quarta-feira, setembro 16, 2009

SUOR E MALANDRAGEM

A exorbitância dos gastos públicos, os investimentos mal planejados, e a corrupção desenfreada tornaram-se rotina. Não há uma semana em que os meios de comunicação não divulguem algum fato que signifique má gestão, desperdício, ou, simplesmente, roubo de dinheiro público. Esse mesmo dinheiro que obriga o brasileiro a ser recordista em horas trabalhadas para encher as burras do Estado. Competitividade brasileira tem indicadores ruins. Mas, o que Ideli Salvatti tem a ver com isso?
SUOR E MALANDRAGEM

Não é fácil ser empreendedor ou trabalhador no Brasil. Segundo o relatório Doing Business - 2010, divulgado pelo BIRD, num conjunto de 183 países pesquisados, o empresário brasileiro trabalha 2600 horas anuais para pagar os tributos , o que o coloca na liderança do ranking de horas trabalhadas pelo empreendedor para pagar impostos, num conjunto de 183 países. Nessa posição da pesquisa, o Brasil está na companhia nada honrosa de paises como Camarões, Bolívia, Vietnã, e Armênia.

Os números do levantamento comprovam a indecente carga tributária que pesa sobre os ombros dos brasileiros em geral e dos empresários em particular. Somada à extrema burocracia para se abrir ou manter um negócio, os altos e numerosos desestimulam os investimentos, sobrecarregam o empreendedor e diminuem a geração de empregos.

Tal fato pode ser comprovado por outro ranking do Banco Mundial sobre os locais de maior facilidade para a realização de negócios . No Brasil se gasta em média 120 dias para a abertura de um negócio, o que coloca o país na posição 129ª do ranking. No topo da tabela estão, nesta ordem, Cingapura, Nova Zelândia , Hong-Kong, Estados Unidos e Reino Unido. Nesse quesito, nosso país está abaixo da Colômbia (32º ), Chile (45º), México (51º),Peru (56º), Uruguai (114º) e Argentina (118º).

Vários analistas têm insistido no argumento de que uma pesada carga tributária somada a uma burocracia irracional acrescidas do gigantismo do Estado formam uma mistura que emperra o desenvolvimento do País. E com toda razão.

O Estado mastodôntico criado por Getúlio Vargas, mantido e ampliado pelos seus sucessores, nasceu de uma concepção de que, sozinho, o empreendedor privado seria incapaz de competir no mercado internacional impulsionar o crescimento do país. Tal concepção, aliada ao pensamento de esquerda segundo o qual cabe ao Estado a tarefa de redução das desigualdades sociais, criaram este gigante deitado em berço esplêndido, faminto e sedento, alimentado pelo suor da sociedade. Com isso, o pensamento liberal nas últimas décadas ficou reduzido à marginalidade.

No setor político, são poucos os que ousam a defender francamente menos intervenção, redução de impostos e diminuição do tamanho da máquina pública. E os que o fazem são vítimas de ataques preconceituosos. Os partidos políticos nada significam em termos ideológicos e se limitam a servirem de escada para as pretensões eleitorais de seus caciques.

Enquanto isso, a exorbitância dos gastos públicos, os investimentos mal planejados e a corrupção desenfreada se tornaram rotina. Não há uma semana em que os meios de comunicação não divulguem algum fato que signifique má gestão, desperdício, ou, simplesmente, roubo de dinheiro público. Esse mesmo dinheiro que obriga o brasileiro a ser recordista em horas trabalhadas para encher as burras do Estado.

Sintomaticamente, na mesma semana em que o relatório do BIRD era divulgado, tomamos conhecimento de que a senadora Ideli Salvatti ( PT-SC) havia gasto R$70mil do Senado para participar de um “curso de capacitação de executivos”, realizado em três etapas, no México, Argentina e Espanha, entre abril de 2007 e janeiro de 2008.Segundo Paulo André Argenta, assessor de Ideli, que também participou dos eventos, a finalidade era “melhorar a gestão do gabinete da senadora”.

