terça-feira, maio 08, 2007

A MASSIFICAÇÃO DA IDIOTICE ( OU O APAGÃO CULTURAL)

A chamada cultura de massas no Brasil parece ter sido tomada definitivamente pelo mau-gosto, pela bizarrice e pela cretinice. Em nenhum outro momento, a mediocridade foi tão divulgada, aceita e aplaudida como neste início de século. Não se trata de um fenômeno exclusivamente brasileiro, é claro, mas aqui tem tomado proporções tão fortes que chega a preocupar.
Baile funk, Ratinho, axé, pagode, sertanejo, Lula..apenas algumas amostras do febeapá que assola o país.
A MASSIFICAÇÃO DA IDIOTICE ( OU O APAGÃO CULTURAL )
A chamada cultura de massas no Brasil parece ter sido tomada definitivamente pelo mau-gosto, pela bizarrice e pela cretinice. Em nenhum outro momento, a mediocridade foi tão divulgada, aceita e aplaudida como neste início de século. Não se trata de um fenômeno exclusivamente brasileiro, é claro, mas aqui tem tomado proporções tão fortes que chega a preocupar. É difícil imaginar que um país impregnado pela bizantinice generalizada possa ter algum futuro muito além do que a atual indigência cultural parece indicar. E exemplos não faltam tanto na música, nas TVs, nas rádios, na internet, nas revistas, que sempre foram meios mais comuns da divulgação deste tipo de cultura, quanto também no cinema , no teatro, na música, e na literatura, que são meios tradicionais de divulgação de um tipo de cultura mais refinada.

Um antigo slogan televisivo dizia que “um país se faz com homens e livros”. E é verdade. Eu acrescentaria que, além de homens e livros, um país se faz com trabalho e liberdade, como também com arte, cultura e educação. As grandes nações do mundo foram forjadas sob a ação de seus empreendedores e políticos, como também de seus professores, técnicos , artistas, cientistas e filósofos..Foram eles que fizeram a grandeza e a riqueza de países como Estados Unidos, Japão, Alemanha, Inglaterra, França, para ficar entre os mais conhecidos. O Brasil caminha na direção contrária.


Tudo isto tem a ver com a qualidade de nossa educação. Educação e cultura caminham juntas. Seria infantilidade querer responsabilizar exclusivamente o governo petista com seu já conhecido baixo acervo cultural e sua política de beneficiar exclusivamente nichos culturais filo petistas pelo atual apagão cultural que assola o país. De fato, a nossa decadência cultural vem se processando desde o final da década de sessenta, depois de um período florescente que coincidiu com o governo JK.Mas que Lula e sua turma têm reforçado o desprezo pela educação, pelo conhecimento, pelas manifestações artísticas e culturais, e enfatizado o populismo nas universidades contribuindo em muito para este estado de coisas, não existem dúvidas.

Sempre defendemos que as manifestações artísticas e culturais se façam em um ambiente de completa liberdade, ou seja, o mais longe possível da tutela e das benesses do Estado. O que o Estado pode fazer pela cultura do país é cuidar da educação do seu povo, oferecendo-lhes escolas e cuidando para que a qualidade do ensino seja a mesma tanto para alunos ricos quanto para os pobres, pois, repetindo o óbvio, é sobre o alicerce da educação que se edifica a cultura de um povo,.

O que nos chega a preocupar é quando um país perde o senso do discernimento e da autocrítica e se deixa ser tomado pela banalização geral. O que nos preocupa é o fato desta banalização se transformar no padrão cultural de um país. Uma população de néscios é facilmente dominada por governantes sagazes e mal- intencionados. Um país de tolos e sem identidade cultural é presa fácil do domínio estrangeiro.
080507

4 comentários:

Reina disse...

O Brasil nunca foi dado à cultura de elite. Aquela que veio da Europa e em parte foi imosta pelos colonizadores.O que prevalceu aqui foi aquela mistura de Africa com indio o que faz uma cultura voltada pro erotismo, pro ritmo , e coisa e tal.Esperar que o Brasil tenha uma cultura refinada é pedir demais. So se mudarmos o povo e importarmos a Europa pra cá.

Rebeca disse...

Fernando, a comparação feita em seu artigo foi muito boa e oportuna.
A banalização do corpo; a falta de valores importantes para pontos de referência para os jovens; a decadência de nossa música, cultura, políticos; o uso da linguagem debochada e com um vocabulário......; a popularização e valorização pela mídia do consumo imediato e sem qualidade refletem diretamente na qualidade do sistema educacional. E é difícil reverter.

rosena disse...

Não é nada disto. O tripé em que se baseia a nossa cultura-samba , carnaval e futebol-faz a inveja e admiraão dos outros povos. Temos ainda na presidência um homem que se destaca pela sua vasta cultura e pela sua intelectualidade. Mentirinha!...O Brasil é esta droga cultural mesmo

Anônimo disse...

DEXA O HOME TRABAIÁ
DEXA O POVU DIVERTI