quinta-feira, março 08, 2007

AMPLIANDO A FORÇA DO LULISMO


AMPLIANDO A FORÇA DO LULISMO

O mundo político tem reclamado da aparente displicência com que Lula conduz o governo, em especial no que se refere a constituição do seu ministério e ao estabelecimento de planos e metas para o seu segundo mandato. Lula, na verdade, parece não demonstrar apetite para acordos políticos e demonstra desprezo até certo ponto inédito pelas idiossincrasias do PT.

É nítido o divórcio entre o Presidente e o PT. Eleito com o voto de mais de 60 milhões , apesar de toda crise moral e ética que atingiu o seu partido, Lula parece querer demonstrar que, hoje, independe dele: muito mais forte que o petismo é o lulismo.

Não foi por outro motivo que a medida que se desliga do PT, Lula procura se aproximar do PMDB. Partido menos dado a crises existenciais que as que costumam atingir o PT, apesar do esforço deste em ficar parecido com os demais partidos, o PMDB é um partido mais flexível, maleável, desavergonhadamente explícito em suas intenções e pretensões: querem cargos e fatias importantes de poder .Para isto, se declaram dispostos, desde que atendidos, a apoiar o Presidente nos seus propósitos continuistas. Na visão pragmática de Lula trata-se de um partido mais confiável do que o seu próprio partido.

O pragmatismo do presidente ficou evidente por ocasião da disputa pela presidência do PMDB. A princípio partidário da candidatura de Nelson Jobim, contra a do atual presidente Michel Temer, Lula caminhou para o outro lado da cerca quando reconheceu a fraqueza da candidatura de Jobim. E parece ser assim que pretende levar o seu segundo mandato: afastando-se cautelosamente do PT, compondo-se com partidos fisiológicos e ampliando a força do lulismo.

Neste panorama pouco auspicioso, é claro, não está descartada a possibilidade da tentativa de um terceiro mandato. E não será impossível: com uma oposição enfraquecida, uma base de apoio fisiológica que está disposta a entregar até a alma em troca das benesses governamentais , e uma base popular disposta a confirmar –se for preciso, através de plebiscitos- as pretensões continuistas do Presidente, estarão lançadas as bases para o estabelecimento no Brasil de um modelo político semelhante ao venezuelano.
080307

3 comentários:

marco disse...

Por falar em Lula,foi um espetáculo deprimente o discurso do Apedeuta,ontem,no Rio,ao fazer a apologia ao uso da camisinha.Metido a orientador educacional e sexólogo,o analfabeto faz pouco caso,por ignorância,de todo o conhecimento humano nessa área,tão controversa e complexa.Tive vergonha,mais uma vez,de ser brasileiro.Estamos sendo governados por uma verdadeira anta.
Marco

Anônimo disse...

NÃO EXISTE ESTA DE QUE LULLA ESTA SE DISTANCIANDO DO PT. ELLES SÃO COMO CARNE E UNHA. O PMDB VAI APENAS SER USADO E CUSPIDO FORA. NÃO É CONFIÁVEL COISA NENHUMA. QDO O CIRCO PEGAR FOGO ELES SALTAM FORA.

ricardo disse...

Fernando. Acho que o PMDB e Lula se merecem. Foram feitos um para o outro. Lula optou por esta política nojenta da troca de favores e vai se dar mal. O PMDB é um partido dividido. Veja que agora a ala comandada por Renan Calheiros ameaça atrapalhar as votações no senado.Agora concordo qdo vc diz que Lula pretende mais um mandato e vai fazer tudopara conseguir o seu intento.