sexta-feira, novembro 03, 2006

RETALIAÇÃO E INTIMIDAÇÃO

O fato é que quando um governante autoritário resolve usar o seu arsenal contra a imprensa, a luta se torna muito desigual. De um lado, a imprensa tem apenas a força da palavra.Do outro, o governante, levado ao extremo, tem o argumento das armas. O Brasil já assistiu a este filme nas décadas de 60 e 70.



Na URSS, só existia uma verdade:a do Partido

RETALIAÇÃO E INTIMIDAÇÃO
Conviver com a imprensa num regime democrático não é fácil para certos governantes. Para estes, maravilhoso seria se pudessem governar um país onde a diversidade de opiniões fosse sufocada e reduzida a uma única verdade - pravda, em russo -, em nome de um suposto interesse coletivo, que nada mais é do que o interesse do grupo ou grupos que ocupam o poder.As manifestações agressivas contra a imprensa de muitos petistas, na semana seguinte á vitória de seu líder nas urnas, são motivo de preocupação e temor entre aqueles que prezam a democracia e a liberdade de opinião.

Vejamos algumas destas manifestações. O site oficial do PT na internet publicou artigos e reportagens contrários ao que seus autores definem como “comportamento parcial da imprensa”na campanha eleitoral.Entre os alvos de suas críticas não escapou nem mesmo a apresentadora de TV Ana Maria Braga, por seu suposto apoio ao candidato Alckmin.No site petista pode ser encontrada também textos em defesa da atitude de militantes do partido que agrediram jornalistas que trabalhavam na cobertura da festa da vitória, bem como um artigo do Secretário de Relações Internacionais, Walter Pomar, no qual ele afirma que “uma parte da imprensa continua a serviço de quem perdeu as eleições. E depois querem falar em objetividade jornalística...” Enfim, o tom predominante nas críticas petistas é que a imprensa perdeu a credibilidade junto ao povo durante a campanha.

Mas estas manifestações no site do partido seriam pouco preocupantes se não estivessem acompanhadas por outras de gente mais importante e também por ações que consolidam a certeza de que está em curso um processo de retaliação e intimidação contra a imprensa. Principalmente contra os órgãos mais críticos deste governo. A mais preocupante ocorreu na terça feira passada, quando dois jornalistas da revista Veja foram constrangidos e intimidados na Polícia Federal, sob o pretexto de uma investigação interna do órgão para apurar responsabilidades nos fatos citados na reportagem destes jornalistas, publicada na última edição da revista.

As declarações de alguns figurões do partido e do governo, como também do próprio presidente, serviram para acirrar os ânimos e colocar mais lenha na fogueira das relações entre o governo e a imprensa. Numa delas, o presidente do PT, Marco Aurélio Garcia exige que os meios de comunicação revejam suas criticas ao governo, e impõe como obrigação da imprensa um “pedido de desculpas” pelo tratamento dado aos escândalos de corrupção. Em outra declaração, o mesmo Marco Aurélio sugere que os jornalistas cuidem de suas obrigações, que o PT sabe cuidar de si. Em outro momento, o ex-ministro Ciro Gomes, fiel cão de guarda deste governo, provavelmente de olho num futuro ministério defende que as concessões e financiamentos públicos à órgãos de imprensa sejam feitos exclusivamente para veículos “amigáveis”.Por fim, o presidente Lula, tentando jogar água na fogueira, cometeu um ato falho ao dizer que “ a retaliação não é conveniente, pois transforma a imprensa em vítima”. Quer dizer, Lula não repudia os ataques de seus partidários à imprensa por convicção democrática, mas sim por uma opção tática. A emenda presidencial saiu pior que o soneto.

É público, notório e inegável que durante o seu governo e na campanha eleitoral, o presidente foi alvo de reportagens e críticas contundentes, e algumas até mesmo injustas, por parte de alguns órgão da imprensa, em especial da revista Veja.Mas também foi o centro de muitas reportagens benevolentes e bajuladoras de outros órgãos como as revistas Carta capital e Isto É.Ótimo que assim tenha sido. Críticas e elogios fazem parte do jogo democrático, e cada órgão de imprensa, não se pode negar este fato, tem a sua orientação política e ideológica. É perfeitamente natural, pois, que órgãos como a Editora Abril e o Estado de São Paulo, que nunca esconderam a sua posição em defesa do capitalismo, da livre iniciativa e do estado de direito, tenham um pé atrás em relação a um governo que parece não gostar de nenhuma das três coisas.

