quarta-feira, julho 09, 2008

É CASTIGO DEMAIS!

A culpa para a situação lamentável em que se encontra a segurança pública do estado deve ser atribuída ao atual governador, Sergio Cabral , mas deve ser estendida também aos seus antecessores, que trataram a questão de forma leviana e populista,possibilitando , inclusive, que se estabelecesse uma situação de promíscua convivência entre policiais e bandidos. João Roberto Amorim, três anos, foi mais uma vítima do caos que tomou conta da segurança pública do Rio.
É CASTIGO DEMAIS!

O grito de dor e de extrema revolta de um pai que perdeu o filho de três anos, vitimado pela estupidez e pelo despreparo de quem deveria zelar pela sua segurança, sintetiza com precisão a indignação de toda uma população que não suporta mais conviver com o estado de violência , anarquia e impunidade que tomou conta do Rio de Janeiro, como de resto das principais metrópoles brasileiras.

De fato, é inconcebível que uma patrulha policial, no auge do descontrole, saia atirando a esmo sob o pretexto de perseguição a bandidos em fuga, e acabe confundindo o veículo de uma cidadã acompanhada de uma criança com o dos supostos marginais.Não existe explicação razoável para um erro tão primário ,a não ser a do desgoverno que se instalou na segurança pública do estado do Rio.

Policiais tresloucados existem e são suscetíveis de cometerem desatinos em qualquer parte do mundo. Mas a prática corriqueira de atos de puro descontrole e arbitrariedade só acontece em lugares onde a “política de segurança”, se é que ela de fato existe, é completamente falha. No Rio de Janeiro, a Polícia carece de profissionais qualificados e bem remunerados, de treinamento adequado, de equipamentos suficientes e, sobretudo, de um projeto de ação racional, que tenha continuidade nas sucessivas administrações estaduais.

A culpa para a situação lamentável em que se encontra a segurança pública do estado deve ser atribuída ao atual governador, Sergio Cabral , mas deve ser estendida também aos seus antecessores, que trataram a questão de forma leviana e populista,possibilitando , inclusive, que se estabelecesse uma situação de promíscua convivência entre policiais e bandidos.

Essa histórica e conhecida cumplicidade entre a polícia e o crime no RJ traz poucas esperanças de que este quadro desolador se resolva em breve espaço de tempo.Há pouco, o MP e a PF denunciaram o ex-secretário da Polícia Civil do estado por formação de quadrilha armada, para praticar lavagem de dinheiro, facilitação de contrabando e corrupção.É pouco? A segurança pública do RJ está a exigir uma revolução. Para tal, são necessários homens públicos de caráter firme, moral ilibada, e disposição e coragem para empreendê-la. Infelizmente, falta ao Rio e ao Brasil políticos dessa estirpe.

Nas últimas décadas, o povo fluminense se esmerou em eleger governantes bisonhos, populistas, e de reputação duvidosa, pouco dedicados a enfrentar os problemas agudos que atormentam a população. É até surpreendente que o estado e a cidade tenham sobrevivido aos desgovernos de figuras como Benedita da Silva, o casal Anthony Garotinho e o fabricante de factóides, César Maia. É castigo demais!
090708

13 comentários:

Anônimo disse...

Que tiroteio que nada! Um bando de marginais fardados, inconseqüentes, despreparados, assassinos, descarados. Não adianta querer culpar o governo, o presidente, o deputado. A culpa é de quem atirou e pronto. Não há justificativa que baste para um pai que perde seu filho para um grupo de marginais fardados. Um filho que perde seu pai é chamado de órfão, e um pai que perde seu filho? Não tem nome, devido ao tamanho da dor que este pai sente

Anônimo disse...

Que tiroteio que nada! Um bando de marginais fardados, inconseqüentes, despreparados, assassinos, descarados. Não adianta querer culpar o governo, o presidente, o deputado. A culpa é de quem atirou e pronto. Não há justificativa que baste para um pai que perde seu filho para um grupo de marginais fardados. Um filho que perde seu pai é chamado de órfão, e um pai que perde seu filho? Não tem nome, devido ao tamanho da dor que este pai sente

rUI vALLON disse...

No vídeo vemos como é estarrecedor o despreparo dos policiais. Foi execução pura e notória. Por essas ações fica uma certeza: ou a sociedade carioca passa a exigir uma faxina completa na PM ou naõ haverá cemitérios suficientes para comportar o número de mortos

Anônimo disse...