Moral da história: a sociedade brasileira trabalha, em média, 2600 horas-ano para, dentre outras, que a senadora petista possa passear em três países sob o pretexto de ter um gabinete melhor estruturado. Seria ótimo, portanto, que a senadora aproveitasse os conhecimentos adquiridos e os repassasse aos empresários que, por absoluta falta de tempo e de recursos financeiros, ficam impossibilitados de se aprimorarem. Realmente, em poucas palavras, neste país o suor de muitos continua a alimentar a malandragem de poucos.
160909

11 comentários:

Assis disse...

Parabéns pelo texto. É de causar nojo, mas os políticos zombam da nossa cara. Ideli, Sarney, Renan, Lula & cia...Quando ficaremos livres dessa canalha?

Rosena disse...

Fernando. O pior é que a ganância do fgvenro não tem limites. Vem aí a cobrança de um imposto sobrae a poupança. Quer dizer que o pobre do trabalhador brasileiro nem poupor pode mais . Que governo desonesto e sem vergonha!

Anônimo disse...

O que se pode esperar mais da República lulista-sarneyzista-collorida? No próximo ano teremos eleições. O povo comprado por uma dessas centenas de bolsas esmolas agradecido e humilhado vai eleger de novo esta corja que domina o país.

Maria da Silva disse...

VEJAM ABAIXO UM DEMONSTRAÇÃO DA ESPERTEZA PTRALHA - DE SANCTIS QUIS TRANSFORMAR DANIEL DANTAS EM BODE ESPIATÓRIO PRA ESCONDER OS PTRALHAS DO MENSALÃO. É O QUE SE PODE DEDUZIR.



Juíza tenta tirar De Sanctis de processo contra Opportunity por lavagem de dinheiro
Publicidade
da Folha Online

A juíza federal Silvia Maria Rocha, da 2ª Vara Federal Criminal de São Paulo, pediu a transferência do processo que tramita contra o grupo Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas na 6ª Vara Federal Criminal.


De Sanctis é o juiz que aceitou a denúncia contra Dantas por supostos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Os crimes, de acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, teriam sido praticados no suposto financiamento do chamado "valerioduto", esquema montado pelo empresário Marcos Valério, que é investigado no caso mensalão.

"É indiscutível que a origem dos fatos relatados referentes ao Opportunity Fund está no que ocorreu entre o Grupo Opportunity e Marcos Valério", afirma a juíza.

Para a juíza, os crimes relacionados na denúncia tiveram sua origem no esquema do mensalão, cujo processo tramita na 2ª Vara Federal Criminal.

"Ora, se as transações/operações financeira e demais fatos narrados na denúncia da 6ª Vara tiveram origem, tal como consta, na associação das pessoas mencionadas com Marcos Valério Fernandes de Souza, figura central daquilo que veio denominar-se 'caso mensalão', com implicações diretas e indestacáveis da Brasil Telecom, DNA Propaganda, Opportunity Fund, SMP&B Comunicações, interligadamente, não se percebe como, na forma da lei vigente, pode-se afastar a competência desta 2ª Vara Federal Criminal para conhecer e julgar os fatos", afirma a juíza.

Procurado pela reportagem, o Opportunity não se manifestou. De Sanctis também não.

Maria da Silva disse...

VEJAM ABAIXO UM DEMONSTRAÇÃO DA ESPERTEZA PTRALHA - DE SANCTIS QUIS TRANSFORMAR DANIEL DANTAS EM BODE ESPIATÓRIO PRA ESCONDER OS PTRALHAS DO MENSALÃO. É O QUE SE PODE DEDUZIR.



Juíza tenta tirar De Sanctis de processo contra Opportunity por lavagem de dinheiro
Publicidade
da Folha Online

A juíza federal Silvia Maria Rocha, da 2ª Vara Federal Criminal de São Paulo, pediu a transferência do processo que tramita contra o grupo Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas na 6ª Vara Federal Criminal.


De Sanctis é o juiz que aceitou a denúncia contra Dantas por supostos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Os crimes, de acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, teriam sido praticados no suposto financiamento do chamado "valerioduto", esquema montado pelo empresário Marcos Valério, que é investigado no caso mensalão.

"É indiscutível que a origem dos fatos relatados referentes ao Opportunity Fund está no que ocorreu entre o Grupo Opportunity e Marcos Valério", afirma a juíza.

