quinta-feira, setembro 13, 2007

A INUTILIDADE DO SENADO

A absolvição de Renan Calheiros, muito mais do que um ato de cumplicidade e de covardia de 46 senadores, se constituiu numa gigantesca tolice, pois jogou , agora sim , o Senado numa crise permanente. A desnecessidade desta instituição republicana, que antes do julgamento em plenário já era nítida, ficou ainda mais evidente, com o resultado deste.Ao optar por absolver o seu presidente, o Senado se auto-condenou, e reforçou a crença de que, por inútil, deve ser extinto.


Charge de Bello

A INUTILIDADE DO SENADO

A absolvição de Renan Calheiros, muito mais do que um ato de cumplicidade e de covardia de 46 senadores, se constituiu numa gigantesca tolice, pois jogou , agora sim , o Senado numa crise permanente. A desnecessidade desta instituição republicana, que antes do julgamento em plenário já era nítida, ficou ainda mais evidente, com o resultado deste.Ao optar por absolver o seu presidente, o Senado se auto-condenou, e reforçou a crença de que, por inútil, deve ser extinto.
.
O resultado já era, de certa forma, esperado, tendo em vista a que a maioria dos senadores são oriundos de estados pequenos, extremamente dependentes do governo federal, e com uma massa de eleitores pouco afeita às questões que agitam Brasília e costumam indignar a opinião pública das grandes centros do sudeste e do sul. Para estes senadores, o que importa é o sentimento predominante nos rincões onde eles amealham seus votos. Dificilmente um político corrupto de um destes estados é punido por seus eleitores. A estes senadores, formados na cultura do clientelismo e do fisiologismo, é mais importante a fidelidade com a corporação da qual fazem parte, não importando o tipo de compromisso, do que a fidelidade com a República, a Constituição e a democracia. É através destes compromissos que acordos são acertados, cargos são oferecidos, parcelas de poder são distribuídas e vantagens são amealhadas.

Além disso, durante todo este processo contra Renan, pairou no ar um clima de terror, de ameaças veladas e de chantagem. É sabido que o presidente do Senado tem conhecimento profundo sobre a vida, digamos, pouco republicana de boa parte de seus colegas. Negócios escusos com empresas que atuam na área pública, concessões de rádio e de TV, controle de feudos na administração federal e nos seus estados, e até a existência de amantes sustentadas com dinheiro público, fazem parte do cardápio de muitos daqueles senadores que, sob a luz dos holofotes costumam adotar um discurso moralizador. Sabe-se, por exemplo, que na sessão secreta de quarta feira Renan usou e abusou da tática do amedrontamento contra seus possíveis algozes.. Dois deles – Pedro Simon e Jefferson Peres –, campeões do moralismo, ouviram, calados, insinuações maldosas de Renan contra eles.

Mas tudo isto não teria sido decisivo no placar final do julgamento, não fosse a atuação de Lula e do PT. Aparentemente distante da crise, como é de seu feitio, Lula agiu como nunca. Colocou a tropa de choque petista, comandada por Ideli Salvatti e Aloizio Mercadante, em defesa do senador alagoano. O argumento usado pelos petistas era de que se tratava de uma tentativa de golpe da oposição no Senado. Funcionou. Ao final,viu-se que os votos dos petistas foram fundamentais. Livrou o presidente do Congresso da morte política mas não tirou a corda de seu pescoço. Continua com a vida por um fio, refém da vontade de Lula e do PT. Dentro deste contexto, é importante para o governo petista manter o Senado enfraquecido, dividido, com o seu presidente desmoralizado e subjugado pelo Planalto. Não se sabe quais são os planos futuros de Lula e do PT, mas são fortes os indícios de que pretende pavimentar o caminho para um terceiro mandato.E, para isto, ter o PMDB de Renan como aliado é importantíssimo.



Em que pese a ajuda de Lula e a cumplicidade da maioria de seus pares, a agonia de Renan não terminou. Existem contra ele mais duas representações protocoladas no Conselho de Ética, além de mais uma nova denúncia nos meios de comunicação.Mesmo que uma hipotética onda cívica e ética tome conta da Casa, e leve o seu presidente à cassação num dos dois processos que restam, a capacidade de recomposição do Senado está definitivamente comprometida. Enfraquecido, dividido ao meio,com a maioria dos seus membros sob a ira da opinião pública, com o seu presidente moralmente condenado e politicamente nas mãos do presidente da República, o Senado é, a partir de ontem, um cadáver insepulto.

