terça-feira, fevereiro 10, 2009

O GOGÓ CONTRA O PAC ELEITORAL

O fato é que para enfrentar Dilma Roussef e o todo o peso da máquina governamental, o principal candidato de oposição terá que , literalmente, suar a camisa e gastar o gogó . Muitas obras de última hora ,muita propaganda e, principalmente, uma boa dose de chantagem eleitoral serão as armas usadas pelo governo petista.A chantagem fica por conta do velho mas eficiente argumento de que uma vitória da oposição representaria o fim dos programas de ajuda do governo.



O GOGÓ CONTRA O PAC ELEITORAL

A corrida pela sucessão presidencial de 2010 começou com muita gastança e pouca poupança, apesar de a crise econômica recomendar cautela e sobriedade. Mas o fato é que o governo havia planejado, para o biênio que se inicia, fazer do País um canteiro de obras. Algumas delas, sem dúvida, imprescindíveis, mas outras absolutamente desnecessárias, além de assinalar não mais do que o desejo de dar mais visibilidade ao governo nos dois anos que antecedem as eleições.

Segundo o jornal O Tempo , de Belo Horizonte, "a menos de seis meses do primeiro turno das eleições presidenciais, em outubro de 2010, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) terá uma sequência de inaugurações de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para inaugurar.Somente nas áreas de habitação e saneamento está prevista, de março a setembro do próximo ano, a conclusão de projetos em 29 centros urbanos.Na lista de inaugurações estão projetos habitacionais, obras de saneamento, dentre outras. No fim de junho, conforme a previsão do PAC, terminará a expansão da Linha 1 do metrô de Belo Horizonte - com cinco estações, dois terminais de integração e modernização de trens".

A crise econômica pouco afetou os planos governamentais no sentido da realização dessa série de obras no final de mandato. O governo, ao contrário das empresas privadas, não trabalha com balancetes, não contabiliza lucros ou prejuízos , não depende de capital de risco, nem da demanda de mercados. O governo manipula a seu bel prazer verbas provenientes da arrecadação, cujo percentual é estabelecido de maneira discricionária. E mesmo em momentos de crise como agora, pouco alivia a carga tributária sobre as costas da sociedade.

A crise que aperta a corda no pescoço da livre iniciativa,não existe para o setor governamental . Sob o pretexto de amenizar os seus efeitos sobre as classes pobres, Lula e sua turma continuam a fazer do assistencialismo a obra padrão do governo , destinando verbas cada vez maiores para o Ministério do Desenvolvimento Social,mas não investindo em projetos consistentes , que , de fato, representariam o desenvolvimento social para milhões de brasileiros, e não apenas uma gigantesca obra de caridade com propósitos evidentemente eleitorais, como é hoje. .A Educação Pública, por exemplo, continua entregue ao completo descaso, e o governo nada faz para reverter o quadro, a não ser medidas demagógicas como a de oferecer ao magistério o ridículo piso de R$950,00..

O fato é que para enfrentar Dilma Roussef e o todo o peso da máquina governamental, o principal candidato de oposição terá que , literalmente, suar a camisa e gastar o gogó . Muitas obras de última hora ,muita propaganda e, principalmente, uma boa dose de chantagem eleitoral serão as armas usadas pelo governo petista.A chantagem fica por conta do velho mas eficiente argumento de que uma vitória da oposição representaria o fim dos programas de ajuda do governo.Isso foi feito em 2006,contra a candidatura de Geraldo Alckmin, e certamente será reprisado ad infinitum na próxima campanha.

Tentar convencer os milhões de brasileiros, que mensalmente comparecem aos guichês da Caixa em busca das migalhas governamentais, de que se tal argumento fosse verdadeiro talvez fosse melhor para o País, resultaria numa fragorosa derrota eleitoral. Sendo assim, restam à oposição duas alternativas: a primeira é cair na armadilha do governo, tal como ocorreu com Geraldo Alckmin; a segunda, é convencer o eleitorado carente de que seria altamente vantajoso trocar o atual esmolismo oficial por uma política social consistente na qual se priorizaria uma reforma radical na Educação Pública e no setor de Saúde. Desde, é claro, a oposição tivesse de fato um projeto nesse sentido, o que, infelizmente, não parece. Sendo assim, derrotar a candidatura governista no atual contexto é um trabalho hercúleo que a oposição ainda não demonstra capacidade nem disposição para realizar.