Para a juíza, os crimes relacionados na denúncia tiveram sua origem no esquema do mensalão, cujo processo tramita na 2ª Vara Federal Criminal.

"Ora, se as transações/operações financeira e demais fatos narrados na denúncia da 6ª Vara tiveram origem, tal como consta, na associação das pessoas mencionadas com Marcos Valério Fernandes de Souza, figura central daquilo que veio denominar-se 'caso mensalão', com implicações diretas e indestacáveis da Brasil Telecom, DNA Propaganda, Opportunity Fund, SMP&B Comunicações, interligadamente, não se percebe como, na forma da lei vigente, pode-se afastar a competência desta 2ª Vara Federal Criminal para conhecer e julgar os fatos", afirma a juíza.

Procurado pela reportagem, o Opportunity não se manifestou. De Sanctis também não.

Marquinho do Rio de Janeiro disse...

VEJAM ABAIXO UM DEMONSTRAÇÃO DA ESPERTEZA PTRALHA - DE SANCTIS QUIS TRANSFORMAR DANIEL DANTAS EM BODE ESPIATÓRIO PRA ESCONDER OS PTRALHAS DO MENSALÃO. É O QUE SE PODE DEDUZIR.
Juíza tenta tirar De Sanctis de processo contra Opportunity por lavagem de dinheiro - da Folha Online
A juíza federal Silvia Maria Rocha, da 2ª Vara Federal Criminal de São Paulo, pediu a transferência do processo que tramita contra o grupo Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas na 6ª Vara Federal Criminal. Os crimes, de acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, teriam sido praticados no suposto financiamento do chamado "valerioduto", esquema montado pelo empresário Marcos Valério, que é investigado no caso mensalão. "É indiscutível que a origem dos fatos relatados referentes ao Opportunity Fund está no que ocorreu entre o Grupo Opportunity e Marcos Valério", afirma a juíza.

Perdas e Danos Bauru disse...

Devemos entrar com uma ação coletiva por perdas e danos contra o governo do petralhas. Perdas de bilhões de reais na mão dessa quadrilha corrupta. Danos por que sucatearam a saúde a educação e a segurança.

Melina disse...

Excelente post Fernando.
Se fosse somente da vontade do governo vem mais um novo-velho imposto sobre nossas contas e movimentos bancários. É ridículo cobrar imposto sobre a poupança. Pena que o povo não reage a nada. Só irei acreditar em algo de melhor para o país se TODOS, sem exceção, nenhum dos políticos atuais NÃO forem reeleitos novamente. Começar tudo novamente, com novas idéias e ter uma verdadeira revolução na educação do país.
Como estamos vendo na mídia, é através de verdadeiros professores que um país se desenvolve. O sistema atual de educação e de professores é uma massa falida.

Marlucia de Paula Azevedo disse...

PRA MOSTRAR QUE ALÉM DE NÃO FAZER NADA, MENTIR DESCARADAMENTE, SER UM GOVERNO MUITO CORRUPTO, AFORA TUDO ISSO, AINDA VIVE APOIANDO DITADORES COMO Chaves, Fidel e irmão, O Indio boliviano, O Rafael do Equador, o Irã, etc...