Tal quadro reforça, mais do que nunca a necessidade de uma reforma política, na qual a extinção do Senado e a instituição de um parlamento único com um número de representantes reduzido à metade do atual existente na Câmara dos Deputados, seria a prioridade máxima. Tal reforma, é óbvio, teria que ser precedida por um amplo debate e por uma intensa campanha de esclarecimento e de convencimento da sociedade. Seria prudente,portanto, sob risco de atender a outros objetivos que não o fortalecimento da democracia, que ela acontecesse na próxima legislatura e no próximo mandato presidencial. Lula e o atual Congresso já se desmoralizaram definitivamente mergulhados na lama de sucessivos escândalos. Não têm condições política e moral para promover reforma alguma.Quando Renan , ao comentar a sua absolvição, disse que tinha sido “a vitória da democracia”, é que se entende melhor qual o conceito que esta gente tem de democracia.
120907

23 comentários:

Jairo disse...

Absurdamente o senador Renan Calheiros obteve quarenta votos
para a sua absolvição. Qualquer semelhança com os parceiros
de Ali Baba, não terá sido mera coincidência e sim
realidade. Isso prova que a classe continua unida! Já
sabíamos o que poderia acontecer, apenas confiávamos que
alguns senadores não fossem tão corporativistas assim ou não
tivessem rabo preso. Extirpar Renan agora é pouco. O certo
seria expurgar esses aliados junto com ele. Sem contar com a
falta de vergonha da classe política brasileira, que se
esconde atrás do voto secreto para cometer atrocidades. Se
eleito pelo poder emanado do povo para a este representar, o
mínimo que se exigiria em um país sério e democrata de
direito era transparência.

Anônimo disse...

PALAVRAS DO DEP. FEDERAL FERRO DO PT: A BANDEIRA DE ACABAR COM SENADO É DO PT, SÓ QUE O PRÓPRIO SENADO A TOMOU E ACABOU COM SI PRÓPRIO.

choro de tucano disse...

A imprensa parcial e golpista como os derrotados tucanos e pefelistas, se comporta de modo ridículo e parcial. Mais uma vez erraram! Quiseram condenar Lula através de Renan e se ferraram. Qto ao governo lula, quem acha que ele esta sem apoio da maioria,sugiro que vá para as portas das siderurgicas, dos canteiros de obras, as montadoras, das autopeças, dos estaleiros, das revendas de auto, do comércio varejista, das agro-industrias e etc.

rosena disse...

Olá Fernando. peço Licença para reproduzir uma artigo de PaUlo henrique Amorim publicado hoje no blog do Noblat. UMA VERGONHA!(o artigo, é claro!)

Renan: A maior derrota da imprensa

Do jornalista Paulo Henrique Amorim no seu blog "Conversa Afiada":
"Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil.
A absolvição de Renan Calheiros é a maior derrota da imprensa brasileira depois da reeleição do Presidente Lula.

A Veja, a Globo, o Estadão, a Folha e O Globo e seus inúmeros e inúteis colunistas jogaram todas as fichas na cassação.

Como ensina o professor Wanderley Guilherme dos Santos, a imprensa brasileira se transformou num partido político.

E jogou tudo contra um político da base de apoio ao Presidente Lula.

Renan Calheiros cometeu todos os crimes que 99,9% dos políticos brasileiros cometem.

Renan Calheiros provavelmente pagou a mulher com quem teve uma filha fora do casamento numa operação idêntica à de outro ex-senador de partido da oposição.

Sobre a operação do ex-senador, a mídia conservadora (e golpista !) se cala até hoje.
A mídia conservadora (e golpista !) foi atrás de Calheiros também porque ele é nordestino. E a elite branca (e no caso da elite de São Paulo, também separatista) não gosta de ninguém da base aliada do Presidente Lula e muito menos se for nordestino.

Imagine se Renan Calheiros fosse do Piauí...

Renan Calheiros não é um santo. Mas, o Senado mostrou que a mídia conservadora (e golpista !) pode enfiar a faca no pescoço do Supremo, mas não enfia a faca no pescoço do Senado.

(E de que adiantou o Supremo deixar os deputados assistirem à sessão ? Nada.)

Se a mídia conservadora (e golpista !) tivesse o poder de enfiar a faca no pescoço do Senado, quantas cabeças ficariam em cima do pescoço ?

A mídia conservadora (e golpista !) agora vai dizer que Renan Calheiros não tem condições de presidir o Senado.
É porque para a mídia conservadora (e golpista !) só valem os 35 votos a favor da condenação.

