terça-feira, agosto 07, 2007

ELE NÃO SABIA!

Afirmar que a atual crise é mais uma “herança maldita” como começam a insistir os petistas, é , afinal,uma pequeníssima parte da verdade. Se, por um lado é inegável que no governo de FH já existiam emergências que foram negligenciadas, o atual governo foi incapaz de detectar o problema, diagnosticar estas emergências , e implementar soluções.Ao contrário, durante todo o seu primeiro mandato , contingenciou as verbas para o setor, com o propósito de reforçar o superávit primário, então a prioridade do governo.

ELE NÃO SABIA!
Mais uma vez, o nosso presidente disse que não sabia. Desta vez afirmou que desconhecia a extensão da crise aérea, e que o assunto não havia sido discutido em nenhuma das campanhas presidenciais de que participou. Desde que assumiu o seu primeiro mandato, Lula vem, propositalmente, se fazendo de idiota. Alçado à presidência da República, tem agido mais como um bobo da corte do que como o rei da corte. Se tal comportamento é uma estratégia para se isentar de responsabilidades, se manter distante dos malfeitos protagonizados pelo governo, e conservar intacta a sua aura de “diferente dos demais políticos” , mantendo a popularidade junto à população mal informada, ele é mais esperto e maquiavélico do que muitos supõem.

O fato é que ao longo desses quatro anos e meio de governo , Lula tem procurado parecer uma mais uma espécie de espectador privilegiado das sucessivas crises que tem marcado o seu governo, o seu partido e sua base de apoio no Congresso, do que o responsável por tudo isso. Desde as primeiras denúncias envolvendo o assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz, braço direito do braço direito de Lula, José Dirceu,até a atual crise aérea, o nosso presidente age como se tudo estivesse ocorrendo no Cazaquistão, na Turquia ou na Birmânia,e não no Brasil. Melhor dizendo, no seu governo, envolvendo assessores diretos , correligionários e até parentes.

A se acreditar no que ele diz, Lula não sabia do valerioduto, desconhecia o mensalão, não tinha conhecimento das negociatas do seu filho , desconhecia as atividades paralelas de ministros muito próximos a ele, como José Dirceu, Luis Gushiken e Antonio Palocci. Se a tática do alheamento deu certo no primeiro mandato, por que não repeti-la no segundo? Assim, ao invés de enfrentar frontalmente a atual crise aérea, reconhecendo os erros, pedindo desculpas e anunciando soluções para problema, o nosso presidente prefere se omitir, quando confrontado, e continuar a proferir uma seqüência de discursos vazios , recheado de bravatas,chistes e metáforas que arrancam aplausos das platéias bajuladoras mas aumentam a indignação da sociedade.

A propósito, uma parente de uma das vítimas do trágico acidente da TAM, afirmou-se perplexa e indignada ante a omissão do presidente, que nos momentos mais dramáticos que se seguiram ao acidente não teve a hombridade de se apresentar em público, prestar solidariedade às famílias enlutadas, e determinar providências imediatas. Num contraponto à atitude de Lula, nos Estados Unidos, logo após a queda da ponte sobre o Mississipi, o presidente Bush se apresentou em público, assumiu a responsabilidade pelo ocorrido e prometeu providências. Assim tem ocorrido em diversos países do mundo, onde o chefe de governo se coloca, sobretudo, como o líder de todo o seu povo. Aqui, Lula se considera líder apenas de uma parcela do povo. Aquela que vive das esmolas governamentais.

Se Lula, agora, afirma que não sabia da extensão da crise aérea,devemos concluir que algo funciona muito mal no Palácio do Planalto. Ou com o próprio presidente, ou com os assessores que deveriam lhe transmitir as informações. Afinal, a atual crise vem se desenhando há mais de uma década. Seus primeiros sinais foram emitidos com a falência de empresas aérea -VASP, VARIG, TRASBASIL -, o aumento crescente da demanda, o loteamento de cargos no setor da aviação civil, a tensão com os militares e o desleixo com a infra-estrutura. Na verdade, a crise que explodiu em setembro de 2006 com a queda do avião da Gol, tem como data emblemática o ano de 1999, com a criação do Ministério da Defesa e o controle do tráfego aéreo permanecendo as mãos dos militares, mas não se estabelecendo critérios para a fiscalização..