LULA GOSTA É DE DITADURA
Por Gabriela Guerreiro, na Folha.
No discurso de abertura da Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) na semana que vem, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai cobrar o fim do embargo econômico dos Estados Unidos a Cuba...
O assunto do embargo a Cuba é um assunto que preocupa o presidente Lula de maneira muito especial. O presidente, no seu discurso nas Nações Unidas, pretende fazer uma menção explícita à necessidade do fim do bloqueio a Cuba pelos Estados Unidos...
Comento:
O que vou dizer é óbvio, sim, certamente esperado pelos leitores. Nem por isso deixarei de fazê-lo. Lula não me fará desistir de apontar seus absurdos mais gritantes e as estupefacientes cretinices de sua política externa.
Há poucos dias, o conselho de Direitos Humanos da ONU expulsou da reunião o embaixador de Honduras. Justificativa: houve um golpe naquele país, e isso é inaceitável. Na liderança do levante contra o hondurenho, estava a embaixadora brasileira na ONU, seguindo as ordens de Celso Amorim, o Megalonanico. Pouco depois, na reunião da ridícula Unasul, o mesmo Amorim comandou, junto com Chávez, a pressão contra a Colômbia. Na prática, cobravam que Bogotá abrisse mão da sua soberania e permitisse que seu acordo militar com os EUA fosse monitorado. Chávez queria um pouco mais: que a negociação com as Farc passasse a ser conduzida pela Unasul, não mais pelo governo daquele país. Já o Brasil e a Venezuela consideram que não têm de dar satisfações aos vizinhos sobre seus respectivos acordos com França e Rússia. Mas voltemos a Honduras. O Brasil ainda acha pouco. Brasília lidera a pressão para que não se reconheça o governo hondurenho que será eleito em novembro e defende que os EUA endureçam as sanções contra Honduras.Ora, o que diferencia Honduras de Cuba no que respeita à política? No primeiro país, a oposição atua livremente, e não há presos políticos. Cuba é uma tirania, não demonstra a menor disposição de aderir ao regime democrático e tem suas cadeias lotadas de presos de consciência.
Há muitas diferenças entre Roberto Micheletti, o dito “golpista” hondurenho, e Raúl Castro, o tirano de Cuba. Um delas se expressa em 100 mil cadáveres. E é em defesa dos homicidas que Lula vai falar.
quinta-feira, 17 de setembro de 2009 | 21:40 - por REINALDO AZEVEDO

Anônimo disse...

LULLA-PTÓQUIO INDICOU LADRÃO PARA IR AO SUPREMO JULGAR LADRÃO. É O FIM DA MORAL E BONS COSTUME NO BRASIL. A LAMA TÁ CHEGANDO NO PESCOÇO.

Justiça condena Toffoli a devolver R$ 420 mil aos cofres do Amapá
Publicidade
JOÃO CARLOS MAGALHÃES
da Agência Folha, em Belém

Indicado pelo presidente Lula para o STF (Supremo Tribunal Federal), José Antonio Dias Toffoli foi condenado pela Justiça do Amapá no último dia 8, juntamente com outras três pessoas, a devolver R$ 420 mil ao Estado sob a acusação de ter ganho licitação supostamente ilegal em 2001 para prestar serviços advocatícios ao governo estadual. Se atualizado, o valor chega a R$ 700 mil.

Augusto Silva Homem de Oliveira disse...

VEJAM LULLA-PTÓQUIO INDICANDO BANDIDO PRO STF PRA JULGAR BANDIDOS – É O FIM DA MORAL PÚBLICA -
A Ação em que foi condenado mostra o quão deve ter sido a vida de advogado do Sr. Toffoli e respectivos critérios morais e responsabilidade jurídica (que não tem). Outro quesito questionável, embora ainda constitucional, é o fato do Presidente da República indicar a maioria dos ministros do STF, pois fere os princípios da moral, da impessoalidade, da probidade, da eficiência, entre outros. A nenhum presidente da República poderia ser dado tal prerrogativa - quando isso acontecesse, teria que ser tais ministros por indicação do Congresso Nacional (com 50% + 1 votos). Poderia o Senado da República sinalizar pra isso agora com o Sr. Toffoli, pois a Democracia e a República são valores maiores do que uma mera iniciativa de predominância de um Presidente sobre o STF, principal corte de justiça do Brasil. Lembremo-nos que hoje o princípio da LEGALIDADE tem uma interpretação quer da doutrina quer da jurisprudência de ser interpretado como LEI + DIREITO. Está na mão do SENADO FEDERAL a decisão do rumo para o Brasil e para a democracia. Se aprovar o Sr. Toffoli, deveremos interpretar que essa geração de políticos que está no poder não servirá pra nada, muito menos para a democracia e a república, caminhos por onde o povo pode ser representado dignamente.
Justiça condena Toffoli a devolver R$ 420 mil aos cofres do Amapá
JOÃO CARLOS MAGALHÃES - da Agência Folha, em Belém - 19/09/2009 - 08h58
Indicado pelo presidente Lula para o STF (Supremo Tribunal Federal), José Antonio Dias Toffoli foi condenado pela Justiça do Amapá no último dia 8 dste mês
Segundo o artigo 101 da Constituição, entre os requisitos necessários para se tornar ministro do STF está o de ter uma "reputação ilibada".