O Procon tem a obrigação de interpelar a Veja, a Globo, O Globo, a Folha e o Estadão, que transformaram durante um mês e meio Renan Calheiros num cadáver e

Anônimo disse...

Democracia é um regime de governo onde o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de eleitos representantes — forma mais usual.
Numa frase famosa, democracia é o "governo do povo, pelo povo e para o povo".
Democracia opõe-se à ditadura e ao totalitarismo, onde o poder reside numa elite auto-eleita.
Democracias podem ser divididas em diferentes tipos, baseado em um número de distinções. A distinção mais importante acontece entre democracia direta (algumas vezes chamada "democracia pura"), onde o povo expressa sua vontade por voto direto em cada assunto particular, e a democracia representativa (algumas vezes chamada "democracia indireta"), onde o povo expressa sua vontade através da eleição de representantes que tomam decisões em nome daqueles que os elegeram.
Outros itens importantes na democracia incluem exatamente quem é "o Povo", isto é, quem terá direito ao voto; como proteger os direitos de minorias contra a "tirania da maioria" e qual sistema deve ser usado para a eleição de representantes ou outros executivos.

Anônimo disse...

ME DESCULPEM OS DEFENSORES DO CONTRARIO, MAS FICO COM A TESE ABAIXO DO FERNANDO AZEVEDO (embora haja excesso no titulo)->
A hora dos idiotas ->
A quantidade de bobagem que estou lendo sobre o sistema político por causa do resultado da votação no Senado é uma enormidade.

Há de tudo: inocentes úteis e inúteis, culpados idem. Quase num coro, dizem: o sistema político brasileiro está falido. Uma pinóia! O sistema político brasileiro está corroído por uma canalha, que abusa de suas prerrogativas para solapar-lhe as bases institucionais. Isto, sim. E sob o olhar cúmplice e, às vezes, a defesa embevecida de certo jornalismo estúpido.

É uma manifestação de cretinismo ou de má-fé pedir a extinção do Senado por conta do resultado de uma votação. Qual é a tese? Em vez de termos duas Casas lotadas de larápios, deveríamos ter uma só? O que a democracia ganha com isso? Precisamos, isto sim, é de leis mais severas que impeçam o Poder Legislativo de ser assaltado por uma corja, por um bando. A questão é simples: caso se eliminassem da Casa os suplentes, por exemplo, que nem voto têm, já se avançaria muito.

Satanizar a política ou pedir o fim do Senado sob o pretexto de moralizar a vida pública corresponde, evidentemente, a fazer a vontade de Lula. Ele está doidinho para aproveitar o clima de terra arrasada e, junto com o seu partido, propor uma Constituinte exclusiva para fazer a reforma política — quem sabe uma que possa lhe abrir as portas de uma tentativa de terceiro mandato. Que tal um movimento ético-petista liderado por Aloizio Mercadante?

Quer dizer que, agora, faremos assim: o Senado erra, extingue-se o Senado. A Câmara pisa na bola, chega de Câmara. O STF não faz o que deve, adeus STF?

Procurem e acharão: sempre disse que o pior efeito do petismo é o que chamo de “desinstitucionalização do país”. Os caras agem de forma metódica, pertinaz e continuada para que passemos todos a duvidar da democracia. E a razão é simples. Querem nos vender a sua alternativa: a ditadura virtuosa dos companheiros.

FONTE: Por Reinaldo Azevedo - http://veja.abril.uol.com.br/blogs/reinaldo/ -

Anônimo disse...

Procurem e acharão: sempre disse que o pior efeito do petismo é o que chamo de ?desinstitucionalização do país?. Os caras agem de forma metódica, pertinaz e continuada para que passemos todos a duvidar da democracia. E a razão é simples. Querem nos vender a sua alternativa: a ditadura virtuosa dos companheiros. Por Reinaldo Azevedo

Anônimo disse...

RENAN E BOI DE PIRANHA PRA BOIADA DO LULLALAU E SEUS PTRALHAS LULLANATICOS PASSAR -> veja:
CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988:
Art. 37. (...) as obras, serviços, compras e alienações serão contratados mediante processo de licitação pública que assegure igualdade de condições a todos os concorrentes (...)
Petrobras já liberou R$ 34 bi sem licitação na gestão Lula. Da FolhaNews - 10/09/2007 - 10h31-A Petrobras contratou sem licitação R$ 33,8 bilhões em serviços do início da gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003, até junho último. O valor corresponde a cerca de 38% de tudo o que a petroleira contratou somente na área de serviços no período. De um total de 13.480 contratos assinados entre 2005 e 2007 na área de serviços, 8.080 não tiveram disputa prevista na lei das licitações 8.666/93. Por exemplo: dois escritórios de advocacia receberam sem licitação, entre 2005 e 2006, R$ 20 milhões.

