sexta-feira, março 09, 2007

MANIFESTAÇÕES JUVENÍS E POLÍTICA INFANTIL

Estas manifestações anti-Bush, patrocinadas não se sabe ao certo com que dinheiro, fizeram pensar se não seria mais produtivo usar este mesmo vigor e disposição para protestar , por exemplo, contra a péssima qualidade dos nossos serviços públicos, a altíssima cara tributária, os altos salários dos políticos, a corrupção generalizada, a violência descontrolada, e outras mazelas que , estas sim, travam o nosso crescimento e provocam o aumento da miséria e da desigualdade social.

Enquanto Lula abraça Bush, muitos de seus partidários protestam

MANIFESTAÇÕES JUVENÍS E POLÍTICA INFANTIL

Bush passa rapidamente pelo Brasil.Foi o suficiente para que despertasse em muitos aquele velho espírito antiamericano. Trata-se de um sentimento adormecido que, volta e meia, se manifesta em setores da esquerda radical e do nacionalismo,ao estilo dos anos 50 do século passado.Sob a sombra de velhas e novas bandeiras,predominantemente vermelhas,estudantes da UNE, sindicalistas, membros de “movimentos Sociais” e de partidos políticos de esquerda, incluindo o PT de Lula, se manifestaram contra o “imperialismo norte-americano”, contra a invasão do Iraque, contra a ALCA, contra a dívida externa, contra a “intervenção” dos Estados unidos na Colômbia, e por aí vai... Mas nada que preocupe. São manifestações juvenis de setores minoritários na sociedade atual.

Estas manifestações anti-Bush, patrocinadas não se sabe ao certo com que dinheiro, fizeram pensar se não seria mais produtivo usar este mesmo vigor e disposição para protestar , por exemplo, contra a péssima qualidade dos nossos serviços públicos, a altíssima cara tributária, os altos salários dos políticos, a corrupção generalizada, a violência descontrolada, e outras mazelas que , estas sim, travam o nosso crescimento e provocam o aumento da miséria e da desigualdade social. Que Bush tem lá seus graves pecados em matéria de política externa é inegável. Mas certamente, no caso de suas relações com o Brasil, a sua política externa tem sido infinitamente menos prejudicial– se é que tem sido – do que a política interna do governo Lula.

A presença de Bush no Brasil, pela segunda vez no governo Lula, se dá em razão de interesses econômicos e políticos. Bush quer aprofundar as relações comerciais com o Brasil, incluindo a exploração do know-how que este tem sobre a indústria de álcool combustível; tenta retomar os acordos sobre a ALCA, paralisados desde 2004 porque o Brasil se nega a incluir temas como propriedade intelectual e comércio de serviços nas negociações, temendo que as regras virem novas barreiras comerciais. O caráter político da visita certamente está relacionado com o desejo norte-americano de distanciar Lula do venezuelano Hugo Chávez, e, desta forma enfraquecer a influência do venezuelano na América Latina.Agindo com inteligência e pragmatismo, o Brasil poderá tirar grandes vantagens destas negociações.

A ALCA é uma questão emblemática para a esquerda, segundo a qual trata-se do símbolo mais atual do imperialismo ianque. Tal preconceito tem feito com que o nosso país perca uma excelente oportunidade de se inserir vantajosamente num mercado competitivo e deixar para trás alianças com países que nada significam em termos econômicos.Neste sentido, o México e o Chile já deram um passo adiante de seus vizinhos.Lula, formado na escola do atraso, continua reticente, e Bush deve ter tentado lhe abrir os olhos, se é que isto é possível.

Manifestações contra os Estados Unidos já fazem parte do folclore político latino-americano, e, portanto, não irão terminar nos próximos duzentos anos. Pelo menos enquanto forem uma superpotência e alimentarem este sentimento antagônico. Se os protestos não partirem para a violência, são bem vindos, pois fazem parte do ambiente democrático.O que não pode é o governo continuar a praticar o infantilismo em política externa, mantendo o país no atraso, por força deste mesmo sentimento.
090307


8 comentários:

Anônimo disse...

A petistada vermelha que a pretexto de protestar (???? )atrapalhou a vida do paulistano na última quinta feira e cometeu os costumeiros atos de bandidagem, baderna e vandalismo (como fazem bem isso!)refletem bem o comportamento que os levou à presidencia da republica, da Cãmera e do Senado: cospem na mão que acena para eles, cospem no prato que os alimenta, são traiçoeiros. Coitados daqueles que acham que podem se "alinhar" com o PT. Essa gente não tem senso de gratidão ou bom senso. A palavra "diálogo" os mortifica. Em suma eram, são e serão sempre perigosos.

crash disse...

Meio esquezita esse périplo do apedeuta norteamericano.
Nunca deu atenção a essa bandas e agora vem com essa conversinha...
Pode saber que aí tem trolha.
Agora, o nosso apedeuta aceitar em receber o apedeuta de lá, em São Paulo? Porquê? A capital não é Brasília?
Cuidado Lulinha. Quem muito se abaixa aos vencedores, mostra o rabo aos vencidos.

ricardo disse...

Quero dizer o seguinte: Onde estamos quando Hugo Chavez vem nos visitar? Meros bundões que somos não temos tempo para infenizar a vida de um ilustre Ditador. O nosso tempo é tomado por pequenos problemas de ordem capitalista, tais como pagar conta de água, luz, telefone...
É preciso tempo e dinheiro de alguém para protestar e encher o saco em nome de uma causa falida. Petistas Recado para vocês: Larguem o dinheiro da mamãe e vão pagar as contas que qualquer cidadão honesto e trabalhador tem que pagar!

laércio disse...

Concordo que o povo deva se mobilizar para protestar, como vc diz, contra as mazelas do país. Mas não existe esta mobilzação porque a classe média brasileira está confinada ao seu mundinho capitalista, incapaz de protestar contra nada. Mas concordo tb que se deva protestar contra Bush e sua política de carnificina no Iraque. Portanto todo protesto é valido e salutar . Tenho dito

nidia disse...

Oi Fernando
Concordo com todo mundo hoje, com vc e com os comentários.
Como o povo é manipulado né?
Parece programa de auditório, onde tem um camarada vestido de palhaço e que fica indicando aos assistentes a hora de bater palmas, a hora de rir, etc...
Parece brincadeira, mas dá vontade de chorar com o comportamento do povo brasileiro.
Um abraço

Luis Hipolito disse...

O Brasil está ficando para trás em todos os rankings que avaliam o desenvolvimento dos países. Isso é um fato que tem sido amplamente divulgado. Há casos em que não estamos nem entre os 100 primeiros colocados. Tal situação só poderá mudar se o país se aproximar dos países ricos que podem absorver nossas exportações e descobrir maneiras de ganhar com a globalização, que é inevitável. Não há outro caminho a seguir nos próximos anos.

Anônimo disse...

Que é isto rapa??Quer dizer que os milhares de assassinatos cometido a mando de Bush no afeganistão e no Iraque são apenas "pecadinhos"?
é rir pra não chorar.

Rebeca disse...

Só deixo aqui algumas questoes: porque a sociedade nao reage quanto o assunto é diretamente com ela?
Porque náo manifesta assim, nas ruas, quanto a tantos escadandalos financeiros?