terça-feira, agosto 14, 2007

RELIGIÃO OU NEGÓCIO?

Se milhões de pessoas que se autodenominam “crentes” , por diversas razões se deixam manipular em suas crenças, carências,e até em sua ganância , por espertalhões movidos pelos piores propósitos, o problema é delas. Se estes charlatões fogem da finalidade original a que se propuseram estas organizações, e passam a cometer ilegalidades e crimes no campo econômico, político e pessoal, isto passa a ser um problema de toda a sociedade. E, por isto, devem ser exemplarmente punidos Sem dó nem piedade.


FOTO:Seitas religiosas manipulam a fé, multiplicam os seus negócios , lucram com isto, e ficam impunes...

RELIGIÃO OU NEGOCIO?
No Brasil, a Constituição garante liberdade de religião. Ainda bem. Estados totalitários costumam proibir completamente instituições e práticas religiosas. Estados teocráticos oprimem todas as demais religiões , exceto a oficial. Nosso país , sob este aspecto, se insere no rol das democracias, onde além da liberdade de culto ficou estabelecido a separação entre a Igreja e o Estado. A história do Brasil passa distante de conflitos religiosos nos quais os interesses do Estado e da Igreja oficial se confundem , resultando em perseguições e mortes, tal como acontece atualmente em muitos países islâmicos.

O totalitarismo de esquerda, se apoiando numa tese de Marx segundo a qual “a religião é o ópio do povo”, proibiu – como ainda acontece na Coréia do Norte e em Cuba – quaisquer manifestações religiosas, perseguindo e reprimindo com violência os recalcitrantes. O culto a Deus deu lugar ao culto ao Estado, e os santos foram substituídos pelos heróis da pátria e líderes políticos. Por isso, a defesa intransigente da liberdade religiosa antes de tudo representa a defesa da própria democracia.

Isto não significa que as instituições religiosas devam permanecer isentas de críticas quando extrapolam o seu papel religioso e assumem contornos políticos, econômicos ou criminosos. É o que vem ocorrendo no Brasil com um grupo significativo de denominações religiosas, a maioria delas seitas evangélicas pentecostais, que se aproveitam da fé, da carência emocional e da ingenuidade das pessoas e passam a determinadas práticas, digamos, pouco cristãs.

Ancorados numa leitura talvez um tanto apressada de Martinho Lutero(1483-1546) e João Calvino( 1509-1564), iniciadores do protestantismo, a partir da década de 70 as seitas pentecostais cresceram e se multiplicaram numa velocidade espantosa, arrebanhando milhões de pessoas que não encontravam mais na religião Católica a satisfação para as suas carências físicas , materiais e espirituais.Em Martinho Lutero e na sua defesa da “livre interpretação de Bíblia” encontraram guarida para a multiplicação de seitas e denominações; em João Calvino e na sua tese de que “a riqueza material de cada indivíduo é a prova da benevolência de Deus”, encontraram a justificativa para a entronização do que hoje é chamada de “teologia da prosperidade”, sobre a qual se assenta a maioria das pregações dos pastores pentecostais.

O fato é que denominações religiosas como a Igreja Universal, Igreja Renascer em Cristo, Igreja Internacional da Graça de Deus e Igreja do Evangelho Quadrangular, muito além de instituições religiosas, se transformaram, em tempo recorde, em potências empresariais, que em nada ficam a dever a muitas empresas de diversos ramos da produção,comércio e serviços .