Fernando Soares disse...

"A quantidade de bobagem que estou lendo sobre o sistema político por causa do resultado da votação no Senado é uma enormidade..."( Anônimo)
Respondendo:No meu caso, a proposta de extinção do Senado não foi uma decisão apressada, tomada em virtude do resultado da votação pró Renan.Sempre defendi esta tese, por uma questão de princípios.Ao contrário do que muitos querem fazer crer, ela não enfraquece a democracia. Pelo contrário, torna as decisões mais ráidas e o poder legislativo mais eficiente. Além disso, representa uma economia em termos de gastos com pagamento de pessoal e manutenção de estrutura.Diversos países adotam com sucesso o sistema unicameral. O fato de alguns petistas defenderem tb esta tese,não a invalida. Sei que os propósitos deles são outros. Por isto, fiz questão de enfatizar que a reforma política NÃO DEVE SER FEITA NESTE GOVERNO, e deve ser precedida de um amplo debate. Independentemente do resultado vergonhoso da votação de quarta feira passada, o Senado já provou ser uma instituição caduca e inútil. Um parlamento único, enxuto e atuante fará muito mais pela democracia do que o atual sistema bicameral, gigantesco, lento , pesado e fora do controle da sociedade.

Reinaldo disse...

Caro Fernando. O resumo de tudo o que aconteceu no dia 12 de setembro de 2007 cabe em poucas linhas: uma instituição totalmente desacreditada, senadores que não merecem um naco de respeito da sociedade brasileira, um senador-presidente com tanta credibilidade quanto uma nota de três reais e um governo que se submeteu à chantagem política de um partido da base aliada. Nunca tantos senadores estiveram tão parecidos com o senador Renan Calheiros. Concordo com a sua tese de que o Senado deve ser abolido, para o bem do Brasil.

Anônimo disse...

FERNANDO, DISCORDO DO SEU PONTO DE VISTA. MESMO COM O SISTEMA ATUAL, O EXECUTIVO FAZ O QUE QUER, SEM PRESTAR CONTAS, MAS AINDA ASSIM HA UM MINIMO DE FISCALIZACAO.
SOBRE REFORMAS: todasas propostas estao comprometidas com o mensalao so Lullalau - mensalao = propostas de grana, cargos, libracoes de emenda ao orcamento, indicacao na Justica, no 2 escalao, etc.
Veja um exemplo:
Caiado: proposta da OAB tem 'sabor palaciano'
O deputado Ronaldo Caiado (PFL-GO), coordenador do grupo temático criado pela Câmara para discutir a reforma política com os segmentos sociais, afirmou que as mudanças sugeridas pela Ordem dos Advogados do Brasil ao projeto "têm forte sabor palaciano". De acordo com Caiado, a entidade propõe "retirar prerrogativas do Congresso para colocá-las nas mãos do presidente", referindo-se, principalmente, à idéia da OAB de possibilitar a convocação de plebiscito por iniciativa popular, hoje um direito do parlamento. "Num momento em que precisamos resgatar a imagem do Congresso e que a América Latina vê ressurgir o populismo em vários países, a OAB apresenta sugestões que fortalecem o presidente e enfraquecem a Câmara e o Senado", declara Caiado. "Propõe reduzir o mandato de senador (de oito anos) para quatro anos, mas não sugere o fim da reeleição; e propõe recall para parlamentares, mas não para o presidente. Isso nos faz concluir que a proposta da OAB é tendenciosa para o Poder Executivo." Por ai se vê porque a OAB nunca faz nada diante deste mar de lama dos últimos 5 anos. OAB=PTralhas.
Fonte: Cláudio Humberto em 08/07/2007.

Anônimo disse...

Sutil aritmética ->
O número 40 persegue o governo, né?

Quarenta mensaleiros.

Quarenta processados pelo STF.

Quarenta votos pró-Renan.

Os leitores costumam perguntar: “Cadê o Ali Babá?” Pô, gente, uma injustiça! Ali Babá não era amigo dos bandidos. Era adversário.

MAS ENTENDO: OS NOSSOS 40 LADRÕES SÃO 41, CERTO?

Anônimo disse...