Afirmar que a atual crise é mais uma “herança maldita” como começam a insistir os petistas, é , afinal,uma pequeníssima parte da verdade. Se, por um lado é inegável que no governo de FH já existiam emergências que foram negligenciadas, o atual governo foi incapaz de detectar o problema, diagnosticar estas emergências , e implementar soluções.Ao contrário, durante todo o seu primeiro mandato , contingenciou as verbas para o setor, com o propósito de reforçar o superávit primário, então a prioridade do governo.

E pior, parece não aprender a lição porque na cola do apagão aéreo já se vislumbra um iminente apagão rodoviário.O que dirá o governo quando a crise anunciada explodir de vez? Que não sabia? Que não foi avisado? Que tudo é outra herança maldita da política neoliberal de FH? Estamos cansados das esfarrapadas de um governo incompetente que não faz o be-a-bá de suas obrigações.

Enquanto isso, dia após dia o nosso presidente continua a demonstrar que vem perdendo o senso da realidade. Segundo o articulista Clóvis Rossi, da Folha de S Paulo, é de Lula seguinte afirmação: “Em determinados casos, a gente não diz aquilo que pensa nunca, a gente faz como pode, e se não pode, a gente deixa como está pra ver como fica”. O que ele diz é, praticamente, uma confissão. Traduz o caráter do presidente com muito mais nitidez do que milhares de artigos e referências que sobre ele são publicados diariamente. Mostra que o bobo da corte o é por absoluta esperteza. E que ele sabe ser presunçoso e arrogante quando lhe convém. Só não tem sabido ser um gestor competente.
070807

10 comentários:

sERGIO RAMOS disse...

Lula nunca foi administrador porque não tem capacidade para tal. A maior prova é a atual situação do país. A única coisa que funciona (?!) é o modelo econômico herdado de FHC (modelo, é bom lembrar, sempre criticado pelo próprio Lula....)É verdade que o "povo brasileiro" elegeu um "símbolo". Agora que as coisas estão "fora de lugar", ninguém - ninguém - nem o governo, nem o povo, às vezes nem a imprensa, sabe o que pensar, o que dizer, o que fazer.

rosena disse...

FERNANDO ...Noblat descobriu um artigo do Lulalau em 2002 no qual lelfala da desatenção do governo da época como os problemas aeroportuários. Então como ele não sabia??????? Como ele nunca foi levantada tal questão pra ele? Agora ele vem com esta carad eidiota pensando que somos todos idiotas como elle.

choro de tucano disse...

E continua o choro dos tucanos.Realmente, a "incompetência grassa" em um governo que reduziu a miséria, distribuiu renda, onde os salários têm ganhos reais, a dívida externa é integralmente paga e o Brasil passa a ser "credor externo líqüido" 135.Como é engraçado ver esses "cansadinhos" chorando o champagne derramado!!!! Nunca na história desse país um presidente teve a coragem de colocar a PF atras dos ricos e poderosos, nunca houve juiz, delegado e advogado preso nesse país, nunca os pobres tiveram acesso aos bens de consumo como agora. Vivemos em cima do barril de polvora da desigualdade social, com indices absurdos de violencia e esse povo só consegue olhar pro seu proprio umbigo!!!Me digam: quantos vcs conseguiram mobilizar meste fim de semana? Poxa! A turma de Campos do jordão não aderiu? ha ha

Rebeca disse...

Olha pessoal, nunca houve na história do país, uma pessoa tão despreparada, arrogante, prepotente, de índole ruim, enfim, o maior engodo e farsa da nossa história e o que é pior, com a principal função do país: ser presidente.
Mas, analisando, Lula age com uma frieza tão calculada ao longo de sua vida através de seus atos, que suas atitudes de “sempre não sabia”; o “falar errado”; “valorizar ser um trabalhador analfabeto que chegou a presidência”; “ser fraco com os fortes e fortíssimo com os fracos”; “achar que é muito fácil fazer política para os pobres: apenas dar um prato de comida”; “não fazer nada de qualidade real, de forma contínua e que realmente mudará a vida das pessoas mais pobres de nossa sociedade”; só blá blá blá eleitoral(está sempre num palanque)........concluo que Lula é uma pessoa super inteligente. Estamos enganados com ele. Ele tem pacto com o diabo rsrs. A urbanização e uniformização da massa acéfala da sociedade é que é culpada de tudo que assistimos e vemos acontecer.