Os seus líderes religiosos – Edir Macedo , Estevam e Sonia Hernandes, RR Soares e Mario de Oliveira - demonstram um senso incomum para fazer crescer e multiplicar os seus negócios , principalmente no campo da mídia eletrônica e impressa, e não se preocupam em esconder os evidentes sinais de riqueza pessoal. A fonte primária de toda esta riqueza está, sem dúvida, nos cultos promovidos por estas seitas, nos quais não faltam muita emoção, falsos milagres e, sobretudo, farta arrecadação dos recursos destinados à “obra do Senhor”, que, pelo que se conclui,tem se manifestado muito mais no bolso dos pastores do que na vida de suas ovelhas fiéis. A ousadia e a desfaçatez com que agem estes pretensos líderes espirituais já é voz corrente. Alguns deles já estiveram, ou ainda estão, sobre a mira da Justiça, sob acusações que vão desde abuso do poder econômico, lavagem de dinheiro e transferência ilegal de recursos para o exterior, e ,pasmem!, até mesmo tentativa de assassinato, como é o caso do deputado Mario de Oliveira, o líder da Igreja do Evangelho Quadrangular.

No Brasil, em nome da separação entre a Igreja e o Estado, as instituições religiosas estão isentas de pagamento de impostos. Talvez esteja aí a razão mais forte para o tão rápido crescimento destas instituições e o motivo para que cometam tantos desvios de suas funções originais. Escondendo-se sob o manto protetor e insuspeito da religião, desenvolvem uma série de atividades lucrativas, algumas legais e muitas ilegais.E ainda livres da carga representada pelos impostos .É muitíssimo mais fácil abrir uma Igreja do que uma empresa qualquer.Mas, tocar neste vespeiro é perigoso e contraproducente. Por quê?

Primeiro porque qualquer tentativa de disciplinar as atividades destas igrejas esbarra no preconceito de que se trataria de cerceamento da liberdade religiosa. Se por um lado temos o conhecimento de que a maioria dos líderes e pastores é movida por uma convicção nada cristã, por outro sabemos que a maioria do rebanho é movida por uma autêntica fé. Segundo porque estas instituições ultrapassaram as fronteiras puramente religiosas, e até empresariais, e penetraram com muita força também no campo político.

Os evangélicos se fazem cada vez mais atuantes no cenário político, financiando campanhas, lançando candidatos, elegendo governantes e parlamentares, e controlando partidos políticos. O rebanho religioso que eles com habilidade manipulam nos templos, transformou numa significativa clientela eleitoral..Qualquer interferência nas atividades destas seitas passaria a ser considerada , além de uma atitude de perseguição religiosa, também uma perseguição política.

Portanto, para se atuar sobre estas instituições e sobre estes líderes religiosos é preciso que se tome o cuidado de que fique bem demarcado os dois campos em que eles têm atuado : o puramente religioso e o dos negócios e da política. Assim como é importante que se defenda com todas as armas a preservação da completa liberdade de religião, também é fundamental que se denuncie os desvios, os abusos e os crimes que em proveito desta liberdade, são praticados por estas instituições e por membros delas.

Se milhões de pessoas que se autodenominam “crentes” , por diversas razões se deixam manipular em suas crenças, carências,e até em sua ganância , por espertalhões movidos pelos piores propósitos, o problema é delas. Se estes charlatões fogem da finalidade original a que se propuseram estas organizações, e passam a cometer ilegalidades e crimes no campo econômico, político e pessoal, isto passa a ser um problema de toda a sociedade. E, por isto, devem ser exemplarmente punidos Sem dó nem piedade.

140807

15 comentários:

Anônimo disse...

Sua matéria é preconceituosa.Serão apenas os pentecostais os negociantes. E os católicos, que construiram um império.

Rebeca disse...

Fernando,
Quando o assunto é religião.....huumm...é um campo minado, delicado. São questões de foro intímo, os momentos de fragilidade humana acentua mais a religiosidade nas pessoas. Misturar religião e política....é pior ainda. E quando envolve dinheiro...os....somos atropelados rsrs. Mas, não podemos fechar os olhos diante das atrocidades propagadas por certas religiões, que a cada dia que passa torna-se uma empresa bastante lucrativa. De uma certa forma acompanho o crescimento e presença marcante também de políticos representantes dessas religiões que NÃO fazem absolutamente nada em prol da sociedade. Apenas servem aos interesses de “seus mestres e mentores”. Quanto a igreja católica (também tem um patrimônio enorme) sua atuação é bastante “suave” em questões políticas e dá aos seus seguidores uma grande liberdade de ação – o livre arbítrio (de pagar ou não o dízimo) e cobra muito menos de seus fiéis. É um igreja mais democrática.