Deixa a Pinga Me Levar (adaptação) ->

Eu já passei por quase tudo nessa vida,/
Corrupção, incomPTencia e mensalão,/
Em matéria de guarida/
No meu desgoverno tem todo tipo de corrupção,/
E deixa a pinga me levar (pinga leva eu)/
E deixa a pinga me levar (pinga leva eu) /
E deixa a pinga me levar (pinga leva eu)/
Só posso levantar a mão pro céu/
Agradecer e ser fiel /
FHC já deixou tudo pronto pra mim/
Eu tenho tudo que preciso/
Pinga, viagem e palavras pra enganar os pobres/
Com o muito que tenho, vivo //

De mansinho, lá vou eu (viajar de novo)/
Se a coisa não sai do jeito que quero /
Também não me desespero /
O negocio é deixar rolar/
E aos trancos e barrancos, lá vou eu/
E sou feliz e agradeço pela pinga e /
viagem que o povo me deu./
E deixa a pinga me levar (pinga leva eu)/
E deixa a pinga me levar (pinga leva eu) /
E deixa a pinga me levar (pinga leva eu)//

Anônimo disse...

Você, meu amigo de fé, meu irmão, camarada... No post ?A Botocúndia é o paraíso do estatismo? (4h37 de hoje), informa-se, segundo reportagem da Folha: ?Entre as empresas contratadas em 2006 [pela Petrobras, sem licitação] estão duas de amigos do presidente Lula: a empresa de auditoria Trevisan, com R$ 2,7 milhões, de Antoninho Marmo Trevisan, e a empresa de informática Novadata, de Mauro Dutra, com R$ 63,69 milhões. Trevisan foi, nos primeiros três anos do mandato de Lula, integrante da Comissão de Ética Pública." Pois é. Trevisan é uma figura bastante presente nos destinos da família Lula da Silva. Ele foi um dos ?assessores? que se encarregaram de tornar viáveis as negociações entre a Gamecorp, a empresa Lulinha, e a Telemar, conforme VEJA revelou na edição nº 1913, de 13 de julho de 2005. Seguem trechos da reportagem: Fábio Luís Lula da Silva, de 30 anos, um dos cinco filhos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, experimentava, até 2003, uma situação profissional parecida com a de muitos brasileiros: a do subemprego. Formado em biologia, Lulinha, como é chamado pelos amigos, fez alguns poucos trabalhos na área (como uma monitoria no Zoológico de São Paulo, por exemplo), todos com baixa ou nenhuma remuneração. Para ganhar a vida, dava aulas de inglês e informática. Em dezembro de 2003, essa situação mudou. Fábio Luís começou uma carreira numa área que nada tem a ver com drosófilas ou pteridófitas: a do milionário mercado das agências de publicidade. Atualmente, o primeiro filho do casal Lula e Marisa Letícia da Silva é sócio de três empresas que, além de prestar serviços de propaganda (pelo menos no papel), produzem um programa de games para TV. Somados, os capitais das empresas ultrapassam os 5 milhões de reais. Individualmente, de acordo com sua participação societária, Fábio Luís tem 625.000 reais em ações ? mais do que os 422.000 reais que seu pai presidente amealhou ao longo de toda a vida, segundo a declaração de bens que apresentou em 2002 ao Tribunal Regional Eleitoral. Melhor que tudo: nessa fulgurante trajetória, Fábio não teve de investir um único real. O negócio foi bancado quase que integralmente pela Telemar, a maior companhia de telefonia do país. Com base em documentos obtidos em cartórios de São Paulo, e em entrevistas com profissionais do setor, VEJA reconstituiu a história empresarial que segue. No fim de 2003, Fábio Luís abriu em São Paulo a G4 Entretenimento e Tecnologia Digital. Trata-se de uma companhia da área de publicidade e propaganda, que detém a licença para reproduzir o conteúdo do canal americano G4, especializado em games. O negócio foi feito em sociedade com os irmãos Kalil Bittar e Fernando Bittar, filhos de um velho amigo de Lula, Jacó Bittar. Para quem não se lembra, Bittar é um ex-prefeito de Campinas, no interior de São Paulo, que foi um, digamos, pioneiro no PT. Ele terminou o mandato em 1992 alvejado por denúncias de corrupção e atualmente responde a pelo menos oito processos na Justiça. A G4 nasceu pequena, com um capital social inicial de 100.000 reais. Fábio entrou com 50.000 reais e os Bittar, que já atuavam no mercado havia doze anos, com 25.000 reais cada um. Mas nenhum deles precisou tirar dinheiro do bolso para montar a sociedade. "Esse capital será integralizado ao longo do ano", disse Kalil Bittar a VEJA. Fábio, apesar de ser o sócio majoritário da G4, preferiu não dar entrevista. Bittar, perguntado sobre a função do sócio na empreitada, respondeu: "O Fábio detona nos games, conhece todos". O que se viu a partir da criação da G4 foi uma surpreendente ascensão. Em outubro do ano passado, no espaço de dez meses, a G4 ? associada a outra empresa que atua no setor de propaganda, a Espaço Digital ? montou uma nova firma, a BR4, bem mais robusta e ambiciosa que a primeira. Descrita no contrato social como uma holding (ou seja, uma companhia que tem por finalidade deter participação acionária em outras empresas), a BR4 possui um capital de 2,7 milhões de reais. Esse valor foi integralizado, em moeda corrente, menos de dois meses após a formação da companhia. E com quem os sócios da G4 e da Espaço Digital conseguiram essa bolada para montar o negócio? Com a Telemar, que, embora a essa altura ainda não participasse da sociedade, brindou Fábio e sua turma com a dinheirama, a título de "exclusividade no fechamento do contrato", como explica Leonardo Badra Eid, da Espaço Digital. O ânimo empreendedor do biólogo Fábio, do químico Kalil Bittar e do empresário Fernando Bittar (nenhum dos três estudou publicidade) não parou por aí. Em outubro do ano passado, o grupo criou uma outra empresa a partir da BR4, a Gamecorp Sociedade Anônima. Foi seu grande salto. Ao capital de 2,7 milhões de reais (o montante injetado pela Telemar, acrescido de 1 000 reais), o grupo colocou outros 2,5 milhões de reais, obtidos por meio de uma operação de emissão de debêntures. Esse tipo de operação é uma espécie de empréstimo que a companhia toma no mercado. Ela oferece os papéis com a promessa de pagamento de juros, após o resgate dos títulos, e investidores que considerarem o negócio interessante os adquirem (existe ainda a possibilidade de ninguém se interessar pelo negócio e os papéis encalharem). As debêntures podem ser de dois tipos: conversíveis em ações e não conversíveis. A diferença entre as duas é que as primeiras possibilitam àqueles que as adquirem ter, no futuro, participação acionária na empresa que emitiu os papéis. Foi o tipo escolhido pela companhia do filho de Lula. Em todo o processo, a Gamecorp contou com a assessoria do escritório de auditoria Trevisan Service ? dirigido pelo consultor Antoninho Marmo Trevisan, amigão do presidente Lula. Para ler íntegra do texto, clique aqui (o link está aberto). Por Reinaldo Azevedo
10/9/2007

