quinta-feira, novembro 09, 2006

AVISO PRÉVIO

Seria um final melancólico para um presidente que iniciou o seu mandato sob a desconfiança de muitos que o julgavam fraco e incapaz, atingiu o auge da popularidade e do prestígio após os atentados de 11 de setembro de 2001,envolveu-se numa aventura militar insolúvel e retorna, agora, ao ponto de partida, vendo crescer a desconfiança e a rejeição da maioria do eleitorado norte-americano.




AVISO PRÉVIO

Feliz dos Estados Unidos cujas eleições parlamentares ocorrem em ocasião diferente da presidencial. Podem, ,desta forma, os eleitores avaliarem os erros e acertos tanto do Presidente quanto do Congresso e dar a resposta certa no momento exato. As eleições parlamentares que acabam de ocorrer nos Estados Unidos foram uma forma de julgamento tanto da maioria parlamentar republicana que prevalece desde 1994, quanto da administração de Bush. E pelo resultado final, os eleitores exigiram um basta no que estava ocorrendo: deram uma significativa vitória aos democratas.

Foram várias as causas da insatisfação do eleitorado em relação ao Congresso de maioria Republicana da última legislatura . As queixas envolviam principalmente os seguidos escândalos sexuais ,uma onda de corrupção que teria ser espalhado entre os Republicanos ,e a cultura da preguiça que fez com que esta legislatura tenha sido a menos produtiva e a que teve menor número de sessões nas últimas décadas.

Já em relação a Bush, o eleitorado lançou uma aviso prévio, por conta, principalmente, de sua desastrada aventura no Iraque , que levou a um grande desperdício de vidas e de dinheiro ,e a nenhum resultado prático. O outro calcanhar de Aquiles da administração Bush e que pode ter pesado na decisão do eleitorado, é a questão ambiental. Como se sabe, ao se recusar a assinar o Protocolo de Kyoto, que estabelece metas para redução da emissão de gazes poluentes que comprometem o clima ,, acelerando o aquecimento global, Bush teve a oposição ate mesmo de muitos de seus correligionários Republicanos. No ano passado, por exemplo,168 prefeitos de 37 estados americanos ,entre Republicanos e Democratas se comprometeram a reduzir a emissão de gazes em 7% até2012,numa atitude independente das resoluções da Casa Branca.


Bush, em que pese suas políticas simpáticas à classe média ,com a redução de impostos ,parte para seus dois últimos anos de mandato com sua saúde política seriamente comprometida ,e sob o risco de não eleger o seu sucessor daqui a dois anos. Seria um final melancólico para um presidente que iniciou o seu mandato sob a desconfiança de muitos que o julgavam fraco e incapaz, atingiu o auge da popularidade e do prestígio após os atentados de 11 de setembro de 2001,envolveu-se numa aventura militar insolúvel e retorna, agora, ao ponto de partida, vendo crescer a desconfiança e a rejeição da maioria do eleitorado norte-americano.

091106

7 comentários:

mORO disse...

Sinceramente, tenho pelos EUA, pelo menos no momento, o mesmo sentimento que eles demonstram por nós:

Indiferença.

Eles que cuidem de seus problemas.
Temos o suficiente por aqui, com um governo ladrão e incompetente, que daqui há pouco vai dar um jeito de calar as vozes dos cidadão que ainda pensam.

Anônimo disse...

Os EUA tem democracia perfeita.
A vitória dos democratas é boa, principalmente porque, ao contrário do que pensam muitos imorais de fora dos EUA, são moderados, como SEMPRE foram.
Ultra-liberais não tem vez no país mais poderoso do mundo.

xatoo disse...

Simplesmente é mentira que a invasão do Iraque não tenha trazido aos EUA nenhum beneficio em concreto.Que esta América é Má e que existe uma América Boa.
Existem 8 megabases construidas no Iraque que as forças militares yankees jamais irão abandonar o território.
O aparente volte-face trata sobretudo de institucionalizar aquilo que já se conseguiu e que de outra maneira se tornaria insustentável manter: a exploração do petróleo em velocidade de cruzeiro, com um governo-fantoche estável, a concordância tácita do Irão como moeda de troca para não sofrerem a agressão prevista (James Baker III tratou do assunto), e finalmente, o trespasse da pacificação para o âmbito da NATO, desta feita já com o empenho total da União Europeia em peso - da qual a França e a Alemanha tinham sido o problema principal ao não concordarem com a agressão neocon (por não a quererem pagar dos seus orçamentos).
No fim, depois do assalto,vão-se contabilizar os lucros vindouros,
,para o sistema neoliberal de alternância entre 2 partidos (a ideia da América Má e a América Boa é ridicula) que afinal representam a mesmissima coisa, Bush será sempre um herói e será devidamente reconhecido por isso; ainda que fique na história como um idiota ou uma espécie de Nixon (é para isso que o Complexo Politico-Militar-Industrial paga sumptuosamente aos politicos do entertainment)
Bush preparou e continuará a preparar a cama para quem vem a seguir.
Sejam eles quem forem é gente com o mesmo apetite imperialista de sempre

Sofia disse...

Oi Fernando,
Já visitei os EUA duas vezes e olha, posso dizer que o mais gosto no sistema americano é:
- suas eleições parlamentares ocorrem em ocasião diferente da presidencial( como vc disse no seu artigo ). Isto possibilita oa povo diferenciar bem, comparar e escolher melhor os candidatos;
- Quando se compra qualquer coisa, é na hora que se calcula o imposto a ser pago. Tem-se o preço da mercadoria + imposto. Assim, o povo americano sabe muito bem todos os valores e taxas de impostos pagos. É tudo mais transparente. O povo americano se sente mais cidadão, com mais direitos que nós brasileiros. Quanto a qualidade da educação amreicana, fica a desejar e muito. As estradas são ótimas,atendimento hospitalar qualifico como um bom atendimento.
Quanto as atitudes políticas de Bush não gosto sua de visão excluivista de americanizada. O mundo é a América... e o resto do mundo é simplesmente resto.

Sofia disse...

Olá Fernando!
Estou sentindo falta dos bons artigos.
Abraços

nidia disse...

Olá Fernando, Sofia
Depois do banho de água fria (nas eleições), tá difícil de ter ânimo pra escrever. O que dizer? mesmo porque tudo continua da mesma forma...
Um abraço

Fernando Soares disse...

Olá Sofia, Nídia, amigos
Estou em rítmo de Jabuti. Realmente a vitória de Lula, por tudo o que aconteceu no seu primeiro mandato, foi desanimadora para aqueles que ainda querem ver um país melhor e com homens públicos mais dignos. Mas parece que a maioria do povo está satisfeita com isso aí. Paciência...
Eu, da minha trincheira, vou continuar com minhas modestas armas a resistir a este governo que poderá, contemplado que foi pela benevolência das urnas, ser pior do que foi até aqui.
Um abraço.