segunda-feira, maio 19, 2008

EXEMPLO A SER SEGUIDO

Certamente sairíamos ganhando se uma desejada reforma política nos aproximasse do modelo norte-americano, no que se refere à seleção dos candidatos. Mesmo com as reconhecidas falhas que esse modelo apresenta, ele é infinitamente superior, mais justo, e mais transparente do que a prática brasileira nesse quesito.

EXEMPLO A SER SEGUIDO

Tomemos o exemplo dos Estados Unidos: lá a escolha do candidato não é apenas um acordo de cúpula nos partidos políticos, mas um processo que envolve os eleitores, numa dinâmica que obriga os candidatos, desde cedo, a expor os seus planos e as suas idéias.No caso particular do Partido Democrata, muitos candidatos se apresentaram no início das disputas primárias, mas a seleção natural da espécie por meio do voto dos afiliados fez com que a maioria ficasse pelo caminho, e o embate final fosse travado entre Barack Obama e Hillary Clinton.

É ótimo para o eleitor do partido e excelente para a democracia norte-americana que assim seja, pois eles têm a grande oportunidade de avaliar com mais precisão os pré-candidatos, e, mais do que isso, selecionar aquele que eles consideram o mais preparado para a disputa presidencial. No Brasil, infelizmente, estamos longe de um processo semelhante, porque aqui a escolha dos candidatos é um assunto restrito às cúpulas de cada partido.

A título de exemplo, tomemos o PSDB, considerado o principal partido de oposição. É sabido que no partido existem , no mínimo,quatro pretendentes ao trono presidencial :José serra, Aécio Neves, Geraldo Alckmin e Arthur Virgílio.Seria excelente para o arejamento dos costumes partidários se o confronto entre eles não ficasse restrita aos bastidores, mas fosse estendida a todos os filiados, numa disputa,aberta, leal e franca pelo voto de cada eleitor.

Mas isso não acontece, e parece muito longe de acontecer. A dois anos da eleição presidencial, o que menos parece interessar são as idéias de cada um, mas sim a competência de articular estranhos acordos e alianças, semear intrigas e derrubar adversários com golpes baixos, longe dos olhos e do interesse do eleitor.

A atual disputa travada em duas das mais importantes cidades brasileiras – São Paulo e Belo Horizonte – é o retrato vivo de como é intensa a disputa pela presidência em 2010: a eleição municipal nesses municípios se transformou num mero apêndice da sucessão presidencial.

Em BH,o governador tucano Aécio Neves e o prefeito petista Fernando Pimentel tentam conduzir o processo de sucessão municipal de acordo com as suas ambições eleitorais para 2010. Aécio quer a presidência da República e Pimentel quer o governo do Estado, com o apoio de Aécio. Para isso, construíram uma inusitada aliança e lançaram o nome do desconhecido Mauricio de Lacerda à prefeitura da capital. O projeto de aliança enfrenta fortes resistências do PT nacional que acha que o prefeito de BH foi longe demais ao se aliar com Aécio.

Em São Paulo, o sonho de José Serra em se consolidar como candidato à sucessão de Lula levou a ala do PSDB sob o seu comando a apoiar a candidatura de Gilberto Kassab do DEM, abrindo mão de uma candidatura própria, em troca da manutenção da aliança com os democratas em 2010. Geraldo Alckmin e seus aliados, entretanto, não pensam dessa forma.O lançamento da candidatura do próprio Alckmin à prefeitura paulistana não tem outro sentido que não o de enfraquecer Serra, leva-lo a uma derrota política agora ,e viabilizar o nome de Alckmin como candidato do partido na disputa presidencial de 2010. Como se pode notar, as disputas dentro de cada partido -isso quando há disputas – costumam ser como briga de foice em quarto escuro, e vence quem for mais capaz de se fortalecer às custas da aniquilação do inimigo.

Certamente sairíamos ganhando se uma desejada reforma política nos aproximasse do modelo norte-americano, no que se refere à seleção dos candidatos. Mesmo com as reconhecidas falhas que esse modelo apresenta, ele é infinitamente superior, mais justo, e mais transparente do que a prática brasileira nesse quesito.