Anônimo disse...

Democracia é um regime de governo onde o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de eleitos representantes — forma mais usual.
Numa frase famosa, democracia é o "governo do povo, pelo povo e para o povo".
Democracia opõe-se à ditadura e ao totalitarismo, onde o poder reside numa elite auto-eleita.
Outros itens importantes na democracia incluem exatamente quem é "o Povo", isto é, quem terá direito ao voto; como proteger os direitos de minorias contra a "tirania da maioria" e qual sistema deve ser usado para a eleição de representantes ou outros executivos.LIBERDADE, LEBERDADE, ABRA AS ASAS SOBRE NOS!

Anônimo disse...

REVISTA VEJA – Diogo: o Senado e os pecados que não são de todos nós
Começo a falar da coluna de Diogo Mainardi pelo fim, que anuncia um norte ético, com o qual, é óbvio, concordo inteiramente: “Um evento como o de quarta-feira dá uma canseira danada. A gente acaba achando que nem adianta continuar a espernear. Adianta, sim. Adianta para desfazer um monte de crendices que ainda temos sobre o país. Adianta para consolidar a imagem de uma época. Renan Calheiros passa. Lula passa. A gente fica.” É isso aí. “Eles” gostariam que nós os abandonássemos, extenuados, esgotados, com a língua de fora. E, no entanto, não largaremos do pé da canalha, de olho em seus pecados, todos públicos — até quando aparentemente privados.
E há um trecho curioso na coluna. Atenção: “Como reagiram os outros senadores durante seu [de Renan] discurso? O que eles fizeram? Aloizio Mercadante olhou para Patrícia Saboya? Ideli Salvatti pensou nas assessoras de Sibá Machado? Romero Jucá refletiu sobre o destino dos filhos fora do casamento? Edison Lobão foi flagrado por um telefonema de sua mulher?”
Assinante lê mais na revista VEJA.

nidia disse...