O GILMAR ÉSTÁ CERTO.
ALOPRADOS NU PUDER!
Comentário:
QUALQUER PESSOA INSTRUÍDA (não há PTralha instruído, os dito doutos do partido são pseudo alfabetizados) SABE OU TEM NOÇÃO DE QUE ALGEMAS E CAMBURÃO SÃO INSTRUMENTOS DE PROTEÇÃO FÍSICA DO POLICIAL CONTRA BANDIDOS PERIGOSOS NA FORMA DE AGIR USANDO A FORÇA BRUTA OU COM POSSIBILIDADE OU POTENCIAL PARA AGRESSÃO. NENHUM DA MAIORIA DOS PRESOS FAMOSOS ULTIMAMENTE SÃO PERIGOSOS PARA PARTIR PARA A AGRESSÃO FÍSICA - DAÍ LÓGICO QUE É INCONSTITUCIONAL O USO QUE SE FAZ DAS ALGEMAS E CAMBURÃO - PARECE UMA DEMONSTRAÇÃO DE FORÇA MISTURADA COM O COMPLEXO DE VIRA-LATA.

Anônimo disse...

Segundo reportagem publicada nesta quarta-feira pela Folha, o nome de Dirceu é citado no inquérito da Operação Satiagraha, deflagrada pela Polícia Federal na terça-feira (8). Pelas informações divulgadas, não é possível saber o eventual papel do ex-chefe da Casa Civil no suposto esquema. MAS ALGEMA PRO DECEU NADA. A GESTAPO DO LULLA-LALAU-PTOQUIO NÃO PRENDE NENHUM PTRALHA - E O QUE MAIS TEMOS ATUALMENTE NO BRASIL É PTRALHAS ALOPRADOS.

Anônimo disse...

E o que mais a PF tem contra Nahas?
Olhem, para o bem das instituições do Brasil, e da Polícia Federal em particular, espero que as acusações contra Naji Nahas sejam algo mais do que o Jornal Nacional acaba de noticiar, cumprindo a sua função, e que está no relatório da polícia.

1) Ele teria informações privilegiadas sobre a taxa de juros do Federal Reserve. Olhem: isso beira o ridículo. No relatório da Polícia, consta que alguém liga para Nahas e diz que a taxa de juros dos EUA vai cair até 0,5 ponto percentual. E, afirma a polícia, a taxa caiu mesmo. Isso é prova?

2) Outro indício estaria num diálogo de Nahas com um homem chamado Miguel: ele recomenda que o outro compre ações da Petrobras. Miguel lembra que elas estão caindo. Nahas pede que o outro faça o que ele está mandando. E as ações subiram mesmo porque a empresa anuncia a descoberta de uma nova reserva.

A ser assim, será preciso meter na cadeia todos os consultores do país. Tenham paciência! Espero que haja contra Nahas outras evidências de crime. O que foi apresentado no Jornal Nacional, que consta do relatório da Polícia, vai acabar entrando para o anedotário das investigações policiais.

No site Primeira Leitura, fazíamos sempre a nossa própria reunião do Copom, com ata e tudo. E ela tinha duas partes: numa, dizíamos o que defendíamos que se fizesse com os juros; na outra, dizíamos o que achávamos que o BC faria. Ao longo de dois anos, erramos duas vezes.

Aliás, o mercado sempre acerta o que nosso BC vai fazer. Quem vai para a cadeia?

Reitero: deve haver outra acusação contra Nahas. Se ela se resume ao que foi apresentado há pouco, a PF vai se desmoralizar.


Por Reinaldo Azevedo

Anônimo disse...

A FALA DELINQÜENTE DO MINISTRO DA JUSTIÇA
Abaixo, em preto, segue a reportagem de Gabriela Guerreiro, da Folha On Line, sobre uma fala de Tarso Genro. Ele merece resposta passo a passo (eu em azul).