Se por alguma razão Lula se sentiu agredido em sua honra pessoal, ou vítima de alguma mentira ou calúnia, ele tinha como arma de defesa o instrumento da Justiça.Se não usou este instrumento,esperamos que não tenha sido com o propósito de estocar mágoas e ressentimentos como pretexto para a prática de arbitrariedades contra os meios de comunicação em seu segundo mandato. O fato é que quando um governante autoritário resolve usar o seu arsenal contra a imprensa, a luta se torna muito desigual. De um lado, a imprensa tem apenas a força da palavra.Do outro, o governante, levado ao extremo, tem o argumento das armas. O Brasil já assistiu a este filme nas décadas de 60 e 70.

Na Itália e na Alemanha, durante as décadas de 20 e 30, a perseguição à imprensa também se iniciou com militantes fascistas e nazistas agredindo jornalistas, quebrando e incendiando jornais. Foi o primeiro passo para que se eliminassem completamente as vozes da contestação aos regimes totalitários que estavam nascendo naqueles países.Esperamos que as recentes manifestações do PT contra a imprensa não sejam um indício de que este primeiro passo esteja sendo dado neste momento no Brasil de Lula.

031106

7 comentários:

Val disse...

O PT não sabe conviver com quem diz a verdade. olha esta que eu colhi em outro blog:
O jornalista Merval Pereira, colunista político de O Globo, transcreve, hoje, uma frase famosa de Thomas Jefferson, um dos fundadores da América:
- Se me coubesse decidir se deveríamos ter um governo sem jornais ou jornais sem um governo, não hesitaria um momento em preferir a última solução.

sorus disse...

Essa frase do Jefferson é pura demagogia. A grande imprensa fez de tudo para derrubar o Governo do Presidente Lula. O Governo tem toda razão em ficar com um pé atrás em relação a emprensa. A imprensa bateu no Governo sem piedade, agora quer um bom tratamento?. Não, claro que não. O tratamento tem que ser o pior possível. O Presidente Lula tem que ajudar a parte da imprensa que o apoia e desqualificar e derrubar os que lhe fazem oposição. A democracia é isso. E não baixar a cabeça para a revista veja e outros, que só fazem atacar.

rosena disse...

Fernando O PT nunca vai aceitar reporteres que não escrevem à favor do partid mesmo que ecrevam a verdade. Isto não é só no PT, também ocorre em Cuba, Venezuela, Coreia do Norte, China e em alguns paises de doutrina mulçumana.

Anônimo disse...

Uma coisa é a imprensa fiscalizar, cobrar, investigar, criticar. Outra, bem diferente, é perseguir, achincalhar, caluniar e fazer CLARAMENTE campanha para um outro candidato. É natural que haja ressentimentos por parte de alguns governistas, que, por certo, irão arrefecer, nem que Lula tenha que exigir. Diga-se de passagem que o Presidente, pessoalmente, pouco se manifestou para provocar esse dodói da Mídia. Colhe-se o que se plantou.

Joyce disse...

As críticas do PT e essa intolerância com os jornalistas são a prova máxima de que o Governo não tem argumentos para se defender de tantas acusações e corrupção que ocorreram no primeiro mandato do Lula.
Só espero que o alerta de Cristóvam Buarque não se transforme em realidade. Ele temia que, saindo-se fortalecido das urnas, com votos das classes mais pobres e menos escolarizadas, o Lula pudesse ser tentado a se transformar num didator. É bom que todo o Brasil fique atento a esses movimentos e agressões contra jornalistas. Por trás disso tem muita ideologia de autoritarismo.

val disse...

O povo brasileiro e' incrivel.
Pensou que ia ganhar a copa e infeitou as ruas para comemorar,achava que tinha os melhores jogadore de futebol do mundo.Achava que iria ganhar a copa.
Olha no que deu.
A gora foi com o voto em lula o mentiroso, ele vai melhorar o Brasil.O povo confiou em politico.
OLha so no que vai dar.
O povo desinformado nao sabe como esta a economia.
Como pode um pais com inflacao baixa nao crecer???
Sinal que algo esta completamente errado.
O governo promete dez de 2005 que o Brasil crecera.
Cade lula???
Enganou o povo de novo.
E tinha o Cristovao,a Heloisa,o Bivar,o Ymael,o Ruy,o Geraldo e a Ana.
Toma na cabeca povo desinformado.
Nao se vota em reeleicao.
Vem crise ai..............

A FORÇA DO POVO disse...

DISCORDO.Enquanto a Veja, a Folha de São Paulo e a Rede Globo, entre outros, protestam contra a ameaça à liberdade de imprensa no Brasil. E os escribas da direita de plantão seguem acusando e insultando lideranças da esquerda, dia e noite, sem que nada lhes aconteça. Lula já foi chamado inúmeras vezes de “bêbado”, “mentiroso”, “ladrão”, “corrupto”, apenas para citar os adjetivos mais leves. Qualquer menção a uma reação jurídica aos que emitem tais opiniões é imediatamente taxada de “ameaça à liberdade de imprensa”.