Conhecemos como hajem os políticos, muito da "podridão" que tomou conta das ações dos nossos parlamentares ao longo do tempo, e fico pensando: o que fazer? como e quando isso vai melhorar? estamos impotentes assistindo a tudo sem poder fazer nada;quando virá o castigo divino a exemplo de Sodoma e Gomorra?
Diante de tanta arbitrariedade e barbaridade tenho a tendência de pensar como o professor, ou seja, fechar o senado. Não nos serve de nada um bando de urubus atrás de carniça. Seria uma conta a menos para pagarmos. Penso que Lula é absoluto e não depende de ninguém para governar. Faz o que quer e a grande maioria dos senadores comem na sua mão. Ele sempre corre por fora sem que prestem muita atenção a ele, mas não se enganem, ele é o Sr deus todo poderoso desse governo e manipula tudo, até o pensamento da maioria do povo brasileiro. Agora que ele é o "chefe", conhece e manipula todos, dificilmente vai largar o poder e nós vamos continuar a esbravejar, o que de forma alguma o atinge, mas vamos continuar pagando as contas, e vejam (parodiando o presidente) são milhões e milões de reais distribuidos a poucas cabeças.

Anônimo disse...

Dom Apedeteukoba 1º chega à Espanha e ignora súditos
Dom Apedeteukoba 1º desembarcou na Espanha, outra monarquia (com o defeito de ser constitucional, se é que me entendem), e, felizmente, não quis falar com os jornalistas. Acho que ele ainda está com raiva de lembrar que é só um presidente. E do Brasil...

g h t disse...

Amigos, que tem me espantado é ver jornalistas (?) como o Nassif e P henrique Amorim defendendo o Renan, colocando-o como uma vitima de perseguição da midia! Tudo agora é culpa da midia, não importa se a pessoa rouba, é corrupta ou canalha; só vale criticar a tal "midia golpista". Pobre Nassif,pober Amorim, ja foi bom, mas está naufragando no seu orgulho ferido…

Anônimo disse...

Coluna do Claudio Humberto - http://www.claudiohumberto.com.br/ (16/9/2007):
1. Pensando bem... ...antes de implantar o trem-bala, o Brasil precisa do trem à prova de bala.
2. MENSALÃO DO LULLALAU-PTOQUIO! -> Doce retificação-> O Ministério do Meio Ambiente publicou dia 6, no Diário Oficial, contrato de locação de um imóvel por R$ 386 mil. Seis dias depois, publicou retificação mostrando que na verdade o custo do aluguel será de R$ 4,64 milhões.
3. MENSALÃO DO LULLALAU-PTOQUIO e de JAQUES WAGNER! Assaltante no Palácio -> A oposição ao governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), ameaça barulho contra uma influente assessora dele que em 1986 participou de assalto a banco, em Salvador, a pretexto de mandar dinheiro à revolução sandinista da Nicarágua. O País, redemocratizado, era presidido por José Sarney. -> Pelo menos esta tem experiência.
4. Familia Lallau. Lurianlallau e o nosso imposto $$$.-> Guaribada para Lurian -> O Planalto vai gastar R$ 10,4 mil em pintura, tapetes, bancos e forração da frota de sete carros, um deles Astra Comfort Flex, que serve a Lurian, filha do presidente Lula, e a seus seguranças em Florianópolis (SC).
5. A PTRALHA DO FUTURO. TEM QUE PAGAR OS IMPOSTOS ROUBADOS>
Tá ruço -> Complicou a situação fiscal da ex-senadora Heloisa Helena (PSOL-AL). Digitando seu CPF (364.503.164-XX) no site da Receita, uma mensagem recomenda ao interessado dirigir-se à Procuradoria da Fazenda Nacional.

6. PTralhas lallaus nu puder! XÔ incomPTentes! XÔ CorruPTos. -> Anvisa: sede em prédio ilegal A Norma de Gabarito nº110/88, do governo do DF, determina: só uma usina de pasteurização de leite pode funcionar no prédio alugado por R$ 759 mil mensais para virar a sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, em Brasília. A Anvisa alega que está autorizada, com base no Plano Diretor Local, a instalar a sede na antiga fábrica da Parmalat. Mas a Secretaria de Desenvolvimento Urbano informa que esse Plano Diretor ainda não existe.
7. MENSADÃO DO LULLALAU-PTOQUIO! -> Compram-se votos -> A partir de janeiro de 2008, 1,7 milhão de jovens eleitores de 16 e 17 anos também passarão a ser beneficiados pelo programa Bolsa Família.
8. MENSALÃO DO LULLALAU-PTOQUIO! Ladroes nu puder! -> Claudio Humberto - > Convite à bandalheira eleitoral A medida provisória 387, que torna obrigatórias as transferências de recursos federais para o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), é um convite à bandalheira eleitoral. Não poderá ser suspensa em período eleitoral. Estados e municípios inadimplentes e com suas contas irregulares continuarão a receber essas transferências. E quem decide as liberações é o "comitê gestor do PAC", à revelia e sem autorização do Congresso.