O ministro Tarso Genro (Justiça) afirmou nesta terça-feira que a prisão do banqueiro Daniel Dantas, do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e do investidor Naji Nahas pela Polícia Federal mostra a disposição do governo de punir todos os envolvidos em irregularidades, mesmo que sejam de classes sociais privilegiadas. Tarso disse que a determinação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é combater a corrupção "independente de suas raízes", mostrando que não há mais "intocáveis" no país.
É mentira! HÁ INTOCÁVEIS NO BRASIL, SIM. ALGUÉM JÁ VIU PETISTA COM ALGEMAS? ALGUÉM JÁ VIU PETISTA PRESO? Eu nunca vi. E não é porque faltem falcatruas. É que sobra impunidade.
- Mensalão: a PF conseguiu meter alguém na cadeia?
- Dossiê dos aloprados: a PF conseguiu meter alguém na cadeia?
- Dossiê anti-FHC: a PF conseguiu meter alguém na cadeia?
Cito os três casos mais conhecidos. Mas a lista seria imensa. Vocês podem fazê-la com uma rápida pesquisa, começando com Waldormiro Diniz e chegando à venda da Varig. Vamos ouvir o nosso Beccaria dos Pampas:

"As prisões são um sinal para a sociedade que está acostumada a ver somente pobres indo para a cadeia, sendo retirados de camburões de forma indecente, de que isso está mudando. É determinação do presidente da República. O Estado combate a corrupção independente de suas raízes", afirmou.
A FALA É INDECENTE. COMO TARSO GENRO NÃO CONSEGUE FAZER A POLÍCIA RESPEITAR OS PRESOS POBRES, ELE DECIDIU QUE UMA BOA MANEIRA DE CONSEGUIR A IGUALDADE É DESRESPEITAR TAMBÉM OS PRESOS RICOS. A fala é energúmena, boçal. Tarso está dando corda à constituição, no país, de um estado policial — coisa estimulada, na origem, por Márcio Thomaz Bastos. E aí, doutor? Feliz com a sua obra? E saibam, caros leitores: todo estado policial começa com o apoio de massa: afinal, quem não gosta de ver “rico em cana”?
A primeira vitima dessa truculência seletiva — PARA PUNIR RICO — foi a empresária Eliana Tranchesi. Foi tirada da cama por um pequeno aparato de guerra, com as luzes das câmeras de TV na cara. “Ah, mas ela não sonegou, Reinaldo?” Se sonegou, tem de pagar pelo que fez. Mas isso não significa que deixou de ser uma pessoa dotada de direitos. Se sou Eliana, processo o Estado pela humilhação. Se ela transgrediu a lei, isso não dá ao ente público o direito de fazer o mesmo.
Escrevi isso, praticamente sozinho — creio ter sido o único àquela época —, no site Primeira Leitura. Disseram-me que estava louco. Não! Eu só estava, como estou, defendendo a lei.
E que se note: se a PF começar a humilhar petistas, se um dia vier a fazer com Roberto Teixeira o que fez com Eliana ou com os presos de agora, nem por isso vou achar justo. Mas que se note: ela não fará isso com petistas.

Apesar das reações contrárias às prisões de indivíduos de classes mais privilegiadas, o ministro disse que "não existem mais intocáveis no país, privilegiados, que não são tocados pela lei". "Isso dá reações, mas temos que encarar com naturalidade."
O texto de Gabriela, aqui, acaba vítima, acho que sem querer, do oficialismo. Quem é que está reagindo “às prisões de indivíduos de classes mais privilegiadas”??? Quem critica a prática da PF pede apenas o cumprimento da lei. Para ricos e para pobre.

O ministro disse que a disposição da PF é investigar todos os envolvidos em atos de corrupção identificados na Operação Satiagraha, mesmo que isso inclua integrantes do PT, como o ex-deputado Luiz Eduardo Greenhalgh (SP).
Que mané Greenhalgh o quê!!! O advogado, nesse caso, é apenas uma espécie de virtude que abona o vício. Explico-me: há um petista miúdo no meio da imbróglio para afetar imparcialidade. De todo modo, podemos tirar o cavalo da chuva: vai-se comprovar a inocência de Greenhalgh, né? Ele tem muitos serviços prestados a essa gente. Dica de pesquisa: "Caso Celso Daniel".

"Se respingar em algumas pessoas, seja de que partido for, isso é secundário. A Polícia Federal não investiga maus costumes, atividades profissionais de ninguém ou partidos políticos. A PF investiga delitos e está de parabéns por essa operação", disse Tarso.
Quando um ministro da Justiça precisa explicar isso, é porque a vaca já foi para o brejo.