Gilson disse...

Pois é, amigo.No palanque tudo é fácil, tudo é maravilhoso, pois ainda é um "reduto de marketeiros".Creio que os "marketeiros" do Lula foram tão persuasivos, que conseguiram convencer a ele e a todos os envolvidos, que governar o Brasil, era "brincar de Lego".
Resultado, o país esta um caos, mas o pagamento do Sr. Duda Mendonça no exterior foi um sucesso, o tal do "EU NÃO SABIA", rendeu muitos bons frutos até agora e, os contratos de PUBLICIDADE do governo melhores ainda. Mas o Brasil, quanta diferença.

NUNCA NA HISTÓRIA DESSE PAÍS, UMA GESTÃO FOI TÃO DESGOVERNADA.

CONTEÚDO PRINCIPAL DE LEU LEUTRAIX disse...

eu sou o leu leutraix do blog http://www.leuleutraix.blogspot.com eu sou o mais anti-lula o mais anti-pt o mais anti-socialismo do brasil eu vi sua matéria no brasilwiki eachei fantástica e tomei a liberdade ante de te pedir autorização e publiquei no meu blog www.leuleutraix.blogspot.com eu deixei seu link no mue blog e a fonte já que respeito direitos autorais foi fantástica sua matéria depois me visite se nao aceitar sua matéria no meu blog é só falar que eu retiro use o formulário fale com o leu leutraix em meu blog

nídia disse...

Olá fernando
A impressão que tenho é que o presidente e seus companheiros bandidos (incluindo na lista o que se intitula "choro de tucano") estão a km de distância dos pobres. São administradores de gabimete, e tentam resolver os problemas de uma forma matemática bem teórica, onde eles fazem a seguinte divisão do dinheiro: 90% para nós, políticos e nossas empresas, e nossos chefes, os poderosos, como os banqueiros que, são os que mandam "de fato" (já viram o lucro dos banqueiros divulgado essa semana?), e 10% para a população, para resolver o problema de moradia, educação, saúde, etc...
Eles querem que a gente acredite que eles pensam que uma família pode viver muito bem com R$ 350,00. Há muitos anos que o Lula não vê pobre!!!!

Anônimo disse...

ELE NÃO SABE DE NADA! AFINAL JÁ VIRAM BEBADO SABER ALGUMA COISA DEPOIS DA BEBEDEITRA. TANTO QUE C... NÃO TEM DONO.
O atual governo foi incapaz de detectar o problema nos aeroporto decorridos 5 anos de desgoverno,de diagnosticar estas emergências , e implementar soluções. Ao contrário, durante todo o seu primeiro mandato , contingenciou as verbas para o setor, com o propósito de reforçar o superávit primário, então a prioridade do governo.
ELE NÃO SABIA!
Mais uma vez, o nosso presidente disse que não sabia. Desta vez afirmou que desconhecia a extensão da crise aérea, e que o assunto não havia sido discutido em nenhuma das campanhas presidenciais de que participou. Desde que assumiu o seu primeiro mandato, Lula vem, propositalmente, se fazendo de idiota. Alçado à presidência da República, tem agido mais como um bobo da corte do que como o rei da corte. Se tal comportamento é uma estratégia para se isentar de responsabilidades, se manter distante dos malfeitos protagonizados pelo governo, e conservar intacta a sua aura de “diferente dos demais políticos”, mantendo a popularidade junto à população mal informada, ele é mais esperto e maquiavélico do que muitos supõem, EMBORA BURRO COMO UMA PORTA!...

