segunda-feira, outubro 22, 2007

DÁ PRA COMEMORAR?

Ao ampliar e incorporar os diversos programas sociais do governo de FHC sob a rubrica de Programa Bolsa Família, o governo petista encontrou o mapa da mina quando percebeu que num país constituído por milhões de pessoas socialmente carentes, desempregadas e desinformadas seria mais fácil dar-lhes uma espécie de esmola mensal do que implementar políticas sociais consistentes nos campos da educação, saúde e saneamento básico, e desenvolvimento econômico para a geração de empregos.


Lula e uma beneficiária do Bolsa Família: aonde vai dar este esmolismo oficial?

DÁ PRÁ COMEMORAR?

O programa Bolsa Família completou, sábado, quatro anos de vida. Considerado pelo governo como um importante instrumento de distribuição de renda, o programa é a síntese de toda a política social do governo Lula.O que, apesar da grandiosidade dos números, não significa muita coisa em termos de resultados consistentes.

Nas décadas em que foi oposição, o PT e seu líder , verbalizando o velho e radical discurso em defesa da classe trabalhadora e dos oprimidos em geral, sempre mantiveram uma posição de crítica e de desprezo em relação às políticas sociais de cunho meramente assistencialistas. Ideologicamente, o partido transitou do socialismo -que defende a incorporação dos meios de ´produção pelo Estado como forma de promover o igualitarismo social - para a social democracia - que defende a intervenção do Estado na economia e na sociedade como forma de promoção de bem-estar social. Jamais se ouviu, então,da boca do PT, a defesa de um estado prioritariamente assistencialista, que a prática do governo petista tornou padrão e modelo.

Pouco após assumir o governo, em 2003, ainda em meio a massiva propaganda que tentava nos convencer de que o programa "Fome Zero" acabaria com a miséria do Brasil, o presidente disse que era fácil governar para os pobres: "eles se satisfazem com pouco, não reclamam e não vão a Brasília reivindicar". Estava na prática, inaugurando a fórmula simplista de governar tomando recursos da sociedade- em especial da classe média - e simplesmente transferindo uma parte destes para os cadastrados em seu programa.

De fato, ao ampliar e incorporar os diversos programas sociais do governo de FHC sob a rubrica de Programa Bolsa Família. o governo petista encontrou o mapa da mina, quando percebeu que num país constituído por milhões de pessoas socialmente carentes, desempregadas e desinformadas seria mais fácil dar-lhes uma espécie de esmola mensal do que implementar políticas sociais consistentes nos campos da educação, saúde e saneamento básico, e desenvolvimento econômico para a geração de empregos.

Mas o governo tenta fazer a defesa do seu programa e critica os que o criticam.. Argumenta que ele tem aumentado a renda das camadas mais pobres e incrementado as atividades econômicas nas comunidades carentes, pelo aumento da circulação de dinheiro.De acordo com os dados do Ministério do Desenvolvimento Social, atualmente, 11 milhões de famílias -mais de 45 milhões de pessoas - são beneficiadas com o programa. São números, de fato, impressionantes, mas que ao invés de nos fazer regozijar, nos enchem de preocupação, pois ,a meu ver, o que este esmolismo oficial patrocinado com dinheiro dos nossos impostos, tem possibilitado é a multiplicação de cidadãos dependentes, acomodados, desmotivados para o trabalho e o estudo, e sem a perspectiva de um futuro efetivamente melhor, o que somente se daria se , em lugar da esmola mensal, lhes fossem oferecidos educação de qualidade e emprego.

O outro aspecto negativo do assistencialismo petista é o seu caráter eminentemente eleitoreiro. Ao ampliar o programa , aumentando o número de pessoas beneficiadas,Lula nada faz do que assegurar e aumentar o seu eleitorado ,ou seja, gente disposta a assegurar-lhe sucessivos mandatos, tanto em sinal de agradecimento pela dádiva governamental, como pelo medo de que sua substituição por outro governante e por outro partido signifique o fim desta dádiva. Lula e os seus partidários não têm feito outra coisa senão usar do programa como instrumento de chantagem eleitoral , quando insinua- conforme fez na última campanha – que uma vitória da oposição significaria o fim dos benefícios.A oposição, talvez por não ter um programa social alternativo e consistente a oferecer, cai na armadilha e repete que não tem intenção de acabar com o programa petista, mas apenas “aprimora-lo”.