O ministro admitiu que foi procurado por Greenhalgh, por telefone, para criticar o envolvimento de seu nome na operação. Tarso disse que pediu ao ex-deputado para encaminhar requerimento à PF caso não tenha se sentido confortável com a abordagem dos agentes, a exemplo do que ocorre com qualquer cidadão. "As pessoas que se sentem injustiçadas no inquérito, abrimos sindicância, se for o caso, para investigar qualquer lesão."
Está-se falando em lesão de direitos, senhor ministro.

Tarso se mostrou favorável ao uso de algemas para a prisão de envolvidos em atos de corrupção, desde que o agente policial avalie essa necessidade. Segundo o ministro, o governo não distingue o uso de algemas entre pobres e ricos — embora autoridades tenham criticado a "truculência" da PF durante as prisões de Dantas, Pitta e Nahas.
De novo, lá vem ele falar em “pobres e ricos”. O caso de Celso Pitta foi emblemático. Que resistência ele oferecia ali? O homem mal tinha acordado. Abriu a porta de casa para a Polícia. E isso não quer dizer que não mereça estar na cadeia.

"O uso de algemas tem que ser avaliado pelo agente. O objetivo é fazer a prisão com segurança. A Polícia Federal não deve ter critério de classe social. Se um cidadão de baixa renda pode ser algemado e nunca ninguém reclamou, se tiver que fazer prisão com algemas, que se faça."
É uma fala delinqüente, que tenta levar o arranca-rabo de classes para as algemas. Reitero: como Tarso não consegue fazer a polícia, no Brasil, respeitar os direitos humanos dos pobres, então ele decidiu instalar a igualdade: desrespeitar os dos ricos também. Exceção feita, claro, aos companheiros. Os fidalgos da estrela são dotados de direitos especiais.


Por Reinaldo Azevedo

Anônimo disse...

CLAUDIO HUMBERTO HOJE: O POR QUÊ

Comentário:
09/07/2008 | 00:00 Estava escrito: ele ia ?dançar? A sorte do banqueiro Daniel Dantas foi selada em maio de 2006 com a divulgação de documentos em uma revista, atribuídos a ele, de supostas contas no exterior mantidas pelo presidente Lula e alguns ministros, como Márcio Thomaz Bastos e Antônio Palocci, além do então diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Lacerda. Os documentos caíram no esquecimento; só não no das vítimas da trama.

Anônimo disse...

Vamos ver como andou se comportando o “banqueiro” Daniel Dantas:

1- Dantas pagou R$ 8,5 milhões ao advogado criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Cacai, amigo de José Dirceu. De fato, quem advogou para ele foi José Oliveira Lima, também chapa do ex-ministro, por R$ 1 milhão. O pagamento a Cacai foi, sei lá, uma espécie de deferência;

2- Dantas pagou, por meio da Brasil Telecom, R$ 1 milhão de reais a título de honorários advocatícios, a Roberto Teixeira. Sim, o Primeiro-Compadre, aquele da Varig;

3- Antes de a Gamecorp, de Lulinha, fechar o acordo milionário com a Telemar (atual Oi), Dantas pagava à empresa do filho do presidente e sua trupe R$ 100 mil mensais para que fornecessem conteúdo para o portal de internet da Brasil Telecom;

4- Dantas pôs em sua folha de pagamentos a agência Matisse, de propriedade de Paulo de Tarso Santos, petista histórico e marqueteiro das campanhas de Lula em 1989 e 1994. A Matisse foi contratada para "reposicionar" a marca da Brasil Telecom. Mas o que fez mesmo foi ajudar a "reposicionar" Dantas frente ao governo petista;

5- Dantas conseguiu emplacar no governo o ministro Mangabeira Unger, que contratara como consultor e trustee da Brasil Telecom, quando era controlada pelo Banco Opportunity. Mangabeira recebeu US$ 2 milhões;

6- Dantas contratou, sabe-se agora, Luiz Eduardo Greenhalgh, petista histórico. Não se conhecia a sua intimidade com esse ramo de negócios;

7 – Dantas contratou a agência de Marcos Valério, o notório operador do mensalão.

Dantas fez negócio, portanto:
- com o filho do presidente;
- com o compadre do presidente;
- com o ministro do presidente;
- com os chapas do ex-ministro forte do presidente;
- com o publicitário do presidente.
E tudo, como se vê, no governo do PT.