O fato é que ao longo desses quatro anos e meio de governo, Lulalau tem procurado parecer mais uma espécie de espectador privilegiado das sucessivas crises que tem marcado o seu governo, o seu partido e sua base de apoio no Congresso, do que o responsável por tudo isso. Desde as primeiras denúncias envolvendo o assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz, braço direito do braço direito de Lula, José Dirceu,até a atual crise aérea, o nosso presidente age como se tudo estivesse ocorrendo no Cazaquistão, na Turquia ou na Birmânia,e não no Brasil. Melhor dizendo, no seu governo, envolvendo assessores diretos , correligionários e até parentes.

A se acreditar no que ele diz, Lula não sabia do valerioduto, desconhecia o mensalão, não tinha conhecimento das negociatas do seu filho, desconhecia as atividades paralelas de ministros muito próximos a ele, como José Dirceu, Luis Gushiken e Antonio Palocci, descomhecia ate o que seu irmão VAvalalau fazia. Se a tática do alheamento deu certo no primeiro mandato, por que não repeti-la no segundo? Assim, ao invés de enfrentar frontalmente a atual crise aérea, reconhecendo os erros, pedindo desculpas e anunciando soluções para problema, o nosso presidente prefere se omitir, quando confrontado, e continuar a proferir uma seqüência de discursos vazios, recheado de bravatas, chistes e metáforas que arrancam aplausos das platéias bajuladoras, mas aumentam a indignação da sociedade.

A propósito, uma parente de uma das vítimas do trágico acidente da TAM, afirmou-se perplexa e indignada ante a omissão do presidente, que nos momentos mais dramáticos que se seguiram ao acidente não teve a hombridade de se apresentar em público, prestar solidariedade às famílias enlutadas, e determinar providências imediatas. Num contraponto à atitude de Lula, nos Estados Unidos, logo após a queda da ponte sobre o Mississipi, o presidente Bush se apresentou em público, assumiu a responsabilidade pelo ocorrido e prometeu providências. Assim tem ocorrido em diversos países do mundo, onde o chefe de governo se coloca, sobretudo, como o líder de todo o seu povo. Aqui, Lula se considera líder apenas de uma parcela do povo. Aquela que vive das esmolas governamentais, da boquinha.

Se Lula, agora, afirma que não sabia da extensão da crise aérea, devemos concluir que algo funciona muito mal no Palácio do Planalto. Ou com o próprio presidente, ou com os assessores que deveriam lhe transmitir as informações. Afinal, a atual crise vem se desenhando no seu governo que tem dado preferência ao embelezamento do aeroporto (grana para locação das lojas e pontos) em detrimento da segurança das pistas – que e quase igual a obra de saneamento – nunca aparece. O aumento crescente da demanda, a partir de 2003, como mostrou a senador do PT Aluisio Mercdaandante no Congresso, crecimento acima de 10%, quando antes estava estabilizado, sem crescimento desde 1998, pgou o Governo de surpresa. SO QUE TEVE TEMPO DE REAGIR< MAS NADA ENXERGAVA. O loteamento de cargos no setor da aviação civil, a tensão com os militares e o desleixo com a infra-estrutura. Na verdade, a crise que explodiu em setembro de 2006 com a queda do avião da Gol, tem como data emblemática o crescimento conforme estatísticas demonstram – o crescimento a partir de 2003 – pois FHC permitiu a capitalização das empresas nos anos seguintes ao ano de 1999.
E pior, parece não aprender a lição porque na cola do apagão aéreo já se vislumbra um iminente apagão rodoviário.Tambem vira um novo APAGAO de energia eltrica la por 2011 – um ano depois do Lullalau – exatamente como o apagao aéreo, por falta de investimnto do lullalau e seus PTralhas assassinos. O que dirá o governo quando a crise anunciada explodir de vez? Que não sabia? Que não foi avisado? Que tudo é outra herança de govrnantes anteriores? Estamos cansados das esfarrapadas de um governo incompetente que não faz o be-a-bá de suas obrigações.