EDMAR “CASTELO “ MOREIRA
Edmar Moreira é um político medíocre, que passaria completamente despercebido e incólume se não tivesse tido a cara-de-pau de aceitar um cargo que representa - mesmo que numa escala mínima - poder e influência. Ao ser escolhido pelos seus correligionários - os mesmos que, agora, num surto de moralismo, querem vê-lo expulso do partido – para a Segunda Vice Presidência e Corregedoria da Câmara, o deputado mineiro praticamente abriu o baú onde guardava seus malfeitos para que os seus desafetos os colocassem em exposição publica .

E deu a eles a oportunidade de colocar na vitrine além de suspeita de enriquecimento ilícito e fraude fiscal, um milionário e inusitado castelo plantado no interior de Minas. É sempre assim: enquanto permanecem na penumbra , os políticos , por mais corruptos e criminosos que sejam, contam com o silêncio cúmplice de seus colegas . Quando ascendem a um cargo de projeção e poder, contrariam interesses, provocam ciúmes , e se tornam presas fáceis dos que desejam vê-los de volta ao limbo. Com Edmar Moreira foi assim, e não será diferente com outros que, tendo alguma mancha no passado ou no presente, ousarem assumirem as luzes da ribalta.
100209

5 comentários:

Anônimo disse...

Anote aí::o PT e principalmente o Lula vão quebrar a cara com a senhora Dilma. Não irá nem pro segundo turno. Quando ela botar a cara dela na TV, e o povão ouvir seu discurso sem graça e autoritário, ela descerá nas pesquisas como quiabo na boca de desdentado.

Julio R. disse...

Para o anônimo acima;Enquanto os tucanos não se aproximarem do povo, não escutarem as massas, não discutirem projetos com sindicatos, líderes comunitários, sem terras, camponeses familiares, associações de trabalhadores e etc, Lula sempre terá popularidade maior. O povo deve e quer ser ouvido!

Rosena disse...

Podem escrever que eu assino: Lula vai gastar o que tem e o que nao tem para eleger a plastificada dilma. Ai de nós!!!!

Reinaldo disse...

Pois é Rosena. Ontem o cachaceiro-mor da República reuniu em Brasília uma massa de prefeitos de todo o Brasil, tendo ao seu lado, como sempre, a senhora Dilma. Se isso não é campanha elitoral descarada e vergonhosa disfarçada de sonelidade de governo, eu não sei mais o que é.

Anônimo disse...

ATÉ QUANDO O PSDB, PPS e DEM VÃO ASSISTIR DE BRAÇOS CRUZADOS LULLALALAU USAR A MESMA ESTRATÉGIA DO COLLOR (quando se candidatou e venceu as eleições de 1990)? Painel da Folha: Para divulgar viagens ao lado de Dilma, Lula dá atenção especial à imprensa regional - 23.fev.2009.Para divulgar suas viagens pelo país, feitas ao lado da ministra Dilma Rousseff, o presidente Lula da Silva tem dado atenção à imprensa regional. Em menos de dois meses, Lula já concedeu oito entrevistas exclusivas a veículos de Estados por onde passou em 2009 - foram 19 em 2008.As entrevistas costumam ser por escrito e seguem todas o mesmo padrão: com alguns dias de antecedência, o Planalto liga para um jornal do Estado a ser visitado por Lula e propõe que sejam enviadas cinco perguntas ao presidente. Em geral as respostas viram manchete. A coluna informa que a Presidência também já se reuniu com representantes de cerca de dez jornais populares para discutir o formato e a periodicidade da coluna fixa que Lula pretende manter para responder a dúvidas de leitores.