Celso disse...

Parabéns Soares, pelo artigo.A lição aprendida, ou a boa nova é que: a partir de agora é permitido que Senadores usem dinheiro de lobista. Mas isso não é importante (mesmo porque agora é permitido) o importante, segundo o "..o importante é que o Congresso volte a trabalhar..", veja Soares, não vejo diferença nessa frase e a do malufão: "estupra mais não mata", o importante é estar vivo, o importante é estar funcionando (pra quem, é a pergunta) nãoimporta a corrupção, bem... o Lula deve saber bem do que está falando, deve ter conhecimento de causa.

Rebeca disse...

Bom artigo Fernando.
Também concordo com a inutilidade publica do senado e câmara.
Deveriam ser de máximo 1 senador e 2 deputados por estado e nada mais.
Assim, a sociedade ficaria mais atenta e conheceria mais seus representantes.]
Quanto ao absurdo caso caso do Renan, já sabíamos que acabaria em pizza indigesta e causando um grande estrago.
Caberia agora, em nome da LEI, a polícia federal ir à Brasília e prender todos os membros desta quadrilha.Prender todos.
É o mínimo que mereceríamos e que senadores e deputados merecem.

Anônimo disse...

MALUCOS IGUAL O LULLALAU-PTOQUIO:

Segurem-se aí na cadeira. Vocês devem saber que o Brasil tem um fã de Hugo Chávez ainda mais entusiasmado do que Lula. Trata-se do governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), um autêntico “bolivariano” em terras tupiniquins. Acredite: seu governo distribui nas escolas públicas do Paraná um livro para, literalmente, revolucionar o ensino da Educação Física. Uma das coisas que o livro faz é atacar o caráter competitivo do esporte. O ideal, dizem os gênios de Requião, é substituir a competição pela cooperação, claro.

Numa página há um texto chamado “Esporte como afirmação do sistema capitalista”. O aluno de educação física (!!!) fica sabendo que “Karl Marx e Friendrich Engels escreveram juntos vários estudos sobre o capitalismo. Eles entendiam que o capitalismo procurava, dentro de sua lógica, transformar tudo em mercadoria, fazendo da força de trabalho do operário um objeto de compra e venda. Mas, afinal, quem são Marx e Engels? Leia sobre eles no box da página seguinte. Da perspectiva teórica desses pensadores, será que o atleta não transforma os seus movimentos em mercadoria?”

Numa outra página, lê-se:
“Prêmio ao vencedor: no esporte, apenas os vencedores são premiados, assim como em nossa vida, pois as pessoas de melhor condição social possuem mais regalias em relação às pessoas menos favorecidas. Você concorda com tal afirmação? Justifique e exemplifique”.

É isso aí. Seguem links com outras imagens do livro:
http://i230.photobucket.com/albums/ee68/davincimp/EducaoFsica-Pag.83.jpg
http://i230.photobucket.com/albums/ee68/davincimp/EducaoFsica-Pag.59.jpg
http://i230.photobucket.com/albums/ee68/davincimp/EducaoFsica-Pag.58.jpg
http://i230.photobucket.com/albums/ee68/davincimp/EducaoFsica-Pag.57.jpg
http://i230.photobucket.com/albums/ee68/davincimp/EducaoFsica-Pag.51.jpg
http://i230.photobucket.com/albums/ee68/davincimp/EducaoFsica-Pag.25.jpg
http://i230.photobucket.com/albums/ee68/davincimp/EducaoFsica-Pag.20.jpg
http://i230.photobucket.com/albums/ee68/davincimp/EducaoFsica-Pag.15.jpg

Por Reinaldo Azevedo.
VIVEMOS UMA EPOCA DE MALUCOS, LADROES E INCOMPTENTES - RENAN E BOI DE PIRANHA PRA LULLALAU E SEUS 40 LADROES PASSAREM.