Heloisa disse...

Li a matéria. Por que atacar as Igrejas Evangélicas? Pois até onde me ensina a palavra Ele(Deus) escolhe o PASTOR. Essas e outras vem me mostrar que Jesus Cristo está voltando e que ao invés de fazemos comentario como Pequenas Igrejas grandes négocios ,precisamos continuar pregando o envangelho.O que vc devia fazer é aceitar ao Senhor Jesus como seu único Senhor e Salvador e não ficar se preocupando com coisas que não vão te edificar. Um abraço e que Deus tenha misericórdia de vc.

renato disse...

Vc autor dessa matéria deve ser um frustrado e um julgador. Eu sei o que é um falso milagre quando minha esposa recebeu o diagnóstico médico de que jamais poderia engravidar e após participarmos de um culto e recebermos orações ela foi curada e hj temos 2 filhos maravilhosos.Eu tinha um tumor na cabeça e depois da oração o tumor desapareceu. QUEM É VOCÊ PARA FALAR ESSAS COISAS? DEUS É FIEL!!!! SOU RENASCER ATÉ MORRER! ESPADA PELO SENHOR, PELO APÓSTOLO E POR TODOS QUE PREGAM A PALAVRA DE DEUS!

Rebeca disse...

Heloísa, Renato e....
O artigo não trata da fé que temos em Deus. Não podemos discutir NUNCA a questão de ter ou não fé, pois, isto é uma questão bastante pessoal, de foro íntimo. Podemos sim, sermos religiosos, ter fé incondicional em Deus, mas, também nada INVALIDA as observações feitas pelo autor do artigo. Temos que ser críticos, observadores e CIDADÃO acima de tudo. Vocês não podem e não têm como negar o enriquecimento super rápido dos pastores; não podem negar o aumento real dos números de representantes das religiões na política; não podem negar que estas religiões/igrejas não pagam nenhuma taxa de imposto e nem precisa pagar imposto de renda, comprovar nada: de onde vem e para onde vai tanto dinheiro. O artigo trata desta questão. Vocês enquanto cidadão comuns são obrigados a manterem o IPTU de suas casa pagos em dia, IPVA de seus carros em dia, imposto de renda.......etc etc etc etc. Vocês não podem burlar o governo, mas, seus pastores o fazem em benefício próprio. É isto apenas que estamos falando. Isto não está certo.
Temos que ter fé sim, mas, não podemos fechar os olhos diante desta situação. Temos que ser cidadão consciente de nossos deveres e de nossos direitos.

Rebeca disse...

E uma última observação que esqueci de fazer Heloísa e Renato, vocês sabem melhor do que eu (certamente) que Deus não quer, não precisa de dinheiro. ELE quer que amemos uns aos outros apenas.
Um abraço para vocês ... e Jesus ama vocês gratuitamente, de coração.

rosena disse...

Fernando Seu artigo mostra ma coisa que me incomoda e que ningém toma providencias. Vc disse muito bem qdo fla dos interesses que estão escondidos e fazem com quemestes astutos não sejam punidos. Será preciso que este pessoal viaje ao exterior para serem pegos pela justiça?/??O casal da tal igreja Renascer esta atrás das grades. Mas isto nos Estdos Unidos. No Brasil eles deitam e rolam e engnam os trouxas.

TuxRulez disse...

Olá Fernando,

Sem dúvida uma mancha dessa na religião lhe dá o direito de escrever, eu também fiquei estranhamente tomado de uma ira, uma ira dos justos da sociedade.

Mas seu conhecimento é limitado, quando escrevemos devemos como os grandes filosofos, sair do centro do furacão e escrever imparcial. Defender um ou outro é simplesmente concordar com um ou com outro.

Como escritor devemos ser filosofos, que ajudem a sociedade crescer e pensar por si só. John Stott (creio que você não conheça) tem um livro maravilhoso que você poderia ler "Crer também é pensar".

Como cristão eu discordo de suas opiniões quando cita as igrejas evangélicas como seitas, e ainda diz que "calvino" instigou a criação de seitas, realmente seus fundamentos são errôneos.

Quanto ao casal, eles vão pagar pelo feito na justiça humana e também na justiça divina, eu creio assim.

Ninguém numa igreja é obrigado a nada, dar ou não dizimo, contribuir ou não com ofertas é um direito e não dever, quem ensina o contrário, seja anátema.

Agora, todos tem nas sagradas escrituras ensinamentos sábios de não se deixar ser levados pelas vãs doutrinas. Analise a si mesmo, diz a palavra.

O que não procede de DEUS, procede do maligno, e temos o livre arbitrio de decidir qual caminho devemos seguir.

Sem dúvida, solicito ao presente escritor que na próxima vez seja sábio nas colocações, mas também se quiser, pois este é meu comentário apenas, seja ele correto ou não, pois como Decartes disse, "O que sei é que nada sei."

Que nosso Senhor Jesus Cristo, lhe abençoe e lhe guarde sempre.

Gildecio E Barboza
gildecio@gmail.com

Cecilia Trivellato disse...

O grupo empresarial evangélico pentecostal, criado pelo reprovavel Edir Macedo, e agora liderado por seu cunhado e concorrente R.R.Soares, dentre outros, estimula o alto preconceito contra tudo e todos,e visa tão somente angariar recursos seja dos adultos, seja das crianças que já em tenra idade são doutrinadas, para no futuro quem sabe se tornar um eficiente Pastor vendedor, que aumente a arrecadação da empresa religiosa. Esse grupo empresarial religioso, que atrai em nome de Deus, ganha dinheiro mesmo é com o Diabo !
Esse comércio religioso vem se aproveitando da fragilidade de conjuges em fase de separação judicial, que são convencidos pelo culto a impor nova religiao aos filhos, causando discussões interminaveis nos processos quanto a imposição repentina da pratica da religiao pentecostal aos filhos,pela vontade de um só genitor, contra a vontade e formação religiosa do outro conjuge.
A lavagem cerebral realizada nos Cultos altera as convicções morais de raiz do ser humano, com grave repercussão na formação e educação dos filhos e até mesmo na carreira profissional do seguidor.
Há advogados que mesmo sabendo que o Estado é laico (Estado separado da igreja), não tem pudor de apresentar verdadeiros tratados religiosos pentecostais no corpo de manifestação em processos judiciais, requerendo a soberania da "Lei Divina" ao Poder Judiciario, para culpar o diabo por tudo de errado que fez, acabando por se tornar alvo de chacotas, e pior, perdendo o respeito profissional, e até a carreira.
E as custas da ignorância e/ou fragilidade dessas pessoas, os Patores e Bispos enriquecem, se tornam políticos, e aí então passam a figurar nos inúmeros e notórios escandalos de lavagem de dinheiro e etc.
É preciso dar um basta, porque essa pratica religiosa configura verdadeiro assédio moral ao ser humano e crime contra a sociedade, o Estado, a moral e os bons costumes.

Anônimo disse...

O que voce sugere para que fieis se previnam desta possivel enganação de dirigentes mal intensionados?

tizza disse...

Sou Cristã de uma igreja que no Brasil existe a mas de 100 anos,tida como a pioneira do pentencostalismo,tal igreja hoje se encontra um tanto fria no q diz respeito a questão do pentencoste.. agora, o q eu quero levar a reflexao é o seguinte: Isso seria consequencia do dim dim?,ouseja, a visão estaria sendo disvirtuada pela questão do money?seria pq a sua rigidez iria ser rompida com o tempo? deixa q eu respondo:as 2 coisas, a visão da igreja foi aos poucos se distorcendo o para o materialismo e junto as barreiras foramse quebrando. e hoje o q mais vemos é isso ai as pessoas trazendo óleo de Israel por ser uma terra" SANTA"
TRAZENDO ÁREIA, AGUA DO RIO JORDÃO ETC.. SÓ FALTA TRAZER ISRAEL..
MAS ENFIM... O ARTIGO TEM ALGUNS EXAGEROS.. COISAS INFUNDADAS...
MAS TEM ALGUMAS VERDADES QUE NÓS CRISTÃOS NAO ENCHERGAMOS OU FINGIMOS NÃO ENCHERGAR PARA NAO PECAR CONTRA DEUS.. SENDO O TEMOS O LIVRE- ARBITRIO DE IR E VIR, DE PENSAR E NAO PENSAR, DE QUESTIONAR OU NAO QUESTIONAR....

Anônimo disse...

eicara vc ñ conhese nada mesmo de Deus em, leia a biblia e talves vc podera mudar sua foma de pensa.

Anônimo disse...

Excelente seu artigo!
Pastor ladrão tem que ir pra cadeia sim! Igreja tem que dar bome exemplo e pagar imposto sim!
Somos todos iguais, os privilégios aos evangélicos ou qualquer outra religião não pode ocorrer!

Anônimo disse...

Já que “Só 144 mil serão escolhidos”, o “Sacrifício” de Jesus NÃO PRESTOU, e a maioria irá para o Inferno; principalmente os pecadores anteriores que não foram atingidos pela salvação da crucificação.

Como os Cálculos Demográficos mostram que da pré-história aos dias atuais, nasceram mais de 107 bilhões de humanos, no PDF “A Bíblia Desmascarada volume I”, veja porque seria melhor procurar outro “Salvador”...

O PDF tem cerca de 300 belíssimas imagens sobre um “Deus” sem vontade própria, que implorou para não ser sacrificado.

http://pt.calameo.com/read/00034268051d0e4d0af03

A “luz” de Menahem “O Essênio” ainda brilha, mas agora como Jesus Cristo.

“O Essênio” que foi um “TRANSGRESSOR” que depois de ser ERGUIDO por 3 dias numa estaca, pulou dos Relatórios policiais para as versões religiosas (Lucas 22:35-38), conquistou o povo pobre, foi mercadejado e terminou virando o lendário “Jesus Cristo”.


Lisandro Hubris e SAGREDUS

Pente Fino Anti Fraudes disse...

Fernando Soares;

Sua cultura pelo que demonstra aqui é preconceituosa.

Ao se propor discorrer sobre este assunto, você desconsiderou que as ditas por você como "seitas", não vivem às custas do governo, como é o caso do "catolicismo politico religioso" o império romano vive a mamar no governo por subvenções sociais e outros artifícios.

Sobre as empresas e empreendimentos em todas as áreas da atividade, são fielmente tributados, não há isenção, ao contrário do que você pareceu demonstrar, mas, estão legalmente tributadas, por exemplo, a rede Record, que ao contrário da Globo, mantem suas contribuições dentro da lei.

As igrejas evangélicas estão em um erro em comum, pautar pela bíblia, que é um livro criado no império romano, com manipulações a partir de Constantino criador da igreja católica 300 d.C.

Elas já têm a mt tempo recursos mais que suficientes para partirem em busca de fato das Escrituras Sagradas. Que por estas, Constantino, Gerônimo e outros do império romano matavam os verdadeiros cristãos, os crucificando, lançando aos leões, queimando em fogueiras, enfim, práticas de sempre do império romano, cuja representação política no Brasil é a Nunciatura Apostólica, cujo embaixador é o núncio Sr.Giovanni d'Aniello no setor de embaixadas em Brasília/DF.

Necessário é que nosso povo, inclusive você, se volte para Deus, peça a Ele para governar nossas vidas, e fale conosco, nos mostre o que fazer e nos dê sabedoria para fazer o que tem que ser feito.

Quanto à sua postura, fala com Deus, Ele não deixa dúvidas, peça que Ele revele a verdade a você e deixe o preconceito para que Deus o abençoe abundantemente.