Os esbirros do petismo estão batendo palminhas por quê?

Refiro-me acima a pagamentos conhecidos. Mas também os remeto a trecho de uma reportagem de Marcio Aith, publicada na VEJA em 2006. Leiam com atenção:

Uma dica: ele [Daniel Dantas] poderia revelar, por exemplo, quantos encontros teve com o ex-presidente do Banco Popular, Ivan Guimarães, e o que foi discutido em cada um deles. Já se sabia que Guimarães operou como uma espécie de genérico de Delúbio Soares durante a campanha presidencial de 2002. O que não se sabia, e Dantas certamente pode comprovar, é que Ivan continuou operando na clandestinidade em 2003 e em 2004, já no governo, achacando empresas e empresários. Ivan procurou Dantas em setembro de 2004. Queria falar sobre a investigação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) contra o Opportunity.

Dias depois, a comissão julgaria um processo contra o banco, acusado de burlar regras do Banco Central ao admitir brasileiros num fundo de investimento das Ilhas Cayman. O Opportunity poderia ser inabilitado pela CVM, mas acabou recebendo uma pena leve. Esse Ivan é mesmo terrível.

Outra dica: Dantas poderia contar às CPIs como Yon Moreira da Silva, ex-diretor de Negócios Corporativos da Brasil Telecom, lhe apresentou a idéia de comprar parte da Gamecorp, a empresa de Lulinha. Aliás, o próprio Yon pode colaborar com as investigações. Depois que as circunstâncias vergonhosas do caso Gamecorp foram denunciadas por VEJA, o ex-diretor da Brasil Telecom declarou que a Telemar fizera um bom negócio e pagara um preço justo para tornar-se sócia do filho do presidente. O que Yon não conta é que essa declaração lhe foi implorada pelo próprio Palácio do Planalto – mais especificamente pelo então ministro Jaques Wagner, que, falando em nome do presidente Lula, pediu a Dantas que o ajudasse a preservar o filho do presidente. Como se vê, o obscuro Dantas daria uma ótima contribuição ao país se saísse de uma vez das sombras. Coragem, Dantas!

De volta à nossa campanha
Vejam só, caros leitores, eu posso escrever aqui o que os anões, mascates e ratazanas não podem: “Vai, Dantas, conta tudo. Mas tudo mesmo!”


Por Reinaldo Azevedo

MARA disse...

Estamos pedidos. Se queremos educação para os nossos filhos temos que pagar escola particular, se queremos saude temos que pagar um plano de saúde, se queremos viajar temos que pagar pedágio. Agora se não quisermos assistir nossos filhos morrerem com um tiro na cabeça temos que contatar seguranças paticulares. Afinal, PARA QUE SERVE GOVERNO, PARA QUE SERVE ESTADO? ALGUÉM ME RESPONDA.

Anônimo disse...

Por que não prenderam pelo mesmo motivo "há a necessidade da prisão preventiva de Dantas visto que existem indícios suficientes de autoria e de participação no delito de corrupção ativa" o bando de PTralhas do Mensalão (Zé chefe de quadrilha a frente), Dilma no caso VARILOG e do Dossie contra FHC, Lullinha no caso GAMECORP, Vavá irmão do Lulla no caso 2 pau, Palocci no caso do LIXO de Ribeirão Preto, O sombra e Gilberto de Carvalho no caso da morte do Prefeito Celso Daniel, Palocci no caso do sigilo bancário do caseiro, Duda Mendonça e Lulla no caso de pagamento de campanha no Exterior, Waldomiro Diniz no caso da CAIXA quando ainda trabalha na Casa Civil, o Padre PTralha viadinho que corrompia menores com dinheiro público colocado na ONG, Guchiquem pela manipulação das licitações por meio da indicação da maioria dos membros das comissões de licitações de propagando do Governo, o churrasqueiro do Lulla que estava fazendo dossie falso nas eleiçoes com o pessoal do Berzoine do Lulla e do Mercadante,Marta Suplici pela dívida que deixou por crime de violação da lei de responsabilidade fiscal, o PT gaucho pela compra da sede com dinheiro do bicho conforme denuiou o Zé Dirceu, Berzoine pela desvio de dinheiro da cooperativa BANCOOP, Guchiquem pelas denuncias de manipular fundos de pensões e auxiliar nas maracutais das cias. de telefonias, o PTralha que levava dólares na cueca, Duda pelas brigas de galos e sonegação de impostos, MARCO VALÉRIO pelo VALÉRIO-DUTO, etc...

