quarta-feira, dezembro 26, 2007

OS 'DEMOS" COMEÇAM A INCOMODAR

A substituição de velhos caciques por novas caras não será suficiente para fazer do ex-PFL um partido que se imponha como alternativa à alternância de poder entre o PT e o PSDB. Será preciso muito mais...


A batalha da CPMF no Congresso trouxe um fato novo no cenário político: o crescimento do Democratas como uma força de oposição que incomoda o governo. A sua posição firme, contrária desde o início à prorrogação das CPMF, constituiu-se numa verdadeira pedra no sapato do governo petista, a ponto do presidente Lula referir-se a ele como os "demos"- numa alusão óbvia ao demônio - que sem responsabilidade de governo e sem perspectiva imediata de poder querem ver instalados o caos e a ingovernabilidade no País. Sintomaticamente, ao mesmo tempo em que demonizava os ex-pefelistas, Lula poupava o PSDB.

De fato, o comportamento dos tucanos na questão da CPMF foi dúbio e hesitante. Refletindo divisões internas do partido, alinharam-se , de um lado, os governadores, capitaneados pelos presidenciáveis José Serre e Aécio Neves que se posicionaram a favor da continuidade do imposto. Do outro lado, os senadores do partido transitaram de uma posição inicial contrária à prorrogação para uma posição de defesa da negociação com o governo, retornando, ao final, à sua posição original. Se para alguns este comportamento refletiu a capacidade do partido de transigir e saber negociar, para muitos ficou a impressão de que os tucanos constituem uma oposição tatibitate, o que reforçou a velha crença de que eles têm mais semelhanças do que diferenças em relação ao PT.

Com a falta de determinação dos tucanos, quem ganhou foram os democratas, que ao assumirem desde o início uma posição de combate ao imposto do cheque respaldaram o desejo de uma significativa parcela da sociedade que abomina a elevada carga tributária .Ao contrário da tibieza dos tucanos, o partido fechou questão contra a prorrogação e passou a incomodar o Planalto.Com isto, ao findar o ano político, o Democratas pode comemorar o fato de ter sido o único agrupamento político a colher vitórias, num ano tão pobre de acontecimentos dignificantes.Para isso, contribuiu o fato do partido ter passado por um processo de renovação que começou com a troca do nome, passou pela mudança dos quadros diretivos e pela reformulação do programa partidário.

Na verdade, o DEM tenta se livrar do fardo de ter sido nas décadas de 60, 70 e 80 o sustentáculo político do regime militar - como herdeiro direto da ARENA e do PDS -, habitat de velhos e conhecidos caciques da política brasileira e com raízes fincadas no clientelismo político do nordeste, ou seja, um partido genuinamente conservador. Mas para isto não bastarão as mudanças de sigla, a troca da direção, dos velhos nomes para políticos mais jovens, ou algumas jogadas de marketing. Será preciso que a mudança aconteça no campo das idéias , do programa partidário e , principalmente , da ação política. O DEM terá que transitar do velho conservadorismo para o novo liberalismo.

Em outras ocasiões, já me referi a respeito da ausência no cenário político de um partido que represente a parcela da sociedade- em especial a classe média - que deseja um governo eficiente num estado enxuto , menos burocrático ,menos intervencionista e com menos impostos. O Democratas , após a renovação , insinua que pretende trilhar este caminho. Se assim for, poderá se impor como uma das forças hegemônicas de nossa política, distinguindo-se do PSDB e deixando de caminhar a reboque dos tucanos, o que acontece desde 1994. As posições divergentes dos dois partidos na questão da CPMF pode ter sido o primeiro passo nessa direção.
261207

3 comentários:

Anônimo disse...

Ótimo artigo.

Rebeca disse...

Fernando,
Não acredito que os democratas agirão de forma mais eficiente, deixando sendo lado conservador e tornando-se mais liberal. Quanto aos tucanos não espero grandes mudanças: agem pisando nos ovos, uma oposição super fraca, dúbia.
Mudaram-se as caras, a casca, mas o conteúdo, as atitudes continuam as mesmas.
Espero que em 2008, nossos políticos mudem de verdade de atitudes.
E para vc tudo de bom em 2008 e continue a nos prestigiar com bons artigos.

Elton disse...

So mesmo com renovação pq os velhos nomes do ex pfl eram duros de engolir. Mas estou gostnado da firme atuação deles conmra o PT. Alem disso ficaram a favor da cassação de Renan