembro.

Sob o pretexto de reduzir o poder dos monopólios sobre a mídia, o governo mobilizou a sua base de apoio e, sabe-se lá como, conseguiu votos na oposição para colocar a concessão de licenças para canais de rádio e de TV sob o estrito controle do Estado. O alvo principal da ação do governo é o Clarín, maior grupo de mídia do país, que desde o ano passado tem atormentado a vida do casal Kirchner com o aumento da contundência das críticas ao governo.

É bom não esquecer que o Brasil de Lula já tentou percorrer a mesma trilha que agora é percorrida pelo governo argentino. No seu primeiro mandato, o petista tentou impor a censura e o controle sobre a imprensa através dos projetos da Ancive e do Conselho Federal de Jornalismo. Não fosse a reação da sociedade, talvez hoje Lula não sentisse o desprazer de ver a sua popularidade ser contraposta por meia dúzia de bravos e malcriados jornalistas que teimam em apontar os inúmeros erros do governo, em meio à unanimidade burra que parece ter tomado conta do Brasil.

O exemplo da Venezuela , onde Chávez submeteu gradativamente as instituições - Imprensa, Congresso, Justiça - que representavam a liberdade e o equilíbrio entre os poderes, e instalou de fato uma ditadura, parece ter contaminado definitivamente a América Latina. Portanto, por mais bem intencionado que pareça o discurso do governo argentino, ele não consegue esconder o propósito obscurantista da mais recente decisão do governo Kirchner.
191009

6 comentários:

Lino disse...

Em relação a Argentina costumava dizer "eu sou vc amanhã". Isso queria dizer que tudo o que acontecia na Argentina mais tarde acabava acontecendo no Brasil. Pois o esperto Nestor Kirchner escolheu sua mulher para copntinuar mandando no país. E não é que Lula quer fazer o mesmo?É claro que o nosso apedeuta não seria tão burro ao ponto de escolher a anta da sua mulher para sucedê-lo. Mas ele quer fazer da Dilma a nossa Cristina

Anônimo disse...

A América Latrina jamais será uma DEMOOCRACIA DE VERDADE. Enquanto a maioria do povo continuar ignorante e analfabeta como é. Somente desse modo é que gente do nível do Lula consegue ficar no poder e ser aplaudido.

Hermano disse...

Acho que Cristina causa menos mal aos hermanos do que Maradona. Eu trocaria dois lulas por uma Cristina , mas não trocaria meio Dunga por um Maradona...

Hermano disse...

Acho que Cristina causa menos mal aos hermanos do que Maradona. Eu trocaria dois lulas por uma Cristina , mas não trocaria meio Dunga por um Maradona...

Rosena disse...

Fernando, leio que a opsoição entrou no STF com uma representação cntra a farra elitoral de Lula e Dilma. Já passou da hora de alguem dar umbasta nesta farra promovida c o nosso dinheiro, não acha?

James disse...

A lot of people loves traveling but some doesn't have any place where they could stay when they travel to Argentina.


Hostels in Buenos Aires