Anônimo disse...

Por que não prenderam pelo mesmo motivo "há a necessidade da prisão preventiva de Dantas visto que existem indícios suficientes de autoria e de participação no delito de corrupção ativa" o bando de PTralhas do Mensalão (Zé chefe de quadrilha a frente), Dilma no caso VARILOG e do Dossie contra FHC, Lullinha no caso GAMECORP, Vavá irmão do Lulla no caso 2 pau, Palocci no caso do LIXO de Ribeirão Preto, O sombra e Gilberto de Carvalho no caso da morte do Prefeito Celso Daniel, Palocci no caso do sigilo bancário do caseiro, Duda Mendonça e Lulla no caso de pagamento de campanha no Exterior, Waldomiro Diniz no caso da CAIXA quando ainda trabalha na Casa Civil, o Padre PTralha viadinho que corrompia menores com dinheiro público colocado na ONG, Guchiquem pela manipulação das licitações por meio da indicação da maioria dos membros das comissões de licitações de propaganda do Governo, o churrasqueiro do Lulla que estava fazendo dossie falso nas eleiçoes com o pessoal do Berzoine do Lulla e do Mercadante, Marta Suplici pela dívida que deixou por crime de violação da lei de responsabilidade fiscal, o PT gaucho pela compra da sede com dinheiro do bicho conforme denunciou o Zé Dirceu, Berzoine pela desvio de dinheiro da cooperativa BANCOOP, Guchiquem pelas denúncias de manipular fundos de pensões e auxiliar nas maracutaias das cias. de telefonias, o PTralha que levava dólares na cueca, Duda pelas brigas de galos e sonegação de impostos, MARCO VALÉRIO pelo VALÉRIO-DUTO, o Ministro dos Esporte pelos gastos com Cartões Corporativo, A Ex-ministra Matilde demitida por Lulla, o cumpadre do Lulla pelo 5 milhões recebido pra vender a VARILOG pelo menor preço, a afilhada do Lulla filha do cumpadre por tráfico de influência e corrupção no caso da venda por valor simbólico da VARILOG, a Governadora PTralha do Para pelo strupo por 37 presos de menores e pelas morte de crianças, Severino pelo mensalinho, Genoino pelos empréstimos do BMG e Valério ao PT, o etc...

Anônimo disse...

Greenhalgh foi pego no grampo da PF pedindo ajuda ao chefe-de-gabinete do presidente Lula, Gilberto Carvalho, justamente após Braz ter constatado que estava sendo seguido por investigadores da operação. Carvalho se prontificou a ajudar o colega, o que motivou os policiais a também pedirem a prisão de Greenhalgh por atuar em favor do banqueiro no Palácio do Planalto. A Justiça, no entanto, negou o pedido.
Logo depois de estourada a operação da PF, o ex-deputado petista ligou para o ministro da Justiça, seu colega de sigla Tarso Genro. A Folha apurou que o diálogo foi duro. Segundo relatos de quem conversou com Greenhalgh nos últimos dias, ele teria dito a seguinte frase a Tarso: "Se eu fosse o ministro, não faria isso com você".
Segundo o advogado Nélio Machado, responsável por defender Dantas, o ex-deputado petista também trabalhará no caso
Em telefonema, Greenhalgh pediu a Carvalho que checasse se a Abin (Agência Brasileira de Inteligência) investigava Braz.
Na conversa, o ex-deputado ainda pede ao chefe-de-gabinete que procurasse Luiz Fernando Corrêa, diretor-geral da Polícia Federal.
Anteontem, por meio da assessoria, Carvalho admitiu que recebeu Greenhalgh no Palácio do Planalto, ao menos por três vezes neste ano.
A CPI dos Correios, concluída em 2006, identificou que três empresas de telefonia controladas por Dantas irrigaram em mais de R$ 150 milhões as contas do "valerioduto", no escândalo do mensalão.
Humberto Braz, que é acusado pela PF de tentar subornar policiais a fim de tirar o nome de Dantas das investigações da Satiagraha, foi apontado pela CPI como um dos elos entre o banqueiro e o partido na época.
Além de Greenhalgh, outros quatro advogados ligados a petistas foram contratados por Dantas nos últimos anos.