Para chegar aonde chegou, Barack Obama teve que, literalmente, arregaçar as mangas e suar a camisa, ou seja, se expor para milhões de eleitores, submeter-se à avaliação das urnas em dezenas de estados, e enfrentar as críticas da mídia.E terá que continuar a suar a camisa se quiser ir mais longe do que já foi até agora. Para chegar aonde pretendem, Serra, Aécio ou Alckmin terão que continuar a fazer acordos pouco transparentes, alianças eleitorais paradoxais, promessas de cargos e de fatias de poder a pretensos aliados, e eliminar resistências internas não se sabe a qual preço. A diferença , portanto, está em que lá o processo se aproxima da democracia que todos ambicionamos, enquanto que aqui se assemelha em muito aos métodos praticados pelos partidos totalitários na seleção de suas lideranças e manutenção do Poder.
190508

11 comentários:

Anônimo disse...

O PSDB criou uma geração de homens medíocres, que fazem política à moda antiga. Estão mais preocupados com seus umbigos do que em combater os adversários petistas, livrar o país do mal que lhe causam e conquistar o poder nacional. Têm uma vocação irresistível pra ser um PMDB desidratado, uma federação de caciquezinhos regionais. Interessa-lhes mais o poder na província do que o país.

Rosena disse...

Pois é Fernando, tb invejo a disputa eleitoral lá no norte. Por aqui tudo é feito as escuras sem a participação do povo. Não acho que Alckmin queira a presidencia, ele quer atapalhar Serra e abrir camonho para Aécio ser o candidato. Com essa briguinha de bastidores quem ganha são os petralhas.

NÃO TEM COMPARAÇÃO disse...

o QUE NÃO TEMOS SÃO PARTIDOS POLÍTICOS DE VERDADE. NOSSOS PARTIDOS SÃO MEROS PRETEXTOS PARA O LANÇAMENTO DE CANDIDATURAS. NOSSOS PARTIDOS NÃO TEM IDEOLOGIA, NÃO TEM PROGRAMAS, NÃO TEM NADA. SÓ OBEDECEM AS DETERMINAÇÃOES DO CHEFE DE PLANTÃO.AQUI SE FALA NO PÁRTIDO DO SERRA, NO PARTIDO DO AÉCIO , NO PARTIDO DO LULA, NO PARTIDO DE FULANO E NO PARTIDO DE SICRANO. COMPARAR OS NOSSOS PARTIDOS COM OS DOIS GIGANTES DOS ESTADOS UNIDOS É O MESMO QUE COMPARAR O SÃO CAETANO COM O MILAN DA ITÁLIA.

KARLOS disse...

Uma disputa eleitoral primária como a dos Estados Unidos exige um financiamento fenomenal. Lá a iniciativa financia a campanha dos candidatos. Isso seria impossível no brasil. Se estabelecessem o financiamento público, pior ainda. O povo mais uma vez seria obrigado a pagar por mais esse desperdício de dinheiro público

Anônimo disse...

FIM DE UMA IMBECILIDADE DESUMANA:
A Câmara dos Deputados aprovou um projeto que permite aos pais separados uma nova forma de dividir a responsabilidade pela educação dos filhos - a guarda compartilhada. A prática já vinha sendo adotada por alguns juízes, mas ganha relevância quando se torna lei, já que as pessoas não podem se rebelar. A medida exigirá que os pais mantenham uma relação mais permanente em benefício dos filhos, apesar de separados. Vai prevalecer o diálogo, o entendimento.
ESSE PROJETO ACABA COM UMA ESCRAVIDÃO ABSURDA EM QUE OS FILHOS ERAM APENAS FILHOS DA MÃE. ACABA COM UMA DISCRINAÇÃO NAZISTA: AQUELA QUE CONSIDERA A MÃE MAIS PREPARADA E DIFERENCIADA DO PAI. ESSA LEI ACABA COM UMA ABERRAÇÃO DAS LEIS BRASILEIRAS, QUE A MAIORIA DOS POLÍTICOS, VESGA PELO DINHEIRO ALHEIO, NÃO VIA A UM PALMO DE SEU NARIZ. AINDA NÃO É O ADEUS COMPLETO, POIS FILHOS AINDA DEVEM TER RESIDÊNCIA FIXA, GERALMENTE DA MÃE.

Anônimo disse...

O PT criou uma geração de homens medíocres, analfabetos, ladrões, mentirosos, manipuladores, e assassinos (vejam os 2 prefeitos mortos, indios sem alimentação,dengue, febre amarela, etc) que fazem política à moda antiga, da idade média. Estão mais preocupados com seus umbigos com o povo. Querem fazer do país uma propriedade sua. XADREZ NELLES!

Anônimo disse...

PT - O PARTIDO QUE MAIS ROUBA VOCÊ!


A falácia do imposto da Saúde: neste ano, governo vai ter um excedente de arrecadação correspondente a mais de uma CPMF e meia! O Babalorixá de Banânia afirmou ontem que, com a CPMF, o governo estaria realizando coisas verdadeiramente formidáveis na Saúde. A base aliada se reuniu, um tanto sorrateira, para recriar a contribuição, agora com alíquota de 0,1%, o que se faria por lei complementar, que precisa de maioria simples para ser aprovada. O novo imposto se chamaria Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide). Eles acham que CPMF pega mal. Ah, bom... Mas é preciso ter um novo imposto? O Orçamento de 2008 foi feito em 2007. A arrecadação federal deve fechar o ano R$ 16,2 bilhões acima do que havia sido inicialmente projetado. Em relação ao que se havia antevisto no ano passado, quando se fez a peça orçamentária, haverá um excedente de R$ 61,9 bilhões. E qual seria o total da CPMF neste ano? R$ 40 bilhões. Sendo assim, mesmo sem aquela contribuição, o governo terá arrecadado 54,75% A MAIS do que a ?perda? que teve com o imposto do cheque. Isto mesmo: terá uma CPMF inteirinha, mais 54,75%!

Anônimo disse...

BRASIL DO LULLARAPIO SEM LEI, olha tua cara:
A frase-símbolo de José Aparecido ? ?Vazei, mas não fui eu? ? diz tudo.

Anônimo disse...

AINDA CONTINUA O CAOS AÉREO NO BRASIL...

DESGOVERNO DO LULLA-LALAU-PTÓQUIO-ALOPRADO.


Infraero registra 129 vôos cancelados no País até às 19H
A Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) registrou atrasos superiores a 30 minutos em 372 vôos hoje até às 19 horas, o que corresponde a 24,1% do total de 1.545 vôos programados. Outros 129 vôos foram cancelados (8,3%).


O Aeroporto de Salvador, na Bahia, registrou o maior número de atrasos: 48 em 85 vôos (56,5%). Além disso, houve 3 cancelamentos (3,5%).


No aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, dos 196 vôos programados, 35 atrasaram (17,9%) e 4 foram cancelados (2%).


No aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, foram contabilizados 36 atrasos (18%) e 32 cancelamentos (16%) de um total de 200 vôos programados.


O aeroporto do Galeão, na Ilha do Governador, no Rio, teve 37 vôos atrasados (27,4%) e 8 cancelados (5,9%), de um total de 135 operações.


No Santos Dumont, também no Rio, ocorreram 6 atrasos, em 73 vôos (8,2%), e 27 cancelamentos (37%).


Em Brasília, o Aeroporto Presidente Juscelino Kubitschek acumulou 31 vôos atrasados (24,8%) e 14 cancelados (11,2%), do total de 125 programados.

Anônimo disse...

CRIMINOSO NU PUDER!

XADREZ PRO LULLALAU, pra Dilma-Terrorista, pro José Aparecido, pra Marisol, pros Ptralhas em geral...

Bertold Brecht, um autor de peças de teatro muito cultuado pela esquerda quando não está nu puder, e muito citado por elles, disse pela sua mais famosa obra A vida de Galileu: "Eu te digo, aquele que não conhece a verdade é simplesmente um ignorante, mas aquele que a conhece e diz que é mentira, este é um criminoso".

Luis Hipolito disse...

Tudo bem? Assinei seu blog através do Bloglines e estarei acompanhando todas as postagens. Um abraço e sucesso!