Portanto, a política assistencialista do governo lulo-petista não passa de um gigantesco engodo e é péssima para o futuro do Brasil.É péssima sob o ponto de vista social, porque muito antes de possibilitar o resgate de milhões de pessoas da condição de marginalidade social em que se encontram, possibilita a permanência destas pessoas nesta condição, com a agravante de leva-las ao acomodamento e à dependência. É péssima sob o ponto de vista político, porque serve de instrumento de chantagem eleitoral para a perpetuação no poder de um partido e de um governante.

Por fim, o que o governo vê como motivo de júbilo deve ser motivo de constrangimento para os cidadãos conscientes deste país.Permanece mais atual do que nunca os versos da música “Vozes da Seca” de Luiz Gonzaga e Zé Dantas, por traduzir com exatidão este sentimento: ‘Seu dotô, uma esmola a um pobre que é são, ou lhe mata de vergonha , ou vicia o cidadão”. Infelizmente, falta vergonha a muitos neste país.
221007

5 comentários:

Anônimo disse...

Uma criança de quatro anos, à vista do grande apelo de marketing dos Jogos
Pan-americanos e dos Jogos Olímpicos, pergunta para o seu pai:
- Papai, o que são PARA-OLIMPÍADAS?
O pai, com habilidade, responde à filhinha:
- Assim como tivemos o PAN e o PARA-PAN, teremos as Olimpíadas e as PARA-OLIMPÍADAS. As PARA-OLIMPÍADAS, como o PARA-PAN, são para os atletas especiais, com deficiência física ou mental, entendeu, filhinha?
- Ah, papai, entendi. Por isso é que teve eleição PARA-PRESIDENTE e o Lula ganhou, né?

Tales disse...

Eu considero o bolsa família nada mais nada menos do que CORRUPÇÃO. Lulla só sabe governar corrompendo. Corrompe á politicalha do congresso para continuar a ter o que quer. corrompre e é corrompido pelos banqueiros. Corrompe os pobres e é eleito por eles. definitivamente o país foi pro buraco...

Anônimo disse...

ESSE ENGODO DE BOLSA FAMILIA, É UMA DESGRAÇA PRA NOSSA NAÇAO.
QUEREM QUE ACREDITAMOS CEGAMENTE QUE É POSSIVEL UMA FAMILIA
FAZER 03 REFEIÇOES AO DIA COM R$15,00, PODENDO CHEGAR A R$95,00
NO CASO DE OS MISERÁVEIS SEREM EM MAIOR NUMERO.
OS IPÓCRITAS QUE DEFENDEM ESSA VERGONHA DEVERIAM POR UMA SEMANA.
OBS! UMA SEMANA. PASSAR COM ESSE MESMO VALOR COM 03 REFEIÇOES DIÁRIAS.
E SÓ ENTÃO FORMAR UMA OPINIÃO SAUDÁVEL A ESSE RESPEITO.

Anônimo disse...

ESSE ENGODO DE BOLSA FAMILIA, É UMA DESGRAÇA PRA NOSSA NAÇAO.
QUEREM QUE ACREDITAMOS CEGAMENTE QUE É POSSIVEL UMA FAMILIA
FAZER 03 REFEIÇOES AO DIA COM R$15,00, PODENDO CHEGAR A R$95,00
NO CASO DE OS MISERÁVEIS SEREM EM MAIOR NUMERO.
OS IPÓCRITAS QUE DEFENDEM ESSA VERGONHA DEVERIAM POR UMA SEMANA.
OBS! UMA SEMANA. PASSAR COM ESSE MESMO VALOR COM 03 REFEIÇOES DIÁRIAS.
E SÓ ENTÃO FORMAR UMA OPINIÃO SAUDÁVEL A ESSE RESPEITO.

aLDO disse...

L A M E N T A V E L M E N T E, A BOLSA FAMILIA VIROU FORÇA ELEITORAL, USO PARA FINS ELEITOREIRO,ESTAS PESSOAS QUE NÃO TEM FORMAÇÃO POLÍTICA ESTÃO DISPOSTAS A VENDER O SEU VOTO POR QUALQUER MIGALHA