segunda-feira, janeiro 07, 2008

CAOS DO TRÂNSITO AFETA MENTE DE MINISTRO

A justa indignação provocada pela tragédia das estradas deve ter afetado a mente do ministro da Justiça, que ao invés de propostas consistentes se saiu com um monte de asneiras...

CAOS DO TRÂNSITO AFETA MENTE DE MINISTRO

Alguns ministros do governo Lula dão a impressão de que são pagos pelos contribuintes para terem idéias estapafúrdias e de nenhum sentido prático.É o caso de Tarso Genro, Ministro da Justiça, que aparentando não ter coisa mais útil a fazer, sugeriu o ordenamento do trânsito brasileiro através de medidas punitivas extremas aos infratores, que vão do estabelecimento de multas no valor do veículo do infrator até a prisão do motorista que ultrapassar determinado limite de velocidade.

Não é por aí, ministro.O caos e a tragédia no trânsito brasileiro são resultado de quatro ou cinco fatores que se completam, nem todos eles de responsabilidade exclusiva dos cidadãos, conforme parece sugerir a declaração do ministro: estradas em péssimo estado de conservação, má educação dos motoristas, falta de fiscalização, corrupção dos órgãos de trânsito e impunidade.

O Código de Trânsito Brasileiro, aprovado em 1997,apesar de requerer alguns ajustes, é suficiente para ordenar o trânsito. O problema é que não é cumprido, como também muitas outras leis neste país. Quando desrespeitado, não existe punição, e quando, excepcionalmente, a punição acontece, o famoso jeitinho brasileiro entra em ação, no Detran ou na Justiça, para livrar a cara do infrator ou do criminoso.

Mas ao invés de culpar o cidadão por tudo de ruim que acontece no trânsito, e sobre ele querer descarregar mais uma carga de multas pesadas, o governo melhor faria se atuasse com eficácia no que lhe compete nessa questão, ou seja, cuidasse para que as rodovias do Brasil tivessem condições decentes de tráfego, estancasse a corrupção que assola os órgãos de trânsito, aumentasse a eficácia da fiscalização, e enfatizasse nos currículos escolares a educação para o trânsito, de tal forma que as novas gerações fossem mais diligentes e menos imprudentes e homicidas do que a atual.

É justa a indignação de muitos diante da carnificina que assola as nossas estradas, em especial nos feriados prolongados.Durante o ano passado, somente nas estradas federais , foram registrados 123 mil acidentes, com a inacreditável marca de 6840 mortes e mais de 75 mil feridos. O que não pode é o governo permanecer inerte diante desta tragédia, e quando convocado a se manifestar, o fazer de forma tão pequena, despropositada e leviana, como na recente manifestação do ministro da Justiça.
070108

2 comentários:

Rosena disse...

O Tarso Genro não foi aquele que liderou uma campanha pedindo a derrubada de FHC qdo ele mal tinha iniciado o seu 2º andato?Ele já tem antecedentes criminais e psiquiatricos rs rs

Anônimo disse...

A AGENCIA DO LULLALAU DE NOTICIAS ENGANADORAS, A MENTIROBRAS, ACABOU DE ENTREVISTAR O MIN. DA SAUDE QUE GARANTIU QUE NÃO HÁ NADA, MAS QUE TODOS DEVEM SE VACINAR. O CASO DOS MACACOS MORTOS NA PICINA EM BRASILIA FOI PORQUE OS MACACOS AINDA NÃO TINHAM ENTRADO EM UMA ACADEMIA DE NATAÇÃO.

Obs.: nunca antes neste paiz, desde 1941 não havia caso de febre amarela urbana, mas no gov. Lullarapio-PToquio já houve 3 casos no ano passado e mais dois este ano. Mas, o Ministro garantiu que ainda nada houve de febre amarela, pois segundo os pacientes mortos eles não podem mais confirmar nada, ate por que febre não tem cor!


Febre amarela: O que é, onde vacinar


Do CorreioWeb - Brasília, quinta-feira, 10 de janeiro de 2008
A população do Distrito Federal deve ficar atenta às recomendações do Ministério da Saúde e Secretaria de Saúde do DF para prevenção da febre amarela. Pelo menos 50 municípios localizados nos estados de Minas Gerais, Goiás e no Distrito Federal estão em alerta, depois que macacos foram encontrados mortos, infectados pelo vírus da doença. Um morador de Brasília morreu nesta terça-feira (8), com forte suspeita de febre amarela.

O Distrito Federal recebeu nesta quarta-feira mais 250 mil doses da vacina. Por determinação do governo local, durante o mês de janeiro os postos de saúde vão oferecer a vacina contra a febre amarela de segunda a domingo.

Transmissão
A febre amarela é uma doença infecciosa, causada pelo vírus amarílico. A doença ataca o fígado e os rins e pode levar à morte. Existem dois tipos diferentes de febre amarela: a urbana e a silvestre. A principal diferença é que nas cidades, o transmissor da doença é o mosquito Aedes aegypti, o mesmo da dengue. Nas matas, a febre amarela ocorre em macacos e os principais transmissores são os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes, que picam preferencialmente esses primatas.

Esses mosquitos vivem também nas vegetações à beira dos rios. Primeiro picam o macaco doente e depois, o homem. A maior incidência da doença acontece nos meses de janeiro a abril, período das chuvas. Nessa época, há um aumento da quantidade do mosquito transmissor e maior atividade agrícola, que leva ao deslocamento de um número maior de pessoas às áreas com risco de transmissão. Já morrem 3 no na passado e mais 2 morreram este ano.