Enquanto isso, dia após dia o nosso presidente continua a demonstrar que vem perdendo o senso da realidade. Segundo o articulista Clóvis Rossi, da Folha de S Paulo, é de Lula seguinte afirmação: “Em determinados casos, a gente não diz aquilo que pensa nunca, a gente faz como pode, e se não pode, a gente deixa como está pra ver como fica”. O que ele diz é, praticamente, uma confissão. Traduz o caráter do presidente com muito mais nitidez do que milhares de artigos e referências que sobre ele são publicados diariamente. Mostra que o bobo da corte o é por absoluta esperteza. E que ele sabe ser presunçoso e arrogante quando lhe convém. Só não tem sabido ser um gestor competente.
DESCULPE FERNANDO, MAS ESTE DVIA SER SEU ARTIGO. FALTOU OBSERVAR MELHOR AS ESTATISTICAS DO SETOR. SE VOCE VIR O DISCURSO DO MARCDA-ANDANTE NO SENADO VERA UMS AMOSTRA DESDE 1990 – SO NÃO PRECISA USAR SUA IRA CONTRA FHC E NEM AS ANALISES DOS DADOS FEITAS PELO SENADOR, POIS OS NUMEROS DESMENTE O SENADOR, MAS MOSTRA A VERDADEIRA INCOMPETNCIA DOS PTRALHAS.

Anônimo disse...

ELE NÃO SABE DE NADA! AFINAL, JÁ VIRAM BEBADO SABER ALGUMA COISA DEPOIS DA BEBEDEIRA. TANTO QUE C... DE BEBADO NÃO TEM DONO.
O atual governo foi incapaz de detectar o problema nos aeroporto decorridos 5 anos de desgoverno,de diagnosticar estas emergências , e implementar soluções. Ao contrário, durante todo o seu primeiro mandato , contingenciou as verbas para o setor, com o propósito de reforçar o superávit primário, então a prioridade do governo.
ELE NÃO SABIA!
Mais uma vez, o nosso presidente disse que não sabia. Desta vez afirmou que desconhecia a extensão da crise aérea, e que o assunto não havia sido discutido em nenhuma das campanhas presidenciais de que participou. Desde que assumiu o seu primeiro mandato, Lula vem, propositalmente, se fazendo de idiota. Alçado à presidência da República, tem agido mais como um bobo da corte do que como o rei da corte. Se tal comportamento é uma estratégia para se isentar de responsabilidades, se manter distante dos malfeitos protagonizados pelo governo, e conservar intacta a sua aura de “diferente dos demais políticos”, mantendo a popularidade junto à população mal informada, ele é mais esperto e maquiavélico do que muitos supõem, EMBORA BURRO COMO UMA PORTA!...

O fato é que ao longo desses quatro anos e meio de governo, Lulalau tem procurado parecer mais uma espécie de espectador privilegiado das sucessivas crises que tem marcado o seu governo, o seu partido e sua base de apoio no Congresso, do que o responsável por tudo isso. Desde as primeiras denúncias envolvendo o assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz, braço direito do braço direito de Lula, José Dirceu,até a atual crise aérea, o nosso presidente age como se tudo estivesse ocorrendo no Cazaquistão, na Turquia ou na Birmânia,e não no Brasil. Melhor dizendo, no seu governo, envolvendo assessores diretos , correligionários e até parentes.

A se acreditar no que ele diz, Lula não sabia do valerioduto, desconhecia o mensalão, não tinha conhecimento das negociatas do seu filho, desconhecia as atividades paralelas de ministros muito próximos a ele, como José Dirceu, Luis Gushiken e Antonio Palocci, descomhecia ate o que seu irmão VAvalalau fazia. Se a tática do alheamento deu certo no primeiro mandato, por que não repeti-la no segundo? Assim, ao invés de enfrentar frontalmente a atual crise aérea, reconhecendo os erros, pedindo desculpas e anunciando soluções para problema, o nosso presidente prefere se omitir, quando confrontado, e continuar a proferir uma seqüência de discursos vazios, recheado de bravatas, chistes e metáforas que arrancam aplausos das platéias bajuladoras, mas aumentam a indignação da sociedade.

A propósito, uma parente de uma das vítimas do trágico acidente da TAM, afirmou-se perplexa e indignada ante a omissão do presidente, que nos momentos mais dramáticos que se seguiram ao acidente não teve a hombridade de se apresentar em público, prestar solidariedade às famílias enlutadas, e determinar providências imediatas. Num contraponto à atitude de Lula, nos Estados Unidos, logo após a queda da ponte sobre o Mississipi, o presidente Bush se apresentou em público, assumiu a responsabilidade pelo ocorrido e prometeu providências. Assim tem ocorrido em diversos países do mundo, onde o chefe de governo se coloca, sobretudo, como o líder de todo o seu povo. Aqui, Lula se considera líder apenas de uma parcela do povo. Aquela que vive das esmolas governamentais, da boquinha.

Se Lula, agora, afirma que não sabia da extensão da crise aérea, devemos concluir que algo funciona muito mal no Palácio do Planalto. Ou com o próprio presidente, ou com os assessores que deveriam lhe transmitir as informações. Afinal, a atual crise vem se desenhando no seu governo que tem dado preferência ao embelezamento do aeroporto (grana para locação das lojas e pontos) em detrimento da segurança das pistas – que e quase igual a obra de saneamento – nunca aparece. O aumento crescente da demanda, a partir de 2003, como mostrou a senador do PT Aluisio Mercdaandante no Congresso, crecimento acima de 10%, quando antes estava estabilizado, sem crescimento desde 1998, pgou o Governo de surpresa. SO QUE TEVE TEMPO DE REAGIR< MAS NADA ENXERGAVA. O loteamento de cargos no setor da aviação civil, a tensão com os militares e o desleixo com a infra-estrutura. Na verdade, a crise que explodiu em setembro de 2006 com a queda do avião da Gol, tem como data emblemática o crescimento conforme estatísticas demonstram – o crescimento a partir de 2003 – pois FHC permitiu a capitalização das empresas nos anos seguintes ao ano de 1999.
E pior, parece não aprender a lição porque na cola do apagão aéreo já se vislumbra um iminente apagão rodoviário.Tambem vira um novo APAGAO de energia eltrica la por 2011 – um ano depois do Lullalau – exatamente como o apagao aéreo, por falta de investimnto do lullalau e seus PTralhas assassinos. O que dirá o governo quando a crise anunciada explodir de vez? Que não sabia? Que não foi avisado? Que tudo é outra herança de govrnantes anteriores? Estamos cansados das esfarrapadas de um governo incompetente que não faz o be-a-bá de suas obrigações.

Enquanto isso, dia após dia o nosso presidente continua a demonstrar que vem perdendo o senso da realidade. Segundo o articulista Clóvis Rossi, da Folha de S Paulo, é de Lula seguinte afirmação: “Em determinados casos, a gente não diz aquilo que pensa nunca, a gente faz como pode, e se não pode, a gente deixa como está pra ver como fica”. O que ele diz é, praticamente, uma confissão. Traduz o caráter do presidente com muito mais nitidez do que milhares de artigos e referências que sobre ele são publicados diariamente. Mostra que o bobo da corte o é por absoluta esperteza. E que ele sabe ser presunçoso e arrogante quando lhe convém. Só não tem sabido ser um gestor competente.
DESCULPE FERNANDO, MAS ESTE DEVIA SER SEU ARTIGO. FALTOU OBSERVAR MELHOR AS ESTATISTICAS DO SETOR. SE VOCE VIR O DISCURSO DO MERCDA-ANDANTE NO SENADO VERAS UMA AMOSTRAGEM DESDE 1990 – SO NÃO PRECISA USAR SUA IRA CONTRA FHC E NEM AS ANALISES DOS DADOS FEITAS PELO SENADOR, POIS OS NUMEROS DESMENTEM O SENADOR, MAS MOSTRA A VERDADEIRA INCOMPTENCIA DOS PTRALHAS.

Choro de tucano disse...

Não chore , minha cara Nídia.vejo vc por aqui sempre rancorosa.O tucanismo apesar de ser uma doença cronica incuável, pode ser amenizada com um a boa dose de altruismo e de preocupação social. pode se agravar com o comodismo e o egoismo qyue são típicos de pessoas como vc. Tente melhorar o seu estado geral OK